terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Maria Sebastiana quer campanha de paz e debate de propostas em João Alfredo


Ao inaugurar a maior obra se sua gestão, a prefeita Maria Sebastiana (PSD) se fortalece para campanha da reeleição, com um estilo leve, pregando a paz e o discurso propositivo. A oposição está dividida.

A notícia foi destaque, em duas notas, na coluna Ponto a Ponto, do Diário de Pernambuco, assinada pelo jornalista Aldo Vilela. O texto da nota diz o seguinte:
 

Educação e reeleição civilizada
A prefeita de João Alfredo, Maria Sebastiana (PSD), espera inaugurar, com o governador Paulo Câmara (PSB), até maio, a Escola Miguel Arraes, que já nasce como a maior escola municipal de Pernambuco. A prefeita diz que disputa a reeleição pregando o discurso da paz, com debate propositivo, sem agressões pessoais.

Oposição em dose dupla
A oposição até agora está rachada com duas candidaturas: do atual vice, José Martins, que rompeu e pretende disputar pelo PSB, e do ex-prefeito (entre 2019 e 2012) e ex-deputado federal, Severino Cavalcanti. Um acordo está ficando complicado porque nenhum dos dois  abre mão de encabeçar a chapa da oposição.

Fabrício Brito diz que capitão Dantas não tem moral para mandar multar ninguém


O vereador Fabrício Brito, que raramente adota o tom crítico, foi enfático ao sugerir que o secretário Reginaldo Dantas, responsável pelo trânsito da cidade, seja exonerado porque, de acordo com o parlamentar, não tem moral para mandar multar porque o carro particular dele deve mais de R$ 14 mil. 

A notícia foi destaque na coluna Ponto a Ponto, do Diário de Pernambuco, assinada pelo jornalista Aldo Vilela. O texto da nota diz o seguinte:
 

Mau exemplo
O presidente da Câmara de Surubim, vereador Fabrício Brito (PSD), afirma que o secretário municipal de Defesa Social, capitão reformado Reginaldo Dantas, deveria ser exonerado, e não tem moral para mandar multar, porque o carro particular dele tem R$ 14.335,20, em débitos, de acordo com o site do Detran.

Dra. Wélita tem estratégia em Vertente do Lério


A ex-prefeita, por duas vezes, Wélita Sales (PMDB) não vai ficar de fora da eleição municipal deste anos, mesmo que não seja candidata em Vertente do Lério.

A notícia foi destaque na coluna Ponto a Ponto, do Diário de Pernambuco, assinada pelo jornalista Aldo Vilela. O texto da nota diz o seguinte:

Plano “B” em Vertente do Lério
Caso seja impedida pela Justiça de disputar em Vertente do Lério, a ex-prefeita e médica Wéllita Sales (PMDB), pode lançar o nome do marido, Renato Sales, ou apoiar o primo e também médico, João Batista (PSD), atual vice-prefeito rompido com o prefeito Daniel Almeida(PT), que não definiu o companheiro de chapa para disputar a reeleição

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

ÓTIMA NOTÍCIA: Há dois anos, ninguém é assassinado em Vertente do Lério

NA PAZ: Vertente do Lério ainda pode ser orgulhar de conservar a tranquilidade do interior.

De acordo com os dados divulgados pela Polícia Militar, com o balanço comparativo entre os anos de 2014 e 2015, dos Crimes Violentos Letais e Intencionais – CVLI foram registrados 54 homicídios, em 2015, nos oito municípios atendidos pelo 22º Batalhão da PM, três a mais que em 2014.

Em Vertente do Lério, nenhum homicídio foi registrado em 2014 e 2015. Surubim (16) e Casinhas (3) mantiveram o número desse tipo de ocorrência nos últimos dois anos.


Houve redução no número de casos em Machados (de 5  para 3 ou – 40%) e em São Vicente Férrer (de 8 para 3 ou – 63%).

Em três municípios, da área do 22º, houve aumento no número de homicídios. Em Orobó aconteceu a maior alta, de 2 para 5, o que representa um aumento de 150%. Também apresentam mais casos, Bom Jardim (de 12 para 18 ou + 50%) e João Alfredo (de 5 para 6 ou + 20%).

De acordo com o comandante do 22º Batalhão, tenente coronel Marco Aurélio, “embora o 22º BPM tenha ficado no vermelho, em 2015, tivemos apenas três homicídios a mais que em 2014. Vamos focar mais nas áreas em vermelho e amarelo, buscando melhorar em 2016”, destaca.
Os números da violência são monitorados permanentemente pela SDS e servem de parâmetros para definir ações de reforço na segurança, do programa Pacto Pela Vida.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

CASO ALDO : PM prende acusado do homicídio que chocou Surubim

Foto: Divulgação / Polícia

O comando do 22º Batalhão da Polícia Militar de Surubim anunciou, nesta quarta-feira, a prisão de Keython Diniz de Moura, 20 anos, apontado em inquérito da Polícia Civil como suspeita do homicídio de Aldo Ribeiro Sales, no último dia 28 de novembro de 2015, crime que chocou o município.Havia um Mandado de Prisão em aberto contra o acusado.

ACUSADO foi preso por PMs do 22o Batalhão

“Na tarde de hoje, por volta das 13 horas, uma equipe comandada pelo tenente Anacleto, com apoio da Rocam, cumprindo Plano de Ação do Batalhão, realizando rondas na rua Margarida Barbosa de Souza, próximo ao Colégio Marista, avistou Kleython Diniz de Moura. Após ser dada voz de prisão, o acusado foi encaminhado a Delegacia e logo após recolhido ao presídio de Limoeiro”, informa a PM.

SEGUNDO ACUSADO - Dadá do Salgado está foragido.

O segundo acusado do crime, conhecido como Dadá do Salgado, segue foragido. Ele inclusive, teria ficado ferido, em um atentado, com um tiro na perna.


Aldo Ribeiro foi encontrado desacordado e gravemente ferido na rua Estácio Coimbra, no centro de Surubim. O rapaz sofria de transtornos mentais e tinha como marca o comportamento tranquilo e amigável.  Ele foi agredido e baleado, em uma tentativa de assalto. O fato foi registrado por câmeras de segurança.

Os dois acusados " chegam numa moto para assaltar. Eles estavam de capacete e o da frente tinha um capacete reserva na mão. O abordam para roubar e já partem para a agressão, com o capacete e coronhadas. Quando meu irmão já está desacordado no chão, leva um tiro na cabeça. Em nenhum momento, ele reagiu", contou Arnaldo Ribeiro, irmão da vítima.

Aldo ainda foi socorrido em estado gravíssimo para o Hospital da Restauração, no Recife, mas não resistiu. 

 

   

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Sertão registra maior índice pluviométrico de Pernambuco

Belém do São Francisco teve precipitação de 89 milímetros. Em Petrolina (foto) a chuva foi de 34,4 mm.


Diariamente a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) monitora o índice pluviométrico das cidades em todo o estado. No último Boletim Pluviométrico diário parcial enviado pela Apac, foram nas cidades do Sertão de Pernambuco as maiores ocorrências de chuva do estado, especialmente na cidade de Belém de Sãpo Francisco com 89 milímetros.
Orocó, que faz parte da mesorregião do São Francisco, teve precipitação de 23 milímetros, segundo os dados das 9h da quarta-feira (6) às 6h desta quinta-feira (7). Cabrobó com 39 milímetros.
Em Petrolina, os sertanejos também foram agraciados com a tão esperada chuva. Na cidade, foram registrados 34,7 milímetros. A precipitação, que aconteceu com maior força à noite, seguiu até a madrugada.
Em Lagoa Grande também foi registrada chuva com a marca de 25,8 mm. Em Ipubi, a chuva foi pouca, mas no posto de coleta situado no Centro da cidade, foi registrado 1,4 mm. Salgueiro choveu, segundo a Apac, 10 mm. Em Terra Nova o registro foi de 14 mm e em Trindade 23 mm. Em Ouricuri e Serrita não houve registro pluviométrico.
Fonte: G1 Petrolina

Marina afirma que Dilma não tem mais liderança política no país


A ex-senadora e ex-candidata a presidente da República Marina Silva (Rede) retomou as críticas à presidente Dilma Rousseff (PT) e afirmou, em entrevista à Rádio Gaúcha, que a adversária "não tem mais a liderança política no País nem maioria no Congresso".
Marina disse que Dilma e o vice-presidente Michel Temer (PMDB) são os responsáveis pelos desmandos geradores, na avaliação dela, da crise brasileira e defendeu o processo de cassação da chapa vitoriosa das eleições de 2014 como forma de afastá-los do cargo.
"No meu entendimento, o melhor caminho para o Brasil é o processo que está no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), porque teria a cassação da chapa com a comprovação de que o dinheiro da corrupção foi usado para a campanha do vice e da presidente", afirmou Marina.
Como já tinha feito, a ex-senadora procurou não defender o processo de impeachment que tramita na Câmara dos Deputados, mas discordou da tese do governo de que o procedimento aberto pelo presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é golpe.
"Impeachment não é golpe. Está previsto na Constituição, foi feito contra (o ex-presidente da República e atual senador, Fernando) Collor, foi pedido pelo PT várias vezes e eles achavam que não era golpe", afirmou.
Marina disse que a Dilma "não disse a verdade" durante a campanha a presidente em 2014 sobre a economia brasileira, o que apenas agravou a situação do País no ano passado, o primeiro do segundo mandato dela.
"Se (Dilma) tivesse trabalhado com a verdade, assumiria que corríamos grave risco em relação aos inúmeros problemas que tivemos desde 2008. É engraçado porque (enquanto) países do mundo correram atrás para resolver a crise, disseram que era apenas uma marolinha e chegaram a dar lição de moral até para a Alemanha", afirmou a ex-senadora, em uma crítica também ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.
Uma das favoritas à eleição presidencial em 2018, segundo as mais recentes pesquisas de intenção, Marina disse que ainda não tem clareza se será novamente candidata. No entanto, ela voltou a criticar os ataques sofridos por ela durante o pleito de 2014, principalmente pelo PT, seu ex-partido político, e pela presidente Dilma.
"Diziam que, se eu ganhasse, o governo não teria maioria no Congresso e hoje a presidente não tem maioria. Diziam que, se eu ganhasse, eu iria tirar alimentos das pessoas pobres e isso ocorre com a inflação que atinge a mesa dos brasileiros. Diziam que, se eu ganhasse, iria acabar com Pronatec e Prouni e isso o atual governo está fazendo. As pessoas projetam em você o que vão fazer", concluiu.
Fonte: Folha de São Paulo.

sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Está valendo - Novo acordo ortográfico é obrigatório a partir desta sexta no Brasil

O Brasil é o terceiro dos oito países que assinaram o tratado a tornar obrigatórias as mudançasFoto: Agência Brasil

As regras do Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa são obrigatórias no Brasil a partir desta sexta-feira (1º). Em uso desde 2009, mudanças como o fim do trema e novas regras para o uso do hífen e de acentos diferenciais agora são oficiais com a entrada em vigor do acordo, adiada por três anos pelo governo brasileiro.

Assinado em 1990 com outros Estados-Membros da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP) para padronizar as regras ortográficas, o acordo foi ratificado pelo Brasil em 2008 e implementado sem obrigatoriedade em 2009. A previsão inicial era que as regras fossem cobradas oficialmente a partir de 1° de janeiro de 2013, mas, após polêmicas e críticas da sociedade, o governo adiou a entrada em vigor para 1° de janeiro de 2016.

O Brasil é o terceiro dos oito países que assinaram o tratado a tornar obrigatórias as mudanças, que já estão em vigor em Portugal e Cabo Verde. Angola, Moçambique, Guiné-Bissau, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste ainda não aplicam oficialmente as novas regras ortográficas.

Com a padronização da língua, a CPLP pretende facilitar o intercâmbio cultural e científico entre os países e ampliar a divulgação do idioma e da literatura em língua portuguesa, já que os livros passam a ser publicados sob as novas regras, sem diferenças de vocabulários entre os países. De acordo com o Ministério da Educação, o acordo alterou 0,8% dos vocábulos da língua portuguesa no Brasil e 1,3% em Portugal.

ALFABETO, TREMA E ACENTOS - Entre as principais mudanças, está a ampliação do alfabeto oficial para 26 letras, com o acréscimo do k, w e y. As letras já são usadas em várias palavras do idioma, como nomes indígenas e abreviações de medidas, mas estavam fora do vocábulo oficial.

O trema – dois pontos sobre a vogal u – foi eliminado, e pode ser usado apenas em nomes próprios. No entanto, a mudança vale apenas para a escrita, e palavras como linguiça, cinquenta e tranquilo continuam com a mesma pronúncia.

Os acentos diferenciais também deixaram de existir, de acordo com as novas regras, eliminando a diferença gráfica entre pára (do verbo parar) e para (preposição), por exemplo. Há exceções como as palavras pôr (verbo) e por (preposição) e pode (presente do indicativo do verbo poder) e pôde (pretérito do indicativo do verbo poder), que tiveram os acentos diferenciais mantidos.

O acento circunflexo foi retirado de palavras terminadas em “êem”, como nas formas verbais leem, creem, veem e em substantivos como enjoo e voo.

Já o acento agudo foi eliminado nos ditongos abertos “ei” e “oi” (antes "éi" e "ói”), dando nova grafia a palavras como colmeia e  jiboia.

O hífen deixou de ser usado em dois casos: quando a segunda parte da palavra começar com s ou r (contra-regra passou a ser contrarregra), com exceção de quando o prefixo terminar em r (super-resistente), e quando a primeira parte da palavra termina com vogal e a segunda parte começa com vogal (auto-estrada passou a ser autoestrada).

A grafia correta das palavras conforme as regras do acordo podem ser consultadas no Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (Volp), disponível no site da Academia Brasileira de Letras (ABL) e por meio de aplicativo para smartphones e tablets, que pode ser baixado em dispositivos Android, pelo Google Play, e em dispositivos da Apple, pela App Store.


Fonte : Agência Brasil.

Crise econômica faz público trocar o branco pelo amarelo no réveillon

O casal Eduardo e Fernanda Herrera, que veio de São Paulo acompanhados de dois amigos curtir a virada na orla da Zona Sul - Igor Mello / Agência O Globo

RIO - Tendo como pano de fundo a crise econômica que marcou 2015, as roupas amarelas rivalizam com o tradicional branco na Praia de Copacabana. Grupos inteiros chegam a praia para acompanhar a queima de fogos da virada de ano com vestidos com a cor que, segundo a superstição, traz prosperidade.

O casal Eduardo e Fernanda Herrera, que veio de São Paulo acompanhados de dois amigos curtir a virada na orla da Zona Sul foram alguns dos que optaram pelo amarelo. Segundo eles, a escolha da roupa é para ter um ano de 2016 com mais dinheiro no bolso.

— O amarelo foi para chamar dinheiro. Esse ano foi muito ruim, e a política agravou ainda mais a situação da economia — diz Fernanda.

A funcionária pública Denise Brito, de 30 anos, também escolheu amarelo para vestir.

— Além de ser uma cor de que eu gosto, pedir dinheiro é sempre bom, ainda mais depois de um ano desses.

A artista de rua Elisabete Celestino da Silva há três anos passa o réveillon incorporada no personagem Carla. Fábio Teixeira / Agência O Globo.
A artista de rua Elisabete Celestino da Silva há três anos passa o réveillon incorporada no personagem Carla, carregando seu boneco Carlinhos. Na Praia de Copacabana, ela tira fotos com turistas de todo o país. A pernambucana afirma que todo ano escolhe uma cor para suas vestimentas. A cor da vez foi amarelo.

— É pra chamar muita sorte, muito ouro. Mas o dinheiro não é o mais importante. O que precisamos é muita paz.

Apesar da crise, ela diz que o ano não foi ruim e que espera um 2016 melhor. Já prevê a cor na virada do ano que vem:

— Vai ser branco ou azul, pode apostar. Pra mim, desde que cheguei no Rio, não tem ano ruim. Já me considero carioca.

Cantor Dudu Nobre escolheu a cor amarelo para passar o réveillon. Fábio Teixeira / Agência O Globo.

Em relação ao ano passado, a percepção é de um maior número de pessoas que optaram por investir no amarelo e no verde para a virada. O cantor Dudu Nobre, que se apresenta às 0h15m, também chegou a Copacabana com uma camisa amarela escrito no peito “dindin”.

O vendedor de paus de selfie Filipe Tozzi Azevedo também apostou no amarelo para o réveillon. Fábio Teixeira / Agência O Globo.

Não é só quem está à lazer que aposta no amarelo. O vendedor de paus de selfie Filipe Tozzi Azevedo, 30 anos, escolheu uma regata amarela na hora de sair para tentar ganhar dinheiro no último dia do ano.

— Coloquei amarelo pra chamar dinheiro mesmo, sorte. Quem acredita na sorte é otimista, e eu sou brasileiro e não desisto nunca.

Filipe reconhece que as vendas desta virada ainda estão mais fracas que as de 2014. Às 22h 30 ele havia vendido 30 paus de selfie, por R $ 20 cada.

— No ano passado vendi uns 45 paus de selfie.

Fonte: O Globo.

Feliz 2016 ! Cortar o Tempo, por Carlos Drummond de Andrade


CORTAR O TEMPO

"Quem teve a ideia de cortar o tempo em fatias, a que se deu o nome de ano, foi um indivíduo genial. 
Industrializou a esperança fazendo-a funcionar no limite da exaustão. 
Doze meses dão para qualquer ser humano se cansar e entregar os pontos. 
Aí entra o milagre da renovação e tudo começa outra vez 
com outro número e outra vontade de acreditar que daqui para adiante vai ser diferente... 

Para você, Desejo o sonho realizado. 
O amor esperado. A esperança renovada. 
Para você, Desejo todas as cores desta vida. 
Todas as alegrias que puder sorrir. 
Todas as músicas que puder emocionar. 

Para você neste novo ano, 
desejo que os amigos sejam mais cúmplices, 
que sua família esteja mais unida, 
que sua vida seja mais bem vivida. 

Gostaria de lhe desejar tantas coisas... 
Mas nada seria suficiente... 
Então, desejo apenas que você tenha muitos desejos. 
Desejos grandes... 
e que eles possam te mover a cada minuto,
no rumo da sua FELICIDADE!!!"

Carlos Drummond de Andrade