sábado, 31 de outubro de 2015

Acidente com taxi de Surubim deixa vítima fatal; enfermeira está entubada no HR

Foto: Nielson Barbosa
Um acidente envolvendo um veículo da locadora Surubim Taxi, nas proximidades da localidade da Encruzilhada, município de João Alfredo, teve uma vítima fatal. O motorista teria perdido o controle do carro e colidiu com o poste. O veículo chegou a pegar fogo. O acidente aconteceu no início da manhã deste sábado (31). A vítima foi o técnico de enfermagem, Luís Carlos Barbosa, que trabalhava no Hospital do Coqueiro . 

SOBREVIVENTES -  o carro estava com outros quatro ocupantes, entre eles, a enfermeira Daniele Duda, que estava indo fazer um curso na capital, e foi socorrida, em estado grave, de helicóptero para o Recife. De acordo com o marido dela, radialista César Nascimento, ela está entubada, mas reagindo, no Hospital da Restauração. 


CORRENTE PELA VIDA - enfermeira Daniele Duda está entubada no Hospital da Restauração, foi socorrida, em estado grave, de helicóptero.


ADEUS - Amigos lamentam morte nas mídias sociais.

Outras fotos do acidente (blog Bom Jardim Notícias)












quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Rede Record mostra colapso de Jucazinho

Matéria do repórter Éverson Teixeira, da TV Clube/Record, mostra situação de colapso da Barragem de Jucazinho. 




quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Vídeo raro mostra Chacrinha em visita a Surubim.

Este vídeo, sobre o último adeus ao Surubinense Chacrinha, começa com imagens raras dele aqui na cidade. Abelardo Barbosa nasceu em 30 de setembro de 1917 e faleceu no Rio de Janeiro, no dia 30 de junho de 1988, às 23h30, de infarto do miocárdio e insuficiência respiratória (tinha câncer no pulmão) aos 70 anos . O último programa Cassino do Chacrinha foi ao ar em 2 de julho de 1988. O vídeo traz ainda depoimentos de populares e parentes do velho guerreiro. Chacrinha fala da homenagem que recebeu do prefeito Antônio Barros e se emociona ao lembrar a mãe. Confira : 




Chacrinha esteve em Surubim, a convite da Prefeitura, na gestão do então prefeito Antônio Barros, no final da década de 1970. 




Chimbinha anuncia nova dupla para projeto musical fora do Calypso



A assessoria do guitarrista Chimbinha confirmou, nesta quarta-feira (28), que o músico se dedicará a um projeto paralelo. Segundo seu gerenciador de crise, a empresa que tem como nome de fantasia "Banda Calypso" e pertence ao ex-casal está sendo disputada judicialmente, e por isso o guitarrista deverá formar dupla com a cantora Thábata Mendes, que deve ser apresentada oficialmente como nova parceira musical do artista no começo de novembro, quando o novo grupo será apresentado em uma entrevista coletiva.

Ainda de acordo com a assessoria de Chimbinha, Joelma - que já havia anunciado que iria seguir carreira solo como "Joelma Calypso" - terá de abrir uma nova empresa, já que não poderá utilizar a estrutura da empresa do casal para produzir seus shows.

A assessoria da cantora Joelma informou que existem dois contratos de trabalho entre ela e o ex-marido:  a J.C Locações, que é dividido meio a meio e cuida dos shows; e a  J.C Limitada, que pertece 60% a Joelma e corresponde ao nome de fantasia do grupo. Segundo a assessoria da cantora, mesmo sendo proprietária majoritária, Joelma não deverá se apresentar mais com o nome do grupo a partir de janeiro de 2016.

Até o dia 31 de dezembro a Banda Calypso deverá cumprir a agenda de shows agendados sem Chimbinha. Segundo a assessoria do guitarrista, Joelma já demonstrou que não se sente à vontade com ele no palco, e por isso deverá fazer shows sozinha, com um guitarrista substituto.

O nome da nova banda de Chimbinha ainda não foi divulgado. O G1 tenta contato com Thábata, mas ainda não foi atendido. Em seu perfil em uma rede social, a cantora natural de Mossoró, no Rio Grande do Norte, se define como uma cantora de sertanejo. A loira já se apresentou em festivais de axé music e lançou seu primeiro EP, entitulado "Flores", em 2011.
Fonte:G1-PA.

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Corte de R$ 10 bi tira 23 milhões de pessoas do Bolsa Família, diz ministra


A ministra Tereza Campello, do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, afirma que 23 milhões de pessoas terão que sair do Bolsa Família caso o Congresso faça um corte de R$ 10 bilhões no orçamento do programa. Ele atende hoje 50 milhões de brasileiros.

A medida é defendida pelo deputado Ricardo Barros (PP-PR), relator do Orçamento de 2016 no Congresso. "Outros 8 milhões entrariam de novo na pobreza extrema com o corte no valor dos benefícios", afirma Campello.

Segundo a ministra, ela está fazendo uma estimativa "até otimista" diante da magnitude do corte proposto pelo parlamentar. "Estou considerando as pessoas de renda mais alta do programa, e não os extremamente pobres. Ainda assim, são todas muito vulneráveis."

Ela também diz ser impossível adotar uma das medidas defendidas pelo parlamentar, de não preencher vagas do programa abertas com a saída de pessoas que começam a trabalhar. "Há muito desconhecimento sobre o Bolsa Família. Todos os meses, 100 mil famílias deixam o programa. É um número irrisório perto do que teremos que cortar caso essa proposta de corte prevaleça, o que eu não acredito que possa acontecer", diz Campello.

Além disso, afirma, "as pessoas dessa faixa de renda e vulnerabilidade entram e saem da pobreza rapidamente, e às vezes têm, sim, que voltar para o programa depois de deixá-lo por um tempo". Ela cita como exemplo um homem que arrume emprego em uma obra. Ele trabalha alguns meses, de forma temporária. E depois, desempregado, volta a receber a bolsa –o programa paga benefício médio de R$ 165 por família.

A ministra diz não acreditar que o Congresso efetive o corte. "Ainda mais em um momento de dificuldade econômica", afirma. Campello diz que não apenas as famílias que recebem os benefícios podem ser afetadas pela tesoura dos parlamentares, mas também a economia de pequenos e médios municípios. Nelas, setores de comércio e serviços são incrementados já que os integrantes do Bolsa Família fazem "a economia girar" ao comprar roupas e a contratar mais serviços, por exemplo.

Fonte: Folha de São Paulo.

Servidores do Estado que forem trabalhar o mês todo de bicicleta vão ganhar um dia de folga

O servidor poderá financiar a bike e kit de segurança no Bradesco, em até 72 meses, com juros de 2,9%  

O servidor do Governo do Estado vai ganhar um incentivo a mais para adquirir uma bicicleta nova com a finalidade de transporte diário ou mesmo lazer nos finais de semana. O secretário de Turismo, Esportes e Lazer de Pernambuco, Felipe Carreras, e o secretário de Administração, Milton Coelho, assinarão uma portaria, nesta terça-feira (26), às 9h, no Centro de Formação dos Servidores de Pernambuco (Cefospe), permitindo que os colaboradores adquiram o produto por meio de crédito consignado junto ao Banco Bradesco. 

No Projeto Pedala Servidor, além de terem a possibilidade de destinar até 8% do salário para o financiamento, os participantes ainda poderão adquirir o kit de segurança composto por capacete, luva e garrafa squeeze, e pagar em até 72 meses, com juros de 2,9%. A iniciativa faz parte do Pedala PE e está inserido no Programa Mais Servidor, que também será lançado também nesta terça-feira, durante a festa do Dia do Servidor.

Para motivar ainda mais os servidores que adquirirem as bicicletas a mudarem de hábito, o Governo do Estado vai lançar, também nesta terça-feira (27), o programa de incentivo ao uso da magrela para deslocamento ao trabalho. Nele, quem utilizar o meio de transporte para deslocar ao local de trabalho durante todos os dias úteis no mês vai ganhar um dia de folga no mês seguinte.

"Seremos o primeiro estado no Brasil a adotar esta prática. Desta forma vamos incentivar os servidores a deixarem o carro em casa para utilizarem a bicicleta. Podemos tirar uma parte dos veículos das ruas, melhora o trânsito e ainda contribuímos diretamente para uma melhora na saúde dos colaboradores", declarou o secretário Felipe Carreras.

Para realizar a compra, o servidor precisa se deslocar até uma loja credenciada, escolher a bicicleta, pegar o boleto de pagamento e levar até a agência do Bradesco, que fará o pagamento e liberará a entrega do equipamento. "Será algo muito simples e rápido. Nossa intenção é facilitar ao máximo a vida do comprador. Esta é uma oportunidade não apenas de se adquirir um meio de transporte, mas um meio de lazer para toda a família", finalizou Carreras.

A contagem dos dias para ganhar a folga no mês subsequente começa a partir do dia 3 de novembro, com cada órgão fazendo a própria gestão e controle da participação dos servidores. As vendas das bicicletas começarão a valer no dia 16 de novembro. A lista com os nomes das lojas credenciadas será divulgada nos próximos dias.

Fonte: Secretaria de Turismo de Pernambuco.

Lula, Serra, Alckmin e Ciro têm maior rejeição para 2018, aponta Ibope

Segundo pesquisa, 55% não votariam de jeito nenhum no ex-presidente.

Uma pesquisa realizada pelo Instituto Ibope entre os últimos dias 17 e 21 mostrou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva tem a maior rejeição e a maior certeza de voto entre possíveis candidatos na eleição presidencial de 2018. No levantamento, 55% dos eleitores disseram que não votariam no petista de jeito nenhum na próxima disputa presidencial.
Como a margem de erro da pesquisa é dois pontos para mais ou para menos, ele aparece tecnicamente empatado, em relação à rejeição, com o senador tucano José Serra (54%) e com o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE), ambos com 52%.
Em relação aos eventuais candidatos em quem os eleitores afirmaram que votam "com certeza", Lula é o mais mencionado (23%).
A pesquisa, de iniciativa do próprio Ibope, entrevistou 2.002 pessoas com mais de 16 anos aptas a votar em 140 municípios de todas as regiões do país.
A margem de erro estimada é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.
O nível de confiança é de 95% (de cada 100 pesquisas realizadas com a mesma metodologia, 95 chegariam a resultados dentro da margem de erro).

Rejeição
Os maiores índices de rejeição (eleitor diz que não votaria de jeito nenhum), segundo a pesquisa Ibope, são de:

- Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 55%
- Senador José Serra (PSDB-SP): 54%;
- Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB): 52%
- Ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE): 52%;
- Ex-ministra e ex-senadora Marina Silva (Rede): 50%;
- Senador Aécio Neves (PSDB-MG): 47%.

Certeza de voto
No levantamento, o Ibope também perguntou em quem os eleitores votariam com certeza:
- Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 23%
- Senador Aécio Neves (PSDB-MG): 15%
- Ex-ministra e ex-senadora 
Marina Silva  (Rede): 11%
- Senador  
José Serra (PSDB-SP): 8%;
- Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB): 7%
- Ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE): 4%;
Possibilidade de voto
Outra pergunta do Ibope foi em quais candidatos os eleitores poderiam votar:
- Ex-ministra e ex-senadora Marina Silva: 28%;
- Senador Aécio Neves: 27%;
- Senador José Serra: 24%;
- Governador de São Paulo, Geraldo Alckmin: 23%;
- Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: 18%;
- Ex-ministro Ciro Gomes: 16%.

Conhecimento
Os eleitores responderam ainda sobre quais candidatos não conhecem o suficiente para opinar. O resultado foi o seguinte:
- Ex-ministro Ciro Gomes (PDT-CE): 24%;
- Governador de São Paulo, 
Geraldo Alckmin (PSDB): 16%
- Senador José Serra (PSDB-SP): 11%;
- Ex-ministra e ex-senadora Marina Silva (Rede): 10%
- Senador Aécio Neves (PSDB-MG): 9%
- Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT): 2%
Fonte: G-1.

Em assembleias pelo país, bancários avaliam hoje proposta de reajuste de 10%


Bancários de várias cidades do país participam de assembleias, no final da tarde desta segunda-feira (26), para avaliar a proposta dos bancos de reajuste de 10% nos salários. O Comando Nacional dos Bancários orienta a aceitação da proposta e o fim da greve.

A Federação Nacional dos Bancos (Fanaban) propôs reajuste de 10% sobre salários, benefícios e participação nos lucros. A federação também propôs correção de 14% no vale-refeição e no vale-alimentação.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf), os banqueiros aceitaram abonar 63% das horas dos trabalhadores de 6 horas, de um total de 84 horas, e 72% para os trabalhadores de 8 horas, de um total de 112 horas.

Fonte: Jornal do Commercio.

Jucazinho: Compesa informa que 12 cidades serão abastecidas por Carros-Pipa

A Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) vai começar a explorar o volume morto da barragem de Jucazinho, em Surubim, no Agreste do estado. Uma captação por meio de bomba submersa está sendo instalada para conseguir captar a água restante da barragem, que hoje está acumulando 2,56% de sua capacidade total, que é de 327 milhões de metros cúbicos.
A previsão é que o sistema emergencial esteja funcionando em até 15 dias. Durante esse período, que começa a contar a partir deste sábado (24), as 12 cidades atendidas por Jucazinho ficarão sendo abastecidas por carros-pipa. O sistema emergencial para exploração do volume morto de Jucazinho faz parte do conjunto de obras que a Compesa está executando para reduzir o impacto que vem sendo causado pela maior estiagem dos últimos 50 anos no estado.
A captação do volume morto de Jucazinho será feita por uma captação por meio de uma bomba submersa, que atenderá ao ritmo de retirada, que é de até 250 litros por segundo.
Como a tomada d’água por gravidade da barragem já está quase à mostra, o que impossibilita a captação pelo método normal, as cidades atendidas por Jucazinho ficarão recebendo água por carros-pipa até que o sistema emergencial seja implantado, durante os 15 dias previstos. Após esse prazo, o abastecimento voltará a ser feito segundo o rodízio vigente.
O uso do volume morto vai permitir que a retirada de água seja mantida por mais quatro ou cinco meses, dentro do esquema de rodízio atual, para as 12 cidades envolvidas: Cumaru, Passira, Riacho das Almas, Santa Cruz do Capibaribe, Salgadinho, Surubim, Casinhas, Santa Maria do Cambucá, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Vertentes e Toritama, além do distrito de Ameixas. Caruaru, também no Agreste, continuaria sendo atendida pela barragem do Prata, enquanto Gravatá e Bezerros, pelos reservatórios de Brejinho, Cliper, Vertentes e Brejão.
O investimento para execução dessa obra é de R$ 1,3 milhão. Os recursos são provenientes do Governo do Estado e fazem parte do fundo para obras emergenciais de combate à seca. “Garantir água é o maior compromisso da Compesa e é por isso que estamos priorizando obras dessa natureza para evitar o colapso total do abastecimento nessas cidades do Agreste”, ressaltou o diretor  Regional  do Interior, Marconi Azevedo.
Fonte: Compesa.

OMS coloca bacon, linguiça e salsicha na lista de alimentos cancerígenos

Bacon é um dos produtos que entrou na lista de alimentos cancerígenos 
O consumo de produtos como salsicha, linguiça bacon e presunto, aumenta o risco de câncer do intestino em humanos, afirma um novo relatório da OMS (Organização Mundial da Saúde) publicado nesta segunda-feira (26). De acordo com o documento, a carne processada é um fator de risco certo para a doença, e carnes vermelhas de um modo geral são um fator de risco "provável".
As carnes processadas foram colocadas na lista do grupo 1 de carcinogênicos – que já inclui tabaco, amianto e fumaça de diesel – para os quais já há “evidência suficiente” de ligação com o câncer. O relatório foi feito pela IARC (Agência Internacional de Pesquisa do Câncer), órgão ligado à OMS.
Risco de câncer
"Para um indivíduo, o risco de desenvolver câncer colorretal em razão do consumo de carne processada permanece pequeno, mas esse risco aumenta com a quantidade de carne consumida", afirmou Kurt Straif, chefe de programa Monographs, do IARC, que avalia riscos para o câncer.
Um estudo de meta-análise -- que avaliou diversos outros estudos-- estima que cada porção diária de 50 gramas de carne processada aumente o risco de câncer colorretal em 18%. Esse tipo de câncer é hoje o segundo mais diagnosticado em mulheres e o terceiro em homens, e está matando 694 mil pessoas por ano (segundo dados de 2012 da OMS, os mais recentes).
A carne vermelha - grupo dentro da qual estão tecido muscular de boi, porco, carneiro, bode e cavalo - foi classificada como um carcinógeno (produto capaz de provocar câncer) "provável" e entrou na lista do grupo 2A, que contém o glifosato, princípio ativo de muitos herbicidas.
A definição do IARC para carne processada inclui produtos "transformados por salgamento, curagem, fermentação, defumação e outros processos para realçar sabor ou melhorar a preservação", afirma um artigo publicado por cientistas do IARC na revista médica "The Lancet", que acompanhou a divulgação do novo relatório.
Cachorro quente: carne processada.

Carne vermelha
"Essas descobertas dão mais suporte às recomendações sanitárias atuais para limitar o consumo de carne", afirmou Christopher Wild, diretor do IARC.

"Ao mesmo tempo, a carne vermelha tem valor nutricional", afirmou o médico, sugerindo que as novas recomendações não sejam encaradas de maneira alarmista. "Esses resultados, então, são importantes para permitir governos e agências regulatórias internacionais para conduzirem avaliações de risco, de modo a equilibrar riscos e benefícios de comer carne vermelha ou processada e para fornecer as melhores recomendações diárias possíveis."
"A maior parte das carnes processadas contém carne de porco ou boi, mas também pode conter outras carnes vermelhas, frango, carne de segunda (fígado, por exemplo), ou subprodutos da carne, como o sangue", afirma o artigo.
A classificação mais branda para a carne vermelha é reflexo de "evidências limitadas" de que ela causa câncer. O IARC descobriu ligações principalmente com o câncer de intestino, mas também observou associações com tumores no pâncreas e na próstata, afirmou.
Fonte: G-1.

Sport tem 6,7% de chance na degola do G-4; Corinthians tem título 99% na mão;


A rodada do Campeonato Brasileiro que se encerrou no fim de semana deixou o Corinthians com o título praticamente na mão, segundo o site Chance de Gol. Os cálculos apontam que a equipe de Tite tem 98,7% de chance de conquistar o título, enquanto o Atlético-MG possui 1,4%, e o Grêmio, quase 0%.
Faltando apenas seis rodadas e 18 pontos em disputa, o Corinthians lidera com 70 pontos, bem à frente dos concorrentes – o Atlético tem 62, e o Grêmio, 56. Na próxima rodada, líder e vice-líder se enfrentam em Belo Horizonte.
G-4 

Já a briga pelo G-4 está mais disputada: o Corinthians já está 100% garantido na Libertadores, enquanto o Atlético-MG tem 99,93% de chance de terminar entre os quatro primeiros. O Grêmio também está quase lá, com 92,6%. Daí para baixo, a briga esquenta.
Atual quarto colocado, com 50 pontos, o Santos aparece com 60,8% de chance de ficar com a última vaga. Em seguida, vem o Palmeiras – que, apesar de estar em oitavo, com 48 pontos, possui 13,3% de chance.
Os demais times com possibilidades palpáveis são: o São Paulo (50), com 12,1%; o Internacional (50), com 11%; o Sport (49), com 6,7%; e a Ponte Preta (47), com 2,9%. Já Flamengo e Cruzeiro, ambos com 44 pontos, têm menos de 1%.
Rebaixamento
Segundo as possibilidades, são seis os times que ainda têm chances consideráveis de cair: o lanterna Vasco (30 pontos) é o que está mais complicado, com 95,7% de probabilidade de rebaixamento. O Joinville (também com 30) é outro em péssima situação, com 89,7% de chance.
Em seguida, no grupo dos ameaçados, aparecem o Goiás (31 pontos), com 69,6%; o Coritiba (33), com 65,7%; o Avaí (34), com 57,7%; e o Figueirense (35), com 20,2%.
Já os times com chances bem pequenas de cair são a Chapecoense (39 pontos), com 1,1%; o Fluminense (40), com 0,2%; e o Atlético-PR (43), com míseros 0,03%.
Como funcionam os cálculos?
Segundo o Chance de Gol, as possibilidades são feitas "com base nas probabilidades de vitória, empate e derrota calculadas para cada um dos jogos ainda não realizados do campeonato em questão. A partir de milhares de simulações de todos esses jogos, são contabilizadas todas as possibilidades de cada uma das equipes".
Fonte: UOL.

Jarbas: "Dilma está desacreditada e vive 'no mundo da lua'.Cunha é corrupto e psicopata"

Representante da ala rebelde do maior partido da base aliada, o deputado federal e ex-governador de Pernambuco Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) afirma que o governo federal está envolto em um "mar de corrupção" e a presidente Dilma Rousseff (PT), "no mundo da lua".

Em entrevista ao jornal Folha de São Paulo, o deputado defendeu a renúncia de Dilma, mas disse que o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não tem legitimidade para conduzir um processo de impeachment, por ter sido denunciado sob acusação de envolvimento no esquema de corrupção na Petrobras.

Cotado como possível candidato à presidência da Câmara, Jarbas foi o único parlamentar do PMDB a assinar a representação que pede a cassação de Cunha, a quem chama de "psicopata" e acusa de "jogar dos dois lados".

Mas ele também não poupa o Congresso. "A Câmara é uma tragédia. Eu nunca vi coisa tão ruim." Leia a seguir trechos da entrevista.
*
Folha - Como o senhor vê a crise atual?
Jarbas Vasconcelos - Estou na política há mais de 40 anos e nunca vi nada parecido, um momento de degradação e deterioração, uma tempestade. Crise política arrastando crise econômica, moral e ética. E o mais grave é que não chegou ao fundo do poço, porque a crise não terminou nem vai terminar agora.
Há elementos para um impeachment de Dilma?
Não, acho que ainda não. O impeachment é um processo complicado, e é preciso ter o delito, que ainda não surgiu concretamente.
Então por que o senhor defende que ela renuncie?
Porque ela perdeu as condições de governabilidade, está desacreditada. Todos os Institutos dee pesquisa dão a ela dez pontos ou menos de aprovação. Ela perdeu a credibilidade a partir das mentiras feitas na campanha.
Quando ela mentiu?
Ao dizer que só tomou consciência da dimensão da crise em novembro. Ela sabia de tudo. Nos debates com Aécio, sabia que o país estava em crise, que não podia prometer aquilo nem fazer o que estava fazendo. O processo de mentira foi estendido para o pós-eleição.
Ela diz que não irá renunciar...
Ela não tem condição nenhuma [de governar], o país está mergulhado num mar de corrupção e ela, no mundo da lua. Está, neste momento, desajustada. Basta ver as falas dela, não têm nexo. O desemprego está campeando, a corrupção nunca foi tão grande. É evidente: ou sai pela renúncia ou pelo impeachment.
O sr. diz que não há elementos para impeachment. Se ocorrer, seria um golpe?
Não acredito que o impeachment ocorra sem que se votem antes as pedaladas no Congresso. Acho que a oposição vai ter que esperar, embora alguns entendam que a decisão do TCU já seja um elemento fundamental. E a gente está com a Operação Lava Jato em funcionamento e pode, a qualquer momento, bater dentro do palácio.
O vice Michel Temer também deveria sair?
Não, porque aí levaria o país para uma nova eleição e tenho certeza de que não vai dar certo abrir um novo processo eleitoral agora. Primeiro porque é fora do calendário eleitoral. Se você antecipa isso para 2016, é um atropelo. O país já está na exaustão, nos últimos estertores, a economia completamente liquidada, desceria ainda mais.
Como seria um governo Temer?
Ele pode procurar fazer uma travessia correta, honesta, assumir um compromisso claro de que não será candidato à reeleição, para que não se desencadeie um processo sucessório. Ele só pode fazer essa travessia se tiver o apoio de todos, deveria buscar o apoio até do PT mais sadio. E quando o PSDB diz que apoia Temer, mas não participa, é um apoio pela metade. O maior partido da oposição tem que participar.
O Michel reúne essas condições [para governar]. Eu estou inteiramente à vontade para dizer isso, mesmo que há dez anos eu não mantenha um diálogo político e partidário com ele, desde o apoio dele ao PT. Mas ele é o homem do diálogo, uma pessoa séria.
O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), pode conduzir um processo de impeachment?
Não tem a menor condição. Se ele não reúne condições de presidir a Câmara, como é que ele vai conduzir um processo de impeachment? Ele vai tirar qualquer legitimidade desse processo.
Esse cidadão é um debochado, agora passou a debochar das instituições. Ele é um psicopata. Não se confia numa pessoa sem caráter como ele. Ele joga dos dois lados. Quando ele diz que o maior escândalo de corrupção foi feito agora no governo do PT, é verdade, mas ele é um dos artífices disso, foi um dos que mais roubaram.
O senhor é o único deputado do PMDB que assinou o pedido de cassação dele. Por que poucos assinaram?
Porque ele tem um poder de mando na Câmara muito grande, os postos-chave estão ocupados por apadrinhados dele. A maioria é composta de pessoas medíocres, que não têm dimensão para comandar o que comandam.
Com todo esse apoio, há chances de ele ser cassado?
Existe. Ele controla a Mesa, controla comissões, mas o caso dele é tão contundente, de uma sem-vergonhice tão grande, que vai chegar a um ponto de não suportarem o Eduardo Cunha.
Esse comportamento de dizer de olhos arregalados que não vai sair é típico do psicopata. O psicopata nunca cede, ele vai até o final com aquela versão e com as mesmas palavras. Isso vai cansar. Vamos ver se a Câmara vai ficar com o rabo entre as pernas, envergonhada por algo que está percorrendo o mundo inteiro, um presidente de uma instituição desse jeito.
O sr. se arrepende de ter votado nele para presidir a Câmara?
É claro, eu votei nele porque a informação que eu tinha é que ele era um lobista, mas ele é muito mais que isso, é um corrupto comprovado. O problema não é de batom na cueca, é de batom na roupa toda. Votei nele para não ter um petista. Se eu tivesse o mínimo de informação do que ele fazia na Câmara...
Se Cunha sair, o senhor pretende se candidatar à presidência da Câmara?
Não vou discutir isso agora, é botar o carro diante dos bois.
O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), também é investigado. Ele deveria se afastar?
Não, porque não sei o que pesa contra ele.
Há críticas de que o Congresso age mais de acordo com interesses próprios do que pensando no bem do país, por exemplo, ao votar matérias para prejudicar o governo. O Congresso tem responsabilidade na crise?
Esse processo não é novo, vem de antes da ascensão do PT ao poder, mas se agravou muito a partir de 2003, com os petistas no governo. Esse processo se acumulou, se agravou. Infelizmente e desgraçadamente, é isso aí. A Câmara é uma tragédia. Eu nunca vi coisa tão ruim.
O relator do Orçamento propôs um corte de R$ 10 bilhões no Bolsa Família. Concorda?
Não tem que cortar tudo, mas reduzir e dizer claramente ao país: estou reduzindo essa política que o governo faz aos pobres. Não tem condições. Vamos primeiro recuperar o país e depois retomar o programa.
Qual é o sentimento no PMDB em relação a Dilma?
São 66 deputados, e em torno de 20 a 22 que querem sair do governo. Mas isso pode mudar, as pessoas estão sendo cobradas. Já vi depoimentos nos últimos dias de deputado que disse que está com dificuldade de ir para aeroporto ou para restaurante porque não tomou uma posição sobre o impeachment.
Há uma crise institucional?
O país, em termos de instituições, está funcionando. O Poder Judiciário está funcionando, sobretudo a primeira instância representada pelo juiz Sérgio Moro, e o próprio Supremo Tribunal Federal. O Congresso, bem ou mal, muito mais mal do que bem, mas funciona. Quem não funciona é o Poder Executivo.
-
RAIO-X JARBAS VASCONCELOS
IDADE
73 anos
CARGO ATUAL
Deputado federal pelo PMDB de Pernambuco, em 3o mandato
CARREIRA
Advogado, também foi governador de Pernambuco (1999-2006), senador (2007-2015) e prefeito do Recife por dois mandatos

Fonte: Folha de São Paulo.

domingo, 25 de outubro de 2015

Enem 2015 teve a menor abstenção desde 2009, diz ministro da Educação


A abstenção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2015 foi a menor registrada desde 2009, ano em que passou a ser utilizado como mecanismo de seleção para o ingresso no ensino superior. Este ano, o percentual de faltosos foi 25,5% dos 7,7 milhões de inscritos, enquanto em 2009 este número foi de 37,7% de 4,1 milhões.
Os dados foram repassados em coletiva de imprensa do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, sobre o balanço do Enem 2015, neste domingo (25). O ministro disse que espera que o número continue a baixar, após a decisão de que alunos que obtiveram isenção este ano e não justificaram falta não poderão solicitar isenção no ano que vem. Isto faz, inclusive, com que o MEC economize recursos, segundo Mercadante.
“Ainda é cedo para uma análise conclusiva, mas acredito que a o fim da isenção para quem faltar a prova e a motivação para passar no ensino superior levam os estudantes a faltar menos”, avaliou.
A nota do Enem está prevista para sair na primeira semana de janeiro. O gabarito das provas objetivas deve ser divulgado até quarta-feira (28). O ministro comentou o tema da redação do Enem, A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira. “Nos parece uma reflexão bastante interessante e estimulante para o Brasil, para nossa cultura, para os estudantes”, afirmou. O espelho das redações sairá após a divulgação das notas.
O total de eliminados este ano foi de 743 candidatos, sendo 677 por uso de equipamentos inadequados e 63 no detector de metal. No primeiro dia de provas, apenas uma estudante foi eliminada por postar fotos nas redes sociais. Hoje, este número foi de dois alunos. O número de eliminados também caiu em relação aos anos anteriores, segundo o ministro. Em 2014 e 2013, cerca de 1,5 mil foram eliminados.
Em 2015, houve um total de nove ocorrências médicas no Enem. Uma delas foi uma estudante entrou em trabalho de parto; o ministro não precisou onde isto ocorreu.
Este ano, houve interrupção temporária de energia em 23 locais de prova. O segundo dia de provas do Enem precisou ser cancelado na escola em regime de convênio Nossa Senhora do Rosário, na cidade de Marituba, no Pará, pois não houve possibilidade de contorno da situação.
Em Taió e Rio do Sul, em Santa Catarina, as provas foram canceladas nos dois dias, por causa das chuvas. Tanto os alunos do Pará como os de Santa Catarina farão novas provas, nos dias 1 e 2 de dezembro. Ao todo, 5.203 candidatos foram atingidos.
Fonte: NE-10.

Lava Jato freia contratação de Lula para dar palestras


Os efeitos da Operação Lava Jato atingiram os negócios do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, fazendo despencar suas palestras remuneradas. Num intervalo de 15 meses, de março de 2014, quando a investigação foi deflagrada, a junho de 2015, Lula foi contratado para apenas seis palestras –uma média de um evento pago a cada 75 dias.



2015
10
Não remuneradas
20
30
2011
2012
2013
2014
2015
jan.11 a mar.14 Antes da Lava Jato
Uma palestra remunerada a cada 18 dias

mar.14 a jun.15 Durante a Lava Jato
Uma palestra remunerada a cada 75 dias

Ao longo dos cinco primeiros meses de 2015, Lula foi remunerado por apenas uma palestra, bancada por uma cervejaria de Petrópolis (RJ).

O quadro era muito diferente antes de 20 de março de 2014, quando foi preso pela Polícia Federal o ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, dias após a deflagração da Lava Jato. De 2011 até aquela data, o ex-presidente havia proferido 64 palestras pagas, uma média de um evento remunerado a cada 18 dias.

Os dados constam de um dossiê entregue pelo Instituto Lula ao Ministério Público Federal no Distrito Federal, que investiga supostas irregularidades na relação de Lula com empreiteiras brasileiras e governos estrangeiros.


Quip (consórcio)
7
Odebrecht
5
Andrade Gutierrez
5
OAS
5
Camargo Corrêa
3
Queiroz Galvão
1
UTC
1
Quip (consórcio)

38,57% 
das palestras pagas foram financiadas por empreiteiras envolvidas na Lava Jato.

As empreiteiras envolvidas no escândalo da Petrobras praticamente desapareceram da carteira de clientes de Lula, que recebe por meio de uma microempresa, a LILS Palestras, Eventos e Publicações.

O último evento pago pelas empresas de construção civil –em uma viagem para Angola e Nigéria bancada pela construtora Norberto Odebrecht– ocorreu há mais de um ano, em maio de 2014. Até então, empreiteiros, incluindo Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, UTC Engenharia e Andrade Gutierrez, haviam assumido os custos de 26 palestras e viagens do ex-presidente.

Desde que os primeiros empreiteiros foram presos em decorrência da Lava Jato, em novembro de 2014, até junho passado, Lula não recebeu mais nenhuma palestra nem participou de nenhuma viagem paga por essas empresas. No mesmo período, de cinco palestras realizadas, o ex-presidente não foi remunerado em três ocasiões. Antes da Lava Jato, as empreiteiras bancaram 38,6% das palestras remuneradas do ex-presidente.

Na investigação, o Ministério Público não indagou ao Instituto Lula os valores recebidos por cada palestra. Reportagem da revista "Veja" de agosto, que citou documento do Coaf, órgão de inteligência financeira vinculado ao Ministério da Fazenda, indicou que a empresa de palestras de Lula obteve R$ 27 milhões nos últimos quatro anos –a cifra não foi contestada pelo Instituto Lula.

Segundo a documentação enviada pelo Instituto Lula aos procuradores da República, nas viagens patrocinadas por empresas e também por alguns governos, Lula reuniu-se com líderes políticos como o ex-presidente norte-americano Bill Clinton e o ex-primeiro ministro francês François Hollande. Em 2013 e 2014, Lula esteve duas vezes com o ex-ditador cubano Fidel Castro e seu irmão, Raúl.

TELEGRAMAS - Telegramas sigilosos produzidos pelo Itamaraty e também enviados ao Ministério Público registram parte da movimentação de Lula no exterior. Um deles, classificado como secreto, traz uma descrição de Lula sobre Fidel após o encontro de 2013.

O embaixador brasileiro em Havana, José Eduardo Felicio, disse que Lula lhe contou que "o comandante lhe pareceu muito debilitado". Segundo Lula, Fidel tinha dificuldades de locomoção e "intelectualmente não demonstra incoerência, mas está repetitivo". "Em tom de lamento, o ex-presidente [Lula] expressou: 'Fidel já é história'", escreveu o embaixador.

OUTRO LADO - A assessoria do Instituto Lula disse que o ex-presidente Lula se dedicou mais, em 2014, "às atividades políticas" por se tratar de um ano eleitoral e, em 2015, ao instituto e "a discutir o Plano Nacional de Educação".

O instituto afirmou que o foco do ex-presidente "não é o lucro, diferente de uma empresa privada como o Grupo Folha, que publica o Jornal Folha de São Paulo, mas sim "trabalhar pelo Brasil, sempre dentro da lei". "Fazer palestras é apenas o exercício legal e legítimo que ele tem de ter um trabalho e uma fonte de renda".

Segundo o Instituto, Lula "fez um número maior de palestras em 2011, depois reduziu suas atividades para se tratar de um câncer e para participar das eleições municipais de 2012. Em 2013 fez mais palestras novamente. Em 2014, ano eleitoral, o ex-presidente se dedicou mais às atividades políticas".


O Instituto criticou o acesso que o jornal Folha de São Paulo teve aos documentos enviados pela entidade ao Ministério Público.

Fonte: Folha de São Paulo.

Lula chega aos 70 anos sem motivos para festejar


Com faixas e bandeiras do PT, centenas de pessoas tomaram o gramado na frente do Palácio do Alvorada. Ovacionado, Lula subiu ao palco, ao lado da então primeira-dama Marisa, para o “parabéns” seguido de um discurso marcado pela emoção. Aquela foi apenas uma das quatro festas de comemoração pelos 65 anos do petista. Cinco anos depois, o clima é outro. Na terça-feira, quando completará 70 anos, o ex-presidente deve optar por uma celebração discreta, restrita a parentes, amigos mais próximos e funcionários de seu instituto.

Um grupo de aliados chegou a iniciar os preparativos para uma festa em São Bernardo do Campo (SP), berço do PT, mas o próprio Lula barrou a iniciativa. A avaliação é que o clima de apreensão não permite grandes celebrações, e que ainda haveria o risco de adversários aproveitarem a oportunidade para protestar.

Citado nas investigações da Operação Lava-Jato, com a popularidade arranhada, com o partido que ajudou a criar em crise, e decepcionado com os rumos do governo da pessoa que escolheu para sucedê-lo, Lula tem dito que o momento não é de comemoração, mas, sim, de empenho para melhorar o quadro.

A grande incógnita sobre o futuro de Lula está ligada à sua candidatura presidencial em 2018. O ex-presidente já declarou que pode concorrer, mas seus aliados acreditam que ele só entrará mesmo na disputa se o cenário for favorável. "É muito cedo (para decisão sobre candidatura em 2018)", diz o deputado federal Arlindo Chinaglia (SP), um dos petistas que frequentam o Instituto Lula.

PESQUISAS ANIMADORAS - As últimas pesquisas não foram animadoras para a viabilização da candidatura do principal líder do PT. Os 83% de aprovação de seu governo, registrados na época do aniversários de 65 anos, em 2010, são coisa do passado. Levantamento do Datafolha, divulgado em junho, mostra Lula atrás de Aécio Neves (PSDB) em um cenário, e empatado com Marina Silva (Rede) em outro.

Para o cientista político Carlos Melo, professor do Insper, a chance de recuperação está nas mãos da presidente Dilma. "Ele precisa que o governo Dilma reaja, com melhora da economia", avalia Melo.

Na festa de 65 anos, os petistas gritavam “Lula, o seu presente é Dilma presidente”. Cinco anos depois, o ex-presidente enfrenta uma série de dificuldades no relacionamento com a aliada. Pouco ouvido por Dilma, resta a ele trabalhar nos bastidores pela fritura de ministros que não lhe agradam, como Joaquim Levy. Segundo um aliado, a entrevista do presidente do PT, Rui Falcão, sugerindo a saída do ministro da Fazenda faz parte de uma ação articulada com o ex-presidente. "É óbvio que ele está decepcionado (com Dilma)", conta um petista próximo.

ECONOMIA X LAVA-JATO - Para Carlos Melo, as dificuldades da economia atrapalham Lula até na hora de esclarecer as citações ao seu nome na Operação Lava-Jato. "No momento em que Lula estava bem, nenhuma denúncia colou. Ele praticamente se ajoelhou e pediu perdão por causa do mensalão, e o eleitor aceitou", avalia Melo.

No seu instituto, na Zona Sul de São Paulo, Lula recebe diariamente de banqueiros a líderes sindicais. Para um antigo aliado, o Lula pós-presidência ampliou seu leque de interlocutores e amigos. É justamente um desses amigos, o pecuarista José Carlos Bumlai, a fonte de problemas no momento.

Em delação premiada divulgada na semana passada, o lobista Fernando Soares, o Fernando Baiano, disse que Bumlai lhe pediu R$ 2 milhões para que uma das noras de Lula pudesse comprar um apartamento. O ex-presidente nega. Apesar do cenário adverso, nenhum dos aliados de Lula vê desânimo no ex-presidente.

"É claro que o mar não está para peixe para o PT. Mas ele é forte para os embates", diz Chinaglia. Depois que se recuperou de um tratamento contra o câncer na laringe detectado em 2011, o ex-presidente tem se exercitado diariamente. "Ele está melhor do que eu", afirma Roberto Kalil, médico do ex-presidente.


Fonte: O Globo.