segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Prefeito eleito de Lagoa dos Gatos garante R$ 1 milhão de recursos


O deputado federal e presidente estadual do Progressistas, Eduardo da Fonte, recebeu a visita do atual prefeito de Lagoa dos Gatos, Misso de Amparo, e do prefeito eleito, Stênio Fernande.

No encontro, o deputado anunciou a liberação de R$ 1 milhão, por meio de emenda parlamentar para o município, de 16.131 habitantes (IBGE), no Agreste Central, a 130 Km do Recife.

O novo prefeito começa a gestão com os recursos para investimentos em Saúde, perfuração de cinco poços artesianos completos, além da compra de uma máquina retroescavadeira, para incentivar o trabalho dos pequenos produtores rurais.

Da Assessoria de Imprensa.

COVID-19: Armando Monteiro testa positivo pela segunda vez

O ex-senador, Armando Monteiro, testou positivo para o novo coronavírus na última terça-feira(24/11). 

De acordo com a assessoria de imprensa, ele está clinicamente bem, sendo medicado e acompanhado mais de perto por médicos no Hospital Português, onde foi internado no último domingo.

Em março, Armando já foi infectado pelo novo coronavírus e, na ocasião, não teve sintomas graves. A medida de internação é preventiva e se deu por se tratar de um paciente que reinfectou-se.

domingo, 29 de novembro de 2020

João Campos, no Recife, será o prefeito mais novo e Dr. Pessoa, em Teresina, o mais velho entre as 26 capitais do país

Aos 27 anos,  João Campos (PSB), eleito prefeito do Recife(PE), será o político mais novo a comandar uma capital do país. E, aos 74 anos, Dr. Pessoa, eleito para governar Teresina (PI), é o mais velho entre os prefeitos das capitais. 

Há três prefeitos entre os 30 e os 39 anos: JHC, de Maceió (AL), tem 33; Delegado Pazolini, de Vitória (ES), tem 38; e Arthur Henrique, de Boa Vista (RR), tem 39. 

Depois disso, há cinco prefeitos eleitos entre 40 e 49 anos; seis entre 50 e 59; oito entre 60 e 69; e dois com mais de 70.

A média de idade dos prefeitos das 25 capitais que já definiram as eleições é de 53 anos. As eleições em Macapá foram adiadas, em razão das restrições no fornecimento de energia que atingem o estado. Mas nenhum dos concorrentes é mais novo que Campos ou mais velho que Dr. Pessoa. 

O número é superior à média geral dos prefeitos eleitos pelo Brasil: 49 anos. 

Do G1

Derrotada no Recife, Marília culpa fake news e quer PT na oposição em PE

JC Imagem


Derrotada hoje pelo primo João Campos (PSB) na disputa pela Prefeitura do Recife, a deputada federal Marília Arraes (PT) fez um discurso em que criticou a campanha do adversário, que teria usado fake news e ataques para ganhar a eleição. 

“Vai começar uma nova articulação de oposição em Pernambuco. Não podemos nos articular com um grupo que não somente faz tão mal na gestão, mas trata a política da forma que tratou. Vai fazer oposição com responsabilidade. Também estou muito feliz porque vimos reacender a esperança de muita gente, várias pessoas irem para a rua de verdade com vontade de votar, com gosto de votar”, declarou.

"Tenho a consciência tranquila que fizemos uma campanha tranquila, limpa. O adversário começou o segundo turno baseado em fake news, fazendo diversos ataques Marília Arraes (PT)", disse a candidata derrotada à prefeitura do Recife.

"Lutamos contra duas máquinas [dos governos estadual e municipal] desde 2016; chegamos aqui ao final do segundo turno com votação expressiva, o que mostra a insatisfação com a atual gestão", afirmou. 

Durante a campanha, Marília foi alvo de ataques, em especial de cunho religioso. Ela foi à Justiça várias vezes e conseguiu retirar propagandas do adversário do ar.

Ainda em sua fala, Marília disse que aceitou o resultado com naturalidade. 

"Democracia, a gente respeita. Mas aqui vai começar uma nova articulação da oposição no estado de Pernambuco. Não temos condições de ficar com um grupo que faz má gestão do estado e do município. Aqui começa um novo capítulo da história do estado", afirmou. 

No caso, o PT é aliado e tem integrantes de primeiro escalão no governo estadual do PSB, de Paulo Câmara. 

Sobre a campanha, ela agradeceu a militância "apaixonada" que fez campanha para ela e disse que espera ver mais mulheres na política.

"Estou muito feliz com tudo o que nós fizemos, com todo o debate e conhecimento que tenho de uma pessoa que vive e conhecimento que tenho de uma pessoa que vive e trabalha pelo Recife", disse. 

"Também [estou feliz] porque nunca uma mulher na cidade tinha conseguido chegar ao segundo turno. Esse é um grande avanço. Quero que mais mulheres estejam nesses espaços. Que inspire outras mulheres à política. Essa é outra grande vitória", completou Marília Arraes.

Do G1 e Uol.

João Campos atenua tom, prega união e dedica vitória ao pai Eduardo

O prefeito eleito hoje no Recife, João Campos (PSB), fez um discurso conciliador e de união ao lado de sua família. Ele se emocionou ao fazer uma homenagem ao pai Eduardo Campos (morto em acidente aéreo em 2014) e arrancou lágrimas da mãe, a viúva Renata Campos. 

"Não tem como vir aqui hoje celebrar essa vitória e não lembrar daquele que é minha referência na política, como pessoa, como cidadão, que é meu pai, Eduardo Campos João Campos (PSB)", disse o prefeito eleito do Recife.

"Meu pai me disse uma vez: sempre que puder ajudar uma pessoa, faça sem esperar nada em troca. E sempre que fizer alguma coisa na vida, faça bem feito. É assim que vamos governar o Recife", completou. 

João obteve 56,27% dos votos (447.913) e Marília Arraes (PT), 43,73% (348.126). Votos nulos somaram 9,17% e os brancos, 3,48%. 

O prefeito eleito estava acompanhado também do governador Paulo Câmara (PSB), do prefeito Geraldo Julio (PSB) e da deputada federal por São Paulo e namorada Tabata Amaral (PDT).

Após uma campanha repleta de ataques e críticas ao PT, João aproveitou para fazer um discurso conciliador. Sem citar a candidata derrotada —sua prima Marília Arraes (PT)—, ele disse, ao agradecer a sua vice Isabella de Roldão (PDT), que fará um governo com destaque para as mulheres. 

"Meu coração hoje só tem dois sentimentos: de gratidão e de esperança. Quero agradecer aqueles que votaram em mim, mas aqui eu também quero agradecer a todos os recifenses porque, a partir de agora, fomos eleitos para ser o prefeito de todos os recifenses. Nós governaremos para todos", disse.

Em um auditório lotado de um hotel na zona sul do Recife, ele ainda pregou união no governo. 

"O povo do Recife confiou, e agora chegou a nossa hora: vamos mostrar que se faz política se unindo; que se faz política olhando nos olhos, que se faz política enfrentando cada um dos desafios da cidade. A razão verdadeira de disputar a eleição é saber que a gente pode fazer muito ainda pela cidade do Recife", afirmou. 

Apesar dos ataques, PT e PSB são aliados em âmbito estadual no governo Paulo Câmara (PSB).

Do Uol.

SUPLENTE: Ex-vice de João da Costa(PT), Milton Coelho(PSB), ganha dois anos em Brasília


Com a eleição de João Campos para prefeito do Recife, a vaga dele na Câmara dos Deputados passa a ser ocupada pelo primeiro suplente da Frente Popular, Milton Coelho(PSB).

Na eleição de 2018, ele teve 43.649 votos (1,01% dos votos válidos). Teve 31 votos em Surubim. Foi vice prefeito do Recife na gestão de João da Costa(PT), entre 2009 e 20012.

Foi secretário na segunda gestão de Eduardo Campos (2012 a 2014) e de Administração do primeiro governo Paulo Câmara (2015 a 2018).

Desde quando perdeu a eleição para deputado federal, ocupava a chefia de Gabinete do governador Paulo Câmara. 

Da Redação.

Yves Ribeiro será prefeito pela sétima vez, sendo terceiro mandato em Paulista


Além do Recife, em Pernambuco, houve segundo turno em Paulista, na Região Metropolitana: Yves Ribeiro, do MDB, foi eleito para o terceiro mandato, com 57,52% dos votos válidos ou 83.678 votos.  

Agora, ele se igualha ao até então recordista, ex-prefeito Geraldo Pinho Alves, que governou Paulista por três vezes.

Esta é sétima vez que Yves Ribeiro comanda uma prefeitura. Ele chamado de prefeito itinerante, por se eleger em três cidades da Região Metropolitana do Recife:

Itapissuma (1982 a 1986 e 1993 a 1996);  Igarassu (1997 a 2000 e 2001 a 2004) e Paulista (2005 a 2008 e 2009 a 2012).

Na eleição deste ano, Yves Ribeiro derrotou Francisco Padilha(PSB), que ficou em segundo lugar, com 42,48% (61.931 votos). 

O segundo turno da eleição em Paulista teve 21,73% de abstenção, 4,16% votos brancos e 9,95% votos nulos. 

No primeiro turno, Yves teve 51.351 votos ou 34,98%, contra 38.372 ou 26,14%. de Padilha, candidato do atual prefeito, Júnior Matuto. 

O vice de Yves é Dido Vieira, do MDB, que tem 40 anos. Yves Ribeiro de Albuquerque tem 72 anos, é casado e tem seis filhos. 

Da Redação, com G1-PE.

Eleição foi a mais tranquila dos últimos tempos, diz presidente do TRE-PE

O segundo turno das eleições 2020 no Recife e em Paulista, na Região Metropolitana, foi das votações mais tranquilas dos últimos tempos, de acordo com o presidente do Tribunal Regional Eleitoral em Pernambuco (TRE-PE), Frederico Neves.

Pouco depois das 17h, ele afirmou que, em todo o pleito, houve duas urnas quebradas, uma mesária presa em Paulista e algumas denúncias de compra de votos.

“Nunca ninguém viu eleições mais tranquilas do que essas em Pernambuco. Estou dizendo isso graças à experiência das pessoas do TRE-PE, que estão acostumadas a vivenciar as eleições. Em tempos de pandemia, com toda a dificuldade que o TRE enfrentou, essas eleições foram das mais tranquilas dos últimos tempos”, afirmou o desembargador.

Frederico Neves informou que houve uma urna quebrada em Paulista e outra no bairro de Casa Amarela, Zona Norte do Recife.

“Um dos problemas foi de teclado, na digitação. Esse teclado foi substituído. Outro problema foi na zerézima, o documento expedido pela urna, que atesta que a urna está totalmente zerada. Não foi possível emitir e ela foi substituída”, declarou. 

No caso da mesária presa em Paulista, o desembargador afirmou que a mulher estava, dentro de um local de votação, tentando angariar votos para um determinado candidato.

“É preciso apurar isso com mais verticalidade, mas a mesária não estava a se comportar adequadamente, estava aliciando alguns eleitores, dentro do local de votação. Esse fato foi denunciado e ela foi imediatamente retirada do local. O juiz decretou a prisão da mesária, e é assim que deve ser. As pessoas devem cumprir as leis, eu sou intransigente nesse ponto. Ela haverá de responder pelas suas atitudes e cumprir com as determinações da justiça eleitoral”, disse.

Do G1-PE.

RECIFE: João Campos é eleito o mais jovem prefeito de capital no país




Aos 27 anos, comemorados nesta quinta(26) de novembro, João Campos(PSB) é o mais jovem prefeito de capital, eleito nas eleições municipais de 2020, e mais jovem da história do Recife. Ele venceu a eleição contra a candidata do PT e prima dele, Marília Arraes.

Com 100% das urnas apuradas, João Campos(PSB) teve 56,27% dos votos válidos (447.913 votos), contra 43,99% de Marília Arraes(PT), que ficou com 319.797 votos.


A diferença é de 12,28% ou de 128.122 votos. As pesquisas de opinião do Ibope e do Datafolha, mostraram os candidatos empatados, na véspera da eleição. 

João Campos é filho e herdeiro político do ex-governador (por duas vezes) Eduardo Campos, morto num acidente aéreo (13 de agosto de 2014, aos 49 anos), e bisneto do ex-prefeito do Recife(eleito em 1959) e também governador (por três vezes), Miguel Arraes. 

Ele é formado em engenharia civil pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), em 2016. Foi chefe de gabinete do governador Paulo Câmara(PSB). 

Disputou a primeira eleição em 2018, sendo o deputado federal mais votado da história de Pernambuco, com 460.387 votos. 

Bateu o recorde de Miguel Arraes, que, em 1990, teve 339.158 votos para Câmara.

A prefeitura do Recife foi a primeira disputa majoritária de João Campos. e a sétima vez que o PSB conquista a prefeitura do Recife.

Antes dele, Pelópidas Silveira foi prefeito três vezes (1946, 1955-1960 e 1963-1964), Jarbas Vasconcelos uma vez (1986-1988) e duas vezes com Geraldo Julio (2013-2016 e 2017-2020).

Da Redação, com informações do G1 e Folha de São Paulo. 

Recife: Datafolha projeta vitória de João Campos(PSB)


O instituto Datafolha acaba de projetar a vitória do candidato João Campos para prefeito do Recife, de acordo com informações da Globo News.

De acordo com o mais recente boletim do TRE, com 56,30% dos votos apurados, João Campos tem 55,14% dos votos válidos, contra 44,86% de Marília Arraes(PT).

Da Redação.

Recife, esquerda volver

A exemplo do primeira eleição deste século, a eleição de hoje para Prefeitura do Recife poderá ser decidida no voto a voto.

De acordo com as últimas pesquisas de intenção, os primos candidatos Marília Arraes(PT) e João Campos(PSB) chegam empatados neste segundo turno. 

No Recife, tendência é dar João Campos, do PSB", diz Mírian Leitão, em O Globo.

Em 2000, João Paulo(PT), ganhou por menos de 1% de diferença do prefeito Roberto Magalhães(PFL - hoje, Dem). A matéria da Folha de São Paulo destacou:

"O segundo turno em Recife decidiu-se no olho mecânico. O deputado estadual João Paulo (PT), 47, derrotou o adversário, Roberto Magalhães (PFL), 67, na disputa pela prefeitura da cidade. Com todas as urnas apuradas, João Paulo teve 50,38% dos votos válidos. Magalhães, 49,62%", diz o texto.

Este ano, pela primeira vez, a disputa não ocorre entre os campos opostos. Os candidatos Mendonça Filho e delegada Patrícia, os mais competitivos da chamada direita, ficaram fora do segundo turno.

Tanto Marília Arraes(PT) quanto João Campos(PSB) disputam a prefeitura por partidos da chamada esquerda. Ambos possuem o DNA (neta / bisneto) do ex-prefeito do Recife, Miguel Arraes, eleito prefeito do Recife em 1959, considerado mito das lutas democráticas do país.   

João Campos(PSB) também é herdeiro político do ex-governador Eduardo Campos, morto num acidente aéreo. 

Assim, o Recife segue com o Executivo comandado pelas forças progressista, sendo estratégica para as eleições estadual e presidencial. 

Da Redação.

"No Recife, tendência é dar João Campos, do PSB", diz Mírian Leitão, em O Globo


Há eleições empatadas numérica ou tecnicamente, mas estou ouvindo especialistas que começam a apontar tendências. Nessas cidades divididas, as emoções estão no máximo: Recife, Porto Alegre e Vitória.

O que os analistas dizem é que no Recife a tendência é dar João Campos, do PSB. Em Porto Alegre, a Manuela, do PCdoB, tem maior chance de ganhar. Vitória é uma guerra de rejeições, mas com alguma vantagem, segundo me contaram duas fontes, ao delegado.

A rejeição ao delegado Pazolini cresceu nos últimos dias e isso é que leva a disputa a ficar bem equilibrada neste dia da eleição. Pazolini é ligado ao bolsonarismo através do ex-senador Magno Malta. Ele participou da invasão de hospital a pedido de Bolsonaro. E o suplente dele, Madureira, foi braço direito do que houve de pior na política capixaba: José Carlos Gratz. Se ele se eleger, Madureira vira deputado. A exposição dessas vinculações foi tirando sua vantagem e levando a disputa ao empate técnico.

Por outro lado, há muita rejeição ao PT no Espírito Santo, o governador Renato Casagrande preferiu não apoiar publicamente nenhum dos candidatos, mas grande parte da sua equipe apoiou João Coser, do PT. Coser tem a vantagem da experiência de prefeito e tem capacidade de diálogo com outras tendências políticas e foi o que o fez crescer. Mas a disputa é acirrada.

No Recife, a força do PSB dá vantagens a João Campos, e em Porto Alegre a campanha de Manuela avança, segunda essas fontes.

Por Mírim Leitão, O Globo.

sábado, 28 de novembro de 2020

Pesquisa Ibope para o 2º turno no Recife, votos válidos: João Campos, 50%; Marília Arraes, 50%


Pesquisa Ibope divulgada neste sábado (28) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos para a prefeitura do Recife, no 2º turno das Eleições 2020: 

João Campos (PSB): 50%

Marília Arraes (PT):50%

Em relação aos levantamentos anteriores do Ibope, divulgados em 18 de novembro e em 25 de novembro:

João Campos (PSB): tinha 47%, subiu para 51% e, agora, tem 50%

Marília Arraes (PT): tinha 53%, desceu para 49% e, agora, tem 50%

O percentual de votos válidos de cada candidato corresponde à proporção de votos do candidato sobre o total de votos, excluídos os votos brancos, nulos e indecisos.

VOTOS TOTAIS: Nos votos totais, que incluem os eleitores indecisos e os que pretendem votar em branco ou nulo, os resultados foram os seguintes: 

João Campos (PSB): 42%

Marília Arraes (PT): 42%

Branco/nulo: 14%

Não sabe: 2%

Em relação aos levantamentos anteriores do Ibope, divulgados em 18 de novembro e em 25 de novembro:

João Campos (PSB): tinha 39%, subiu para 43% e, agora, tem 42%

Marília Arraes (PT): tinha 45%, desceu para 41% e, agora, tem 42%

Branco/nulo: tinha 15%, se manteve em 15% e desceu 14%

Não sabe: tinha 1%, subiu para 2% e se manteve em 2%

SOBRE A PESQUISA:

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Entrevistados: 1.204 eleitores do Recife

Quando a pesquisa foi feita: entre 27 e 28 de novembro

Registro no TRE: PE-02002/2020

Contratantes da pesquisa: TV Globo e "Jornal do Commercio"

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Do G1-PE.

Pesquisa Datafolha para o 2º turno no Recife, votos válidos: João Campos, 50%; Marília Arraes, 50%


Pesquisa  Datafolha divulgada neste sábado (28) aponta os seguintes percentuais de intenção de votos válidos para a prefeitura do Reciife, no 2º turno das Eleições 2020:

João Campos (PSB) 50%

Marília Arraes (PT): 50%

Em relação aos levantamentos anteriores do Datafolha, divulgados em 19 de novembro e em 26 de novembro:

João Campos (PSB): tinha 45%, subiu para 48% e, agora, tem 50%

Marília Arraes (PT): tinha 55%, desceu para 52% e, agora, tem 50%

O percentual de votos válidos de cada candidato corresponde à proporção de votos do candidato sobre o total de votos, excluídos os votos brancos, nulos e indecisos. 


VOTOS TOTAIS:

Nos votos totais, que incluem os eleitores indecisos e os que pretendem votar em branco ou nulo, os resultados foram os seguintes: 

João Campos (PSB): 42%

Marília Arraes (PT): 42%

Branco/nulo/nenhum: 12% 

Não sabe: 4% 

Em relação aos levantamentos anteriores do Datafolha, divulgados em 19 de novembro e em 26 de novembro: 

Marília Arraes (PT): tinha 41%, subiu para 43% e, agora, tem 42%

João Campos (PSB): tinha 34%, subiu para 40% e, agora, tem 42%

Branco/nulo/nenhum: tinha 21%, desceu para 13% e, agora, 12%

Não sabe: tinha 3%, subiu para 4% e se manteve em 4% 


NÚMERODO CANDIDATO: A pesquisa também perguntou aos eleitores o número que eles pretendem digitar na urna eletrônica para confirmar ou anular o voto para prefeito do Recife. Confira os números: 

Total de entrevistados

Menções corretas: 93%

Incorretas: 1%

Não sabe o número: 4% 

Não sabe anular: 2%

Marília Arraes

Menções corretas: 96%

Incorretas: 1%

Não sabe: 3%

João Campos

Menções corretas: 93%

Incorretas: 1%

Não sabe: 6%

As perguntas cujas somas das porcentagens não totalizam 100% são decorrentes de arredondamentos ou de múltiplas respostas.

SOBRE A PESUISA:

Margem de erro: 2 pontos percentuais para mais ou para menos

Entrevistados: 1.803 eleitores do Recife

Quando a pesquisa foi feita: entre 27 a 28 de novembro

Registro no TRE: PE-08731/2020

Contratantes da pesquisa: TV Globo e jornal "Folha de S.Paulo"

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 2 pontos, para mais ou para menos.

Do G1-PE.

Pernambuco tem a menor taxa de mortalidade infantil do Norte/Nordeste, diz IBGE


Pernambuco é o estado com a menor taxa de mortalidade infantil do Norte/Nordeste. Dados divulgados nesta sexta-feira (27.11), pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostram que iniciativas como o Programa Mãe Coruja e campanhas de vacinação têm dado resultados positivos. Segundo o IBGE, Pernambuco aparece entre os dez estados brasileiros com menor probabilidade de uma criança não completar um ano de idade. A taxa pernambucana em 2019 foi de 11,4%, a menor já registrada no estado e menor, inclusive, que a média nacional, que ficou em 11,9%.

Em 2006, Pernambuco figurava entre os dez estados com maior taxa de mortalidade infantil do País. Em 13 anos, o índice recuou 48%. Cinco pontos acima da taxa média nacional no mesmo período, que caiu para 43%. Como explicação para a queda da mortalidade infantil ao longo dos anos, o IBGE cita a atenção ao pré-natal, campanhas de vacinação em massa, aleitamento materno, a presença de agentes comunitários de saúde e programas de nutrição infantil. Outros fatores são o aumento de renda, da escolaridade e da proporção de domicílios com saneamento adequado. 

“Ações de prevenção que acontecem em todo o estado, como as campanhas de vacinação e o Mãe Coruja, são alguns dos fatores que ajudam a explicar a redução da taxa de mortalidade infantil em Pernambuco e, consequentemente, nossos índices estão entre os melhores do País. Ainda temos muito o que avançar, mas esses números mostram que estamos no caminho certo”, analisou o governador Paulo Câmara.

MÃE CORUJA – O Mãe Coruja é um dos programas sociais brasileiros de referência na área materno-infantil. É premiado pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Organização dos Estados Americanos (OEA) como modelo de Gestão de Política Pública. Presta atenção integral às mães pernambucanas usuárias do Sistema Único de Saúde (SES) e a seus bebês, antes e depois do nascimento. 

Ao todo, 211 mil mulheres foram cadastradas entre os anos de 2007 e 2020 no Mãe Coruja. O programa está em 102 municípios do Estado e na Ilha de Fernando de Noronha. Um total de 188 mil crianças foram acompanhadas desde o início das atividades. 

VACINAÇÃO – Na última quinta-feira (26.11), Pernambuco bateu a meta mínima de 95% de crianças vacinadas na campanha de vacinação contra a poliomielite, tornando-se o segundo Estado brasileiro a atingir o feito, e se mantendo acima da média nacional, de 67%. Ao todo, foram imunizados 522.125 meninos e meninas, entre um ano de idade e menores de cinco anos, de um total de 549.369. 

“Os dados positivos são reflexo da efetividade das políticas públicas implantadas pelo Governo do Estado. Entre os fatores que colocaram os indicadores do estado entre os melhores do País, estão o permanente estímulo à vacinação, especialmente no público infantil; o Programa Mãe Coruja, que monitora gestantes e crianças para a promoção de nascimento e infância saudáveis; a qualificação da rede materno-infantil; a ampliação de acesso aos métodos contraceptivos e a formação contínua dos profissionais da rede. Ao mesmo tempo, com a priorização dos investimentos em saúde pela gestão Paulo Câmara, o Governo de Pernambuco vem garantindo melhorias e ampliações na rede estadual de saúde, o que têm impacto no avanço da integralidade da atenção e propicia um envelhecimento mais saudável aos pernambucanos", explicou o secretário de Saúde, André Longo. 

Foto: Divulgação/Mãe Coruja.

Gerdau tem a primeira mulher no comando de uma siderúrgica

Perto de completar 120 anos, a siderúrgica Gerdau terá, pela primeira vez, uma mulher à frente de uma de suas operações industriais, dentro de um setor ainda predominantemente masculino. 

Engenheira de 43 anos, Michele Robert acaba de assumir o cargo de presidente da Gerdau Summit, que nasceu com foco no fornecimento de peças para a geração de energia eólica e cujo controle é dividido com as japonesas Sumitomo Corporation e Japan Steel Works (JSW). A unidade fica em Pindamonhangaba, no Vale do Paraíba, interior de São Paulo.

Michele é engenheira industrial e mecânica com graduação pelo Instituto Tecnológico de Buenos Aires (ITBA). Também tem mestrado em Supply Chain pela University of Michigan.

Com mais de 20 anos de experiência, Michele já atuou na Motorola e na GE, onde ocupou diversas posições de liderança no Brasil e nos Estados Unidos e se tornou CEO do negócio de Conversão de Energia para a América Latina. Mais recentemente, atuava como CEO da Sterycicle.

“Finalmente a Gerdau terá uma mulher à frente de uma de suas operações industriais, o que é coerente com a transformação da empresa, que está a todo vapor. As empresas precisam ter mais exemplos dentro de casa (em relação à diversidade). É necessário ter referência”, comenta a executiva.

Michele irá encarar, 25 anos depois, uma situação semelhante na planta que comandará. Na equipe de 700 pessoas, cerca de 90% são homens. A ideia é, aos poucos, começar a mudar essa proporção.

Michele chega à Gerdau Summit já com algumas metas. Além, é claro, de ajudar a dar um impulso na diversidade, o plano é “dobrar ou triplicar” a operação, que busca diversificar sua atuação – algo que a pandemia mostrou ser necessário. Hoje com o foco em cilindros para energia eólica, a unidade já está em processo de homologação de produtos para atender outros setores, como mineração e açúcar e álcool. 

A Gerdau tem apostado em programas em suas bases para alavancar a diversidade na companhia, que possui atualmente 30 mil funcionários. 

No Brasil, a indústria siderúrgica emprega 112 mil pessoas, sendo 66,7 mil de efetivos, conforme dados do Instituto Aço Brasil (IABr). Do total, apenas 9% são mulheres. 

Do Estadão.

quinta-feira, 26 de novembro de 2020

Datafolha no Recife: Marília Arraes, 43%; João Campos, 40%


O Datafolha divulgou, nesta quinta-feira (26), o resultado da segunda pesquisa do instituto sobre o segundo turno da eleição para prefeito do Recife. O levantamento foi realizado entre os dias 24 e 25 de novembro e tem margem de erro de 3 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Os resultados foram os seguintes: 

Marília Arrates(PT): 43%

João Campo (PS); 40%

Em branco/nulo: 13%

Não sabe/não respondeu: 4% 

Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 19 de novembro:

Marília Arraes (PT): tinha 41% e subiu para 43%

João Campos (PSB): tinha 34% e subiu para 40%

Em branco/nulo: diminuiu de 21% para 13%

Não sabe/não respondeu: saiu de 3% para 4%


VOTOS VÁLIDOS: Nos votos válidos, os resultados foram os seguintes: 

Marília Arraes (PT): 52%

João Campos (PSB): 48% 


Em relação ao levantamento anterior do Datafolha, divulgado em 19 de novembro:

Marília Arraes (PT): saiu de 55% para 52%

João Campos (PSB): saiu de 45% para 48%

Para calcular os votos válidos, são excluídos da amostra os votos brancos, os nulos e os eleitores que se declaram indecisos. O procedimento é o mesmo utilizado pela Justiça Eleitoral para divulgar o resultado oficial da eleição. Para vencer no 2º turno, um candidato precisa de 50% dos votos válidos mais um voto.

SOBRE A PESQUISA:

Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos

Entrevistados: 1.036 eleitores do Recife

Quando a pesquisa foi feita: entre 24 a 25 de novembro

Registro no TRE: PE-06935/2020

Nível de confiança: 95%

Contratantes da pesquisa: TV Globo e jornal "Folha de S.Paulo"

O nível de confiança da pesquisa é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem a realidade, considerando a margem de erro, que é de 3 pontos, para mais ou para menos.

Do G1-PE

Estudo aponta que Pernambuco está com tendência de estabilidade nos casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave

Nas próximas três semanas, a tendência é que os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) em Pernambuco mantenham um nível de estabilidade com oscilação. Já no período de seis semanas, a probabilidade é de queda, ou estabilidade, quando se analisa o Estado por macrorregião. O estudo foi publicado nesta semana no Boletim Infogripe, atualizado semanalmente pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) a partir do monitoramento das ocorrências de Srag em todo o Brasil. Segundo o material, Pernambuco figura entre os seis estados em estabilidade/oscilação ou queda para as próximas semanas, enquanto que em todos os demais a expectativa é de moderado ou forte sinal de crescimento em pelo menos uma macrorregião. 

Quando se analisa as capitais, apenas no Recife e em outras duas, a tendência é de estabilidade com oscilação nas próximas três semanas; e de queda moderada no período de seis semanas.  

A tendência também é de estabilidade com oscilação para as próximas três semanas em todas as quatro macrorregiões pernambucanas. Já para as próximas seis, na I Macrorregional, que engloba os municípios da I, II, III e XII Gerências Regionais de Saúde (Geres) - RMR e Zona da Mata - há probabilidade forte de queda; e na IV Macro (VII, VIII e XI Geres, com sede em Salgueiro, Petrolina e Ouricuri, respectivamente), há sinal de queda moderada. Nas II e III Macros - Agreste e parte do Sertão - os dados mostram tendência de estabilidade nas próximas seis semanas.

"Quero destacar que temos trabalhado com o máximo de transparência e adotando os mais rígidos parâmetros científicos em nossas análises sobre o cenário desta doença. E, neste sentido, reforço que a pandemia ainda não acabou. O vírus continua entre nós. Neste momento, só a prevenção nos protege, efetivamente, contra o vírus", pontuou André Longo.

SEMANAS EPIDEMIOLÓGICAS - Durante a coletiva, o secretário André Longo informou que na análise da última Semana Epidemiológica (47), foi registrada uma oscilação de 12% para mais na comparação com a semana passada, mas ainda uma queda de 16,4% nos casos de Srag em comparação à SE 45, o que confirma o cenário de estabilidade com oscilações. 

Quando se verifica a mortalidade por Srag, houve uma queda de 12,4% nas ocorrências quando se compara com a SE 46 e uma situação de estabilidade na comparação de 15 dias.

"Precisamos do senso de responsabilidade de todos, porque o relaxamento nos cuidados, de forma recorrente, poderá trazer um aumento na contaminação, gerar novos casos e propiciar mais mortes. Não é momento de abandonar os cuidados. Ao contrário, é momento de reforçar o distanciamento social, a lavagem permanente das mãos e o uso correto da máscara", finalizou Longo.

LEITOS - Nos próximos dez dias, o Governo de Pernambuco vai reforçar a rede de assistência aos pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) com 70 leitos, sendo 20 de UTI e 50 de enfermaria, nos Hospitais de Referência à Covid-19 - unidade Boa Viagem (dez de UTI e dez de enfermaria); e outras 50 na unidade Olinda (40 de enfermaria e dez de Terapia Intensiva). No momento, as gestões desses equipamentos estão organizando os espaços, montando maquinário e convocando as equipes multiprofissionais. 

"Em relação à ocupação das vagas dedicadas aos pacientes com suspeita para a doença, ontem e hoje, a taxa das UTIs atingiu 80% de ocupação. Isto foi motivado pela retirada do sistema de regulação dos leitos do Hospital de Campanha de Petrolina. Mas, como já tinha dito em outros momentos, o nosso Plano de Contingência prevê o desbloqueio e reconversão de leitos, caso o percentual de 80% seja alcançado de forma sustentada. Assim, o Governo de Pernambuco disponibilizará, até a próxima semana, mais 20 vagas de UTI adulto, sendo 10 no Antigo Alfa e outras dez na Maternidade Brites de Albuquerque, em Olinda, além disso também teremos 50 novos leitos de enfermaria nessas mesmas unidades", afirmou o secretário estadual de Saúde, André Longo, durante a coletiva de imprensa on-line desta quinta (26/11). 

O gestor ainda informou que o Governo de Pernambuco está monitorando a situação no Sertão do Estado. "Especificamente em Petrolina, estamos avaliando o cenário e, caso necessário, iremos abrir leitos para garantir o atendimento na região", ressaltou.

Nas últimas semanas, Pernambuco já tinha feito o desbloqueio de 107 leitos, sendo 50 de UTI e 57 de enfermaria, nos hospitais Maria Vitória, no bairro de Areias; Evangélico, na Torre; e no Antigo Alfa, em Boa Viagem, todos no Recife. É preciso lembrar que, ao longo dos últimos meses, com a redução da demanda e para evitar a ociosidade nas vagas da rede pública, mais de 1,5 mil leitos foram bloqueados em Pernambuco. Essas adequações foram feitas respeitando um nível de segurança e preservando a assistência integral à saúde da população pernambucana.

VACINAÇÃO - Pernambuco bateu, nesta quinta, a meta mínima de 95% de crianças vacinadas na campanha de vacinação contra a poliomielite. Com isso, é o segundo Estado no País a atingir o feito, se mantendo acima da média nacional, de 67%. Ao todo, foram 522.125 meninos e meninas, entre 1 ano e menores de 5 anos, imunizados, de um total de 549.369. A campanha segue até esta sexta (27/11), oportunidade para os pais e responsáveis levarem as 27,2 mil que faltam a uma sala de vacina para receber essa proteção extra. 

"Quero agradecer o empenho dos profissionais de saúde dos municípios, do Programa Estadual de Imunização, dos pais e também dos responsáveis. Para as crianças que ainda não tomaram a dose extra contra a pólio, lembro que a campanha segue até amanhã em todo o Estado e ainda há tempo de evitar que o vírus da poliomielite volte a circular entre nós.  Vacinar é uma demonstração de amor e um compromisso com a saúde e com o futuro de nossas crianças", disse o secretário.

Foto: Ashlley Melo/SEI.