quarta-feira, 31 de maio de 2017

Comissão do Senado aprova PEC da Eleição Direta


A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou hoje (31), por unanimidade, a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 67/16, que prevê a realização de eleição direta para presidente e vice-presidente da República se os cargos ficarem vagos nos três primeiros anos anos de mandato.

Atualmente, a Constituição admite eleição direta apenas se a vacância ocorrer nos dois primeiros anos. Após esse período, deve ser realizada eleição indireta pelo Congresso Nacional, em até 30 dias.
Com a mudança proposta na PEC, a realização de eleição indireta para presidente e vice-presidente ficará restrita ao último ano do mandato.

A PEC será encaminhada para votação no plenário do Senado e, se aprovada, seguirá para a Câmara dos Deputados.

O relator da PEC, Lindbergh Faria (PT-RJ), havia apresentado substitutivo à proposta e o senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) apresentou hoje voto em separado pela rejeição do texto do relator e pela aprovação do texto original do senador Reguffe (sem partido-DF). Ferraço argumentou que o substitutivo de Lindbergh tem inconstitucionalidades.

Lindbergh Farias disse que quis deixar claro em seu texto que, se aprovada a PEC nas duas casas legislativas, a nova regra passaria a valer de imediato, com eleições diretas em 90 dias no caso de vacância do cargo de presidente da República dentro do prazo previsto.

Já Ferraço argumentou que a Constituição prevê que qualquer mudança eleitoral deve entrar em vigor um ano após a aprovação, por isso o relatório de Lindbergh é inconstitucional e, segundo ele, há deliberação do Supremo Tribunal Federal (STF) nesse sentido. “O Artigo 16 da Constituição determina que qualquer mudança eleitoral só possa acontecer com 12 meses de antecedência e há farta jurisprudência por parte do STF que o Artigo 16 é um direito fundamental de quem vota e é votado”, disse.

Após entendimento entre Lindbergh e Ferraço, foi colocada em votação a proposta original apresentada por Reguffe. Mesmo com a aprovação do texto original, Lindbergh disse acreditar que há jurisprudência para que a nova regra passe a valer imediatamente após aprovada. “Estamos convencidos da vigência imediata da PEC. Tem uma vasta jurisprudência no STF. E o fato político é grande, aprovar por unanimidade na CCJ.”

Lindbergh disse que o trabalho agora será de articulação para que o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), paute a PEC para votação no plenário do Senado. A votação de uma PEC é feita em dois turnos de discussão (1º turno tem cinco sessões e 2ª turno tem três sessões) e a aprovação depende de votos favoráveis de três quintos dos parlamentares, ou seja, 49 senadores.

Fonte: Agência Brasil.

PHS anuncia desembarque do governo Temer. Partido é o quatro a sair da base aliada

PERNAMBUCANO - pastor Eurico é deputado pelo PHS de PE



O líder do Partido Humanista da Solidariedade (PHS) na Câmara, Diego Garcia (PR), anunciou há pouco em plenário o desembarque da base aliada do governo Michel Temer. O partido tem sete deputados e é o quarto a abandonar o governo – PSB, PPS e Podemos (ex-PTN), o primeiro a romper com o Planalto, já haviam decidido pela debandada.

O líder do PHS justificou a saída do governo com menção ao fato de que o próprio presidente da República está sob investigação formal no Supremo Tribunal Federal (STF), por corrupção passiva, associação criminosa e obstrução de Justiça. Recentemente, quatro assessores diretos de Temer deixaram o Planalto sob denúncias de corrupção – um deles, Tadeu Filippelli, foi preso. Diversos ministros de Temer também estão no alvo da Justiça, por suspeita de envolvimento na Operação Lava Jato, entre outras questões.

O anúncio gerou reações opostas em plenário. Tão logo finalizou seu comunicado, Diego Garcia ouviu gritos como “Aproveitador do momento! Aproveitador do momento!” vindos do grupo de deputados governistas.

Por outro lado, ao subir à tribuna, o líder do Psol na Câmara, Glauber Braga (RJ), saudou a atitude do PHS e aproveitou para fustigar os membros da base. “Parabéns, deputado Diego. Quando tem esse tipo de manifestação eles começam a ficar nervosos, agressivos. Quem quiser agressivo, que fique com o barco afundando!”, disse o parlamentar fluminense.

Mas, mesmo com o anúncio oficial de Diego Garcia, uma dissidência foi verificada no FHC: Marcelo Aro (MG), que é diretor de Ética e Transparência da Confederação Brasileira de Futebol. Também da tribuna, o deputado avisou: “Continuo junto, pensando no que é melhor para o país”. Assim, apenas seis votos do partido poderão ser computados contra o governo em votações de plenário, nos termos das orientações de bancada e dos fechamentos de questão – quando, nesse caso, dissidências podem ser punidas até com a expulsão da legenda.

Os deputados do PHS são, além de Diego Garcia e Marcelo Aro, Carlos Andrade (RR), Givaldo Carimbão (AL), Jorge Silva (ES), Marcelo Matos (RJ) e Pastor Eurico (PE).

Delação de ex-executivo da Andrade Gutierrez cita senador Fernando Bezerra Coelho e Aldo Guedes


A divulgação do termo de colaboração do ex-executivo da construtora Andrade Gutierrez, Rodrigo Ferreira Lopes da Silva, revelou novas complicações para o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) e o ex-presidente da Copergás, Aldo Guedes. Segundo a acusação, houve a formação de um cartel para construção de obras em portos públicos brasileiros que envolveu o Complexo Portuário de Suape.

O empresário afirmou que houve pagamento de 5% de propina aos agentes públicos como contrapartida para as obras de recuperação do Píer de Granéis Líquidos (de custo de R$ 15,5 milhões, com recursos do Estado e da União) e também o Píer de Granéis Líquidos 3 (avaliado R$ 504,8 mi). A primeira tinha a Andrade Gutierrez como única detentora e a segunda integrava o consórcio formado pela empreiteira junto com a Odebrecht e OAS. Essa última chegou a ser alvo de polêmica no ano passado devido medida cautelar expedida pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinando a suspensão do contrato. O tribunal questionou a dispensa de licitação na elaboração do projeto e a existência de sinais de erosão na obra.

Os pagamentos teriam sido feitos em espécie e por meio de caixa 2 em forma de doação eleitoral ao Diretório Nacional do PSB.

Também foi citada como alvo de propina na delação a obra de reforço dos cabeços do porto, feita pelo consórcio da Andrade Gutierrez e OAS. No entanto, o executivo apenas garante a participação de Aldo Guedes na negociação e não soube confirmar se Fernando Bezerra Coelho também teria se envolvido.

A defesa do senador Fernando Bezerra Coelho informou que não se manifestará sobre as delações até ter conhecimento de todo o conteúdo da colaboração. Contudo as acusações foram repudiadas e consideradas sem fundamento. "Todos os contatos do senador com a empresa citada foram absolutamente institucionais e as contas do senador, relativas à gestão dele à frente do Porto de Suape, entre 2007 e 2010, aprovadas pelo Tribunal de Contas do Estado", afirmou. Advogado de Aldo Guedes, Ademar Rigueira disse que somente se pronunciará quando tiver acesso aos autos e provas do processo. A Direção acional do PSB não se pronunciou.

Fonte: Folha de PE.

Fornecimento de energia na Zona da Mata Sul de Pernambuco entra em regime de normalidade


Com exceção das localidades que permanecem isoladas, o fornecimento de energia na Zona da Mata Sul pernambucana está praticamente em regime de normalidade. A trégua das fortes chuvas na região permitiu à Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) avançar com o trabalho de recomposição da rede elétrica afetada pelas inundações e condições climáticas adversas. No total, mais de 750 profissionais compõem o contingente que está atuando nos municípios mais castigados pelos temporais. As turmas de prontidão receberam, inclusive, reforço de equipes técnicas que foram deslocadas de outras áreas do Estado.

Pontos em Barreiros, em decorrência da impossibilidade de acesso ou por questão de segurança, continuam sem fornecimento. Algumas localidades permanecem alagadas, comprometendo o restabelecimento da energia. Os técnicos também estão trabalhando em casos de falta de energia individuais. Não há registro de interrupção em nenhum grande circuito de média tensão que supre as cidades da Mata Sul do Estado.

Os 24 municípios que, atualmente se encontram em situação de emergência, recebem, desde domingo, atenção prioritária da concessionária. A operação da Celpe para recomposição do sistema permanece nas regiões da Mata Sul e no Agreste com 11 turmas de manutenção de alta complexidade e 330 equipes destinadas para atuar em serviços leves. O levantamento dos ativos da rede elétrica danificados pelas inundações está sendo catalogado pela empresa.

Com a estiagem, o trabalho da concessionária continua nas áreas atingidas pelas enchentes. A estimativa da Celpe é que mais de 2.000 medidores foram danificados pela água e precisarão ser substituídos por novos. Técnicos estão orientando os moradores das áreas afetadas a solicitarem inspeção por especialistas das instalações elétricas dos imóveis. A preocupação se faz necessária, uma vez que paredes, tomadas e interruptores ainda úmidos aumentam o risco de vazamento de corrente elétrica nas moradias e, consequentemente, curtos-circuitos e acidentes por choque elétrico. Em caso de interrupções de energia, o cliente deve acionar a concessionária pelo número 116 ou pelo aplicativo Celpe.  

DOAÇÕES – Em solidariedade às famílias desabrigadas pelas intensas chuvas registradas no Estado, a Celpe lançou campanha de arrecadação de donativos. As 38 Lojas de Atendimento da empresa já estão funcionando como pontos de arrecadação de água mineral, alimentos não perecíveis e roupas. Todo o material recolhido será destinado à população dos municípios atingidos pelas inundações. Os donativos serão distribuídos em parceria com a ONG Novo Jeito.

Foto: G1 PE
Fonte: Assessoria de Imprensa Celpe.

Há três anos sem água na torneira, Pesqueira sai do colapso de abastecimento, após chuvas no Agreste

No Agreste, as chuvas continuam a elevar os níveis das barragens e contribuem para melhorias no abastecimento de água de mais cidades da região. Depois de três anos em colapso, o sistema de abastecimento da cidade de Pesqueira vai voltar a operar na próxima semana. Os três mananciais que fornecem água para cidade, as barragens de Santana, Pedra D’água e Afetos, estão com 30%, 50% e 20% da capacidade de reservação, respectivamente. No momento, a Compesa executa serviços de manutenção e ajustes nas adutoras e Estação de Tratamento de Água (ETA) para colocar o sistema para funcionar. Caso não chova mais na região, o volume de água acumulado nas barragens garante o abastecimento da população de Pesqueira nos próximos dois meses.

A Compesa está se preparando para retomar a operação do sistema de Pesqueira. “Já está sendo elaborado um  calendário de abastecimento para a cidade, que será divulgado em breve” informa o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Gilvandro Tito. Em São Caitano, também choveu nas bacias hidrográficas das barragens de Brejo do Buraco, Brejo dos Coelhos e Taquara. Os mananciais integram o sistema de abastecimento de água de São Caetano, que estava há um ano em colapso. A companhia trabalha para restabelecer o funcionamento do sistema até a próxima semana.


A Barragem de Brejão, localizada no município de Sairé, responsável pelo abastecimento da cidade de Bezerros,  estava com 1% de sua capacidade no mês de abril, e com as últimas chuvas,  saiu da situação de colapso. Hoje registra  50% de acumulação, o que corresponde a 800 mil metros cúbicos de água. Com esse volume de água, Brejão  já voltou a atendeu a cidade.

A Barragem de Santa Rita, que fornece água para as cidades de Jupi e Calçado, localizadas no Agreste Meridional, também foi beneficiada com as chuvas. Agora registra 50% da sua capacidade total, ou seja, está com 300 mil metros cúbicos de água. Como o sistema de abastecimento de água integrado estava inoperante há quatro anos, é necessário que se faça uma manutenção antes de retornar o funcionamento da distribuição de água para as duas cidades, o que deve acontecer até a próxima semana. Somente a cidade de Calçado já estava sendo abastecida pelo sistema da Barragem de Pau Ferro.

Fonte: Assessoria de Imprensa Compesa.

Nível da Barragem do Prata atinge 50% da capacidade


As chuvas do fim de semana mudaram o cenário de seca em Caruaru, na região Agreste. A Barragem do Prata, localizada na cidade de Bonito, que estava com 9,8% de sua capacidade há exatos oito dias, hoje (29), saltou para 50%, e registra agora 21 milhões de metros cúbicos de água acumulados. A capacidade total do reservatório é de 42 milhões. “Ainda é cedo para falarmos sobre diminuição do rodízio em Caruaru. Vamos fazer os estudos para tomarmos as decisões com prudência, mas a tendência é conseguirmos aumentar os dias com água na casa dos moradores, até porque as pessoas vão precisar limpar as casas inundadas”, informou o gerente de Unidade de Negócios da Compesa, Mário Heitor Filho.

Os técnicos da Compesa estão, desde o domingo (28), trabalhando para corrigir as panes elétricas ocorridas nas Estações Elevatórias (sistema de bombas) do Prata e do Pirangi, que foram provocadas pelas chuvas. O Sistema do Prata voltou a funcionar, na tarde de hoje (29), apenas atender os caminhões-pipa, hospitais e as áreas de Caruaru que foram atingidas pela enchente do Rio Ipojuca. Já as Estações Elevatórias do Pirangi, ainda não há previsão de retorno da operação, uma vez que o local onde ocorreram as panes elétricas é de difícil acesso. “Estamos em contato permanente com a Celpe para assim que chegarmos ao Pirangi, possamos restabelecer o sistema o mais rápido possível”, informou Mário Heitor.

Veja no infográfico a evolução do volume de água na Barragem do Prata.




Fonte: Assessoria de Imprensa Compesa.

Chuvas: Ministéro Público de PE vai acompanhar ações para minimizar danos às áreas afetadas


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) vai acompanhar de perto o processo de retomada das obras das quatro barragens de contenção localizadas na Zona da Mata Sul e no Agreste, região castigada pelas fortes chuvas nos últimos dias, que deixaram 25 cidades em estado de emergência e mais de 50 mil pessoas desalojadas ou desabrigadas. O anúncio foi feito pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros, durante reunião com promotores de Justiça das regiões afetadas, na sede do MPPE em Palmares, na Mata Sul.

“O desastre não foi maior porque a Barragem de Serro Azul, que está praticamente concluída, segurou o volume de água”, disse Francisco Dirceu, ao fim da reunião, da qual participaram o secretário-geral do MPPE, Alexandre Bezerra, o chefe de gabinete do procurador-geral, Paulo Augusto Oliveira, e os promotores de Palmares, Carolina Pontes e João Paulo Pedrosa Barbosa (também respondendo por Belém de Maria), e Catende, Rômulo Siqueira França.

Depois das cheias de 2010, o governo do Estado iniciou a construção de cinco barragens: Gatos (em Lagoa dos Gatos), Igarapeba (São Benedito do Sul), Panelas II (Cupira), Guabiraba (Barra de Guabiraba) e Serro Azul (Palmares). Apenas esta última foi concluída e, apesar de não ter sido inaugurada, evitou danos maiores à população da região. Atualmente ela se encontra com 80 milhões de metros cúbicos de água, o equivalente a 60% de sua capacidade.

O procurador-geral de Justiça anunciou também que vai monitorar, por meio do gabinete de crise instalado na segunda-feira (29), as doações feitas pela sociedade civil às vítimas das chuvas. “O povo brasileiro é muito solidário, mas é comum haver desvios de donativos em situações como essa”, afirmou. A promotora Carolina Pontes vai visitar abrigos e pontos de doação em Palmares. “Estamos atentos e preocupados”, salientou ela.

Após relatar a situação da Promotoria de Belém de Maria, que foi completamente inundada, o promotor João Paulo Pedrosa Barbosa solicitou a suspensão do expediente por uma semana. “Não há condições de funcionamento no Fórum, onde estamos instalados. O expediente foi suspenso pela Justiça”, informou Barbosa. Como 90% dos processos foram inutilizados, o secretário-geral Alexandre Bezerra determinou que uma equipe do MPPE vá à cidade fazer o levantamento exato das perdas.

Francisco Dirceu garantiu total suporte aos promotores da região. O procurador-geral anunciou que voltará à região na próxima semana. “Uma coisa que muito nos preocupa é a situação de famílias que ainda estão em áreas de risco. Temos que dialogar com os moradores para que não ocorram mais tragédias”, afirmou Francisco Dirceu.

Fonte: Assessoria de Imprensa MPPE.

Sobe para cinco o número de mortos em Pernambuco devido às chuvas

A Defesa Civil do Recife confirmou, na tarde desta quarta-feira (31), a morte de um adolescente de 14 anos no bairro da Linha do Tiro, na Zona Norte do Recife, devido a um deslizamento de barreira na localidade. Uma mulher de 37 anos também morreu no local.

O número de mortos devido às fortes chuvas no Grande Recife, na Mata Sul e no Agreste de Pernambuco sobe para cinco. As outras mortes foram duas no município de Lagoa dos Gatos e uma em Caruaru.

De acordo com a gerente geral de engenharia da Defesa Civil do Recife, Elaine Holanda, o local em que o adolescente e a mulher morreram havia sido vistoriado pelo órgão neste mês de maio. “É um local que estava com lona plástica e estava sendo acompanhado pelas equipes de monitoramento. Agora vamos investigar o que aconteceu para saber o que causou o deslizamento”, afirma. Além das mortes, uma criança de nove anos ficou ferida e foi levada à casa de parentes.

Tio do garoto que morreu no deslizamento, Marcos Pereira dos Santos afirmou que a lona foi colocada por profissionais da Defesa Civil na última semana, mas ele acredita que a ocorrência foi motivada por um cano quebrado. “A água encharcou muito a parte de cima da barreira e tem um cano quebrado que não ia segurar a água de uma chuva forte. A lona ajudou, mas a água foi por baixo”, conta.

De acordo com vizinhos das vítimas, o jovem de 14 anos era sobrinho da mulher de 37 anos, que teve a morte confirmada na manhã desta quarta (31). Outras duas pessoas que moravam na área em que ocorreu o deslizamento conseguiram sair da residência antes da queda da barreira.

A cuidadora Vilma de Souza, que trabalha na casa dos pais da mulher que faleceu pela manhã, afirmou ter estado com a vítima poucos minutos antes de a barreira deslizar. “Os pais dela moram na casa ao lado e eram 11h30 quando ela me disse que ia em casa fazer o almoço. Não acreditei quando eu soube que ela tinha morrido por causa da barreira. Hoje mesmo cheguei a comentar que eu tinha medo de deslizamento. Estou atordoada porque foi tudo muito rápido”, conta.

Estado de emergência


Além das mortes, Pernambuco contabiliza 55 mil pessoas desalojadas e desabrigadas devido às enchentes. Ao todo, são 3.081 desabrigados, que perderam as residências, e 52.095 desalojados, que tiveram as casas prejudicadas pelos efeitos da chuva e estão temporariamente em abrigos. Até a terça (30), o estado tinha 44,8 mil pessoas fora de casa.

Nesta quarta (31), o governo federal reconheceu a situação de emergência em 24 municípios de Pernambuco atingidos pelas chuvas e enchentes. A Portaria número 68 foi publicada na edição desta quarta-feira (31) do Diário Oficial da União pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil. A situação de emergência se refere aos seguintes municípios: 

Amaraji, Água Preta; Barra de Guabiraba; Barreiros; Belém de Maria; Caruaru; Catende; Cortês; Gameleira; Ipojuca; Jaqueira; Joaquim Nabuco; Jurema; Lagoa dos Gatos; Maraial; Palmares; Primavera; Quipapá; Ribeirão; Rio Formoso; São Benedito do Sul; Sirinhaém; Tamandaré e Xexéu.

Fonte: G1 PE.

Ministério diz que barragens em PE não foram concluídas por falhas em projetos


O Ministério da Integração Nacional afirmou, em nota, que falhas nos projetos de construção de duas das cinco barragens planejadas em 2010 para impedir enchentes em Pernambuco determinaram a devolução de verba para a União. A informação contradiz a versão do governo de Pernambuco de que faltaram recursos federais para as obras. Nesse fim de semana, a Zona da Mata Sul do estado sofreu com enchentes causadas pelas fortes chuvas e seria uma das áreas beneficiadas com as barragens.

Havia a indicação de que outros problemas teriam contribuído para que a promessa feita em 2010 do “cinturão” de barragens da bacia do Rio Una não fosse cumprida pelo governo estadual. As estruturas foram planejadas depois que uma grande enchente devastou municípios e deixou cerca de 80 mil pessoas desalojadas e desabrigadas na região banhada pelo rio. Sete anos depois, apenas uma delas, a de Serro Azul, ficou pronta. O restante está com as obras paralisadas.

O estado diz que faltou dinheiro federal para concluir as outras. A versão foi apresentada ontem pelo próprio secretário de Planejamento e Gestão de Pernambuco, Márcio Steffani. No entanto, a nota do Ministério da Integração adiciona outros componentes: “o governo do estado identificou falhas e exigências de readequações nos projetos das barragens de Gatos e Panelas II, o que levou o ente a devolver os recursos federais já repassados pela União. No momento, o ministério aguarda novo escopo dos projetos e custos”, diz o órgão, na nota.

Sobre a Barragem de Guabiraba, o ministério diz que “apesar de ser possível executá-la”, o estado não priorizou a obra em 2015 e optou por rescindir o contrato com a construtora. Para retomar as obras, a pasta federal indica que aguarda informações sobre a nova licitação a ser realizada e o levantamento do que falta ser feito. Em relatório de gestão do Ministério da Integração referente ao ano de 2014, a obra da barragem de Guabiraba tem execução física de 22%.

O ministério diz que houve prioridade para a construção da Barragem de Igarapeba, mas o estado comunicou que era necessária a liberação de R$ 63 milhões em recursos adicionais, não previstos no projeto original. “Essa solicitação foi feita ao Ministério da Integração Nacional em setembro de 2016 e está em análise pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão”, diz a nota.

Ontem, o prefeito de Palmares, Altair Júnior, disse que a única barragem concluída, Serro Azul, impediu que a cidade “saísse do mapa”, e que a inundação do município aconteceu por causa da cheia de dois afluentes do Rio Una, onde estão dois reservatórios não concluídos. Há mais de 10 mil desalojados e mil desabrigados no município. A cidade também foi uma das que mais sofreu com a última grande cheia de Pernambuco, em 2010, e que gerou o projeto do cinturão de barragens para prevenir inundações.

OUTRO LADO - o governo do estado divulgou uma nota no início da noite de hoje que informa que os governadores de Pernambuco, Paulo Câmara, e de Alagoas, Renan Filho, chegaram a um acordo com o Ministério da Integração Nacional para o repasse de recursos para ações emergenciais nos estados. Pernambuco solicitou cerca de R$ 20,5 milhões para liberação imediata para ações emergenciais.

Segundo a nota, ficou acertado que será feito um levantamento conjunto das quatro barragens - Panelas II, Gatos, Igarapeba e Barra de Guabiraba - que ainda não foram concluídas. Três novas barragens, uma no Agreste e duas na Região Metropolitana, que haviam sido incluídas na Emenda de Bancada de 2016 e não tinham sido empenhadas, também entrarão no pacote proposto pelo governador.

O cálculo preliminar do Ministério da Integração Nacional é que as obras deverão custar entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões para serem concluídas.

Fonte: Agência Brasil.

terça-feira, 30 de maio de 2017

SURUBIM: "Governo Ana Célia é elitista, de auditório, picuinha, mesquinho e de fofoca", avalia vice prefeito, Guilherme Nóbrega



A gestão da prefeita de Surubim, Ana Célia Cabral(PSB) foi surpreendida ao receber uma avaliação bem crítica do vice-prefeito, Guilherme Nóbrega(PSB).

De acordo com um áudio que vazou nas mídias sociais, nesta segunda-feira(29), compartilhado por diversos grupos formados por partidários e por integrantes da gestão, e enviado para nossa reportagem, o vice, abandona o perfil discreto, e tece severas críticas ao perfil da gestão, adotado pela prefeita:

"Está se tornando um governo elitista, um governo de auditório, um governo de picuinha, mesquinho, de fofoca, isso eu já tive oportunidade de dizer a Ana Célia, e não faço questão nenhuma que ela saiba disso. Um governo distante do povo", opina Guilherme Nóbrega.

O áudio foi possivelmente gravado antes do dia 10 de abril, uma vez que o vice se refere aos 100 dias da gestão, embora já mostre desânimo com o futuro da administração, dizendo que 'não há mais o que fazer':

"Está se pintando cem dias de governo, ela não disse ainda ao povo daqui a que veio. Não tem um calçamento sendo feito, não tem nada. São cem dias de governo e não tem mais o que fazer", afirma.

Guilherme Nóbrega também defende o estilo populista do pai, Flávio Nóbrega, ex-prefeito, duas vezes pelo PT:

"A gente sempre teve uma gestão muito participativa. Por exemplo, no dia da mulher a gente não se escondia na Câmara de Vereadores. Pegava as três comunidades mais pobres, mas carentes, por aqui precisa desse 'carinho', levava dois, três bolos de um metro e meio, dois metros... amanhecia lá, dando uma rosa, dando um brinde, um sorteio, o bolo, cumprimentando, dando um abraço. A gente sempre construiu essa identidade", relembra.

O vice prefeito frisa que o bom desempenho eleitoral do pai nas urnas, seja quando disputou a Prefeitura de Surubim, ou quando apoiou candidatos:

"A gente entrou na quarta eleição aqui em Surubim. Meu pai, a primeira. Ela foi vice [na chapa adversária], perdeu. Meu pai ganhou. Segunda, ela foi candidata a prefeita, meu pai ganhou. Meu pai 'botou' o sucessor, que era Tulio. Veio ela, ganhou", frisa.

Mesmo tendo emitido a opinião antes dos 100 dias de governo, o vice já deixa claro a dispersão entre os socialistas ligados ao pai dele, Flávio Nóbrega, e os da prefeita, Ana Célia. Embora o termo "opositores" não apareça, a frase sugere claramente que os ex-petistas acham que são vistos como possível oposição aos novos companheiros socialistas.

O vice já aponta possíveis prejuízos políticos no futuro, para ele e para o pai, por ter se unido ao projeto de Ana Célia:

"É tanto, que se fizer uma pesquisa hoje, meu pai 'tá' na frente e não tem discussão nenhuma... por isso, que há esse ciúme natural do nosso grupo, porque vê a gente como possível...[inaudível]...e a gente sabe que a gente vai ter um ônus político muito grande".


Ainda não se sabe como as declarações do vice serão digeridas pela prefeita e pelos integrantes da gestão. Desde o início do governo,  Ana Célia e Guilherme Nóbrega sempre apareceram juntos nos principais compromissos da agendas dela, certamente para frisar a imagem de união dos dois grupos.

Agora, resta saber se as declarações do vice serão encaradas não como crítica ou fogo amigo, ou como autocrítica da gestão, de um importante integrante dela.

Autocrítica sempre ajuda, claro, mas é preciso humildade para assimilar o feedback interno e corrigir possíveis desacertos ou promover ajustes. 

É preciso aguardar algum tempo, para saber se as colocações de Guilherme Nóbrega serão colocadas como "um mal entendido" ou se vão incluir a desconfiança na relação entre prefeita e vice, ou mesmo causar algum distanciamento entre os grupos de Ana Célia e de Flávio Nóbrega. Tanto a prefeita, quanto o vice precisam comentar ou mesmo esclarecer as declarações.

Confira o Áudio compartilhado nas mídias sociais:



Fonte: Da Redação / WhatsApp / Youtube.

Surubim e Casinhas registram homicídios, mas PM não divulga os fatos

'Chiquinho', 'Fabinho', 'Luiz' e 'Antônio' foram assassinados.

A Polícia Militar de Pernambuco segue sem divulgar "fatos com repercussão negativa", a exemplo de homicídios, conforme determinação da Diretoria do Interior da PM.

Neste final de semana, por exemplo, ocorreram vários assassinatos na região, mas a PM não enviou o balanço das ocorrências para nenhum veículo de comunicação local.

No domingo(28), um homem identificado apenas por "Chiquinho" foi assassinado por disparos de arma de fogo, por volta das 22h, no sítio Serra Verde, zona rural de Casinhas. O crime aconteceu nas proximidades da capela Santa Clara.

Na noite da sexta-feira(26), dois jovens, identificados por "Fabinho" e "Luiz" foram assassinados a tiros, enquanto estavam sentados no sofá de casa. O crime ocorreu no loteamento Nova Surubim, no bairro do Coqueiro, periferia da cidade.

E no final da tarde da quinta-feira(25), o agricultor Antônio Andrade da Silva, de 35 anos, foi morto no sítio Areia de Chatinha, zona rural de Casinhas. A hipótese mais provável, é que ele tenha sido vítima de latrocínio, ou roubo seguido de morte, uma vez que os bandidos levaram dinheiro e o celular da vítima.

Nenhum desses homicídios foi divulgado pela PM. A resenha com essas ocorrências não foi enviada pelo 22o batalhão para nenhum blog ou rádio local.



CENSURA - Uma circular do mês de abril da diretoria do Interior da PM, determina que os batalhões devem repassar à imprensa, apenas " informações positivas", a exemplo de "apreensão de armas, de drogas, prisão de homicidas, traficantes, assaltantes etc.)".


Ainda de acordo com o texto, "está terminantemente proibido o repasse diretamente para imprensa da resenha diária da forma como é elaborada", sem cortes. A determinação prevê que o material completo passe por uma censura prévia, para "que ocorram os ajustes",


Assim, assassinatos, assaltos ao comércio, carro roubado, cidadão assaltado ou qualquer outra ocorrência que possa ser considerada negativa ou que repercuta mal, ocorridas no interior, não são enviadas oficialmente à imprensa.

MAQUIAGEM - ainda em abril, durante entrevista coletiva, o secretário de Defesa Social, Ângelo Gioia comentou o documento que proíbe  divulgação dos fatos negativos para a imprensa nas resenhas, com as ocorrências das últimas 24 horas, dizendo que houve uma interpretação “equivocada” da orientação, afirmando que “os números divulgados são transparentes, honestos, sempre com base científica. Não estamos aqui para maquiar dados ou sonegar a informação”, disse.


REPÚDIO - o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco e a Federação Nacional dos Jornalistas criticaram a determinação da chefia da Polícia Militar em repassar apenas informações positivas para à imprensa por meio das resenhas, documento com os detalhes das ocorrências policiais enviadas aos veículos de comunicação.

Confira o texto da nota do Sindicato dos Jornalistas Profissionais de PE e da Fenaj :


"A Comissão de Ética e a Diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco (Sinjope), bem como a Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj), tiveram conhecimento de um ofício da Secretaria de Defesa Social (SDS) do Governo de Pernambuco, intitulado "Orientações sobre divulgação de resenhas diárias para imprensa", cujo teor atenta contra a liberdade de imprensa.


No ofício, há a explícita orientação de que "o conteúdo a ser repassado seja apenas de Informações Positivas". Surpreende-nos que o documento do Governo do Estado seja emitido justo após um caso em que ficou flagrante a má atuação da Polícia Militar como o da morte do estudante Edvaldo da Silva Alves, vítima de um tiro de bala de borracha e da truculência de três funcionários públicos, que continuam no exercício de suas funções mesmo após um mês do crime.

Ademais, diz o ofício que "a partir desta data (10/04/2017) está terminantemente proibido o repasse diretamente para imprensa de Resenha Diária de forma como é elaborada na OME e divulgada em nosso meio sem que ocorra (sic) antes os ajustes necessários, retornando os dados que não sejam de interesse de todos, de modo a preservar as informações pessoais de vítimas acusadas e testemunhas".
Ora, o Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros, que tem como base "o direito fundamental do cidadão à informação, que abrange direito de informar, de ser informado e de ter acesso à informação", deixa claro que "o acesso à informação de relevante interesse público é um direito fundamental".

Assim, a Comissão de Ética, a Diretoria do Sinjope e a Fenaj, pautadas nesse princípio, repudiam a orientação da SDS em apenas informar à sociedade notícias "positivas" referentes às questões de segurança no Estado, numa tentativa explícita de sonegar informações aos veículos de comunicação e aos jornalistas - em primeira instância, à própria sociedade.

O Sinjope, inclusive, tem recebido manifestações de jornalistas que já estão sentindo no seu dia a dia nas redações uma maior dificuldade de acesso a dados sobre a violência em Pernambuco. E faz questão de lembrar que a função do jornalista que exerce função no poder público é informar à comunidade como um todo e não atender aos interesses de uma gestão passageira.

Reforçamos que o acesso à informação de interesse público é um direito fundamental dos cidadãos e cidadãs. Com o livre acesso à informação, cabe aos profissionais de jornalismo e aos veículos traduzirem para a sociedade de forma ética e não sensacionalista, respeitando o exercício da liberdade de expressão com responsabilidade.

Aliás, é uma luta antiga dos movimentos de direitos humanos e do Sinjope a preservação das informações pessoais de vítimas acusadas e testemunhas. Claramente essa não é a preocupação da SDS ao declarar que serão apenas veiculadas "informações positivas".

O nosso Código de Ética, que é baseado nas leis brasileiras, reitera que "a prestação de informações pelas organizações públicas e privadas, incluindo as não governamentais, deve ser considerada uma obrigação social".

Entendemos que omitir informações sobre a grave situação da violência no Estado em nada contribui para minimizar esse quadro alarmante. Pelo contrário, inibe a participação da sociedade civil organizada em buscar caminhos e soluções à grave crise de segurança pela qual passa Pernambuco. Sem contar que a "maquiagem" de informações relevantes passa a ser um desserviço a toda sociedade.

Recomendamos que o Governo do Estado reveja essa orientação, garantindo a transparência necessária à relação entre as instituições públicas e a sociedade - transparência que é própria de um sistema democrático.

Recife, 13 de abril de 2017.

Comissão de Ética e Diretoria do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Pernambuco (Sinjope) Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj)".

Fonte: Da Redação / G1 Pernambuco / Mais Casinhas / Casinhas Agreste.


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Barragem de Jucazinho ainda não acumula água


A Barragem de Jucazinho, localizada o município de Surubim, continua em colapso.


A informação oficial, divulgada pela Compesa, nesta segunda(29), foi antecipada ontem, com exclusividade, por nosso Blog.

As chuvas  registradas nos últimos dias no Agreste não alcançaram a Bacia do Capibaribe, responsável pela alimentação do manancial, o maior reservatório operado pela Compesa para abastecimento humano. A sua capacidade de acumulação é de  327 milhões de metros cúbicos de água  e encontra-se seca desde setembro  do ano passado. Esse é o pior cenário de Jucazinho desde a sua inauguração, no ano de 2000.


O sistema  abastece  às Cidades de  Santa Cruz do Capibaribe, Riacho das Almas, Cumaru, Passira, Salgadinho, Casinhas, Surubim, Vertentes, Vertente do Lério, Santa Maria do Cambucá, Frei Miguelinho, Toritama, Caruaru, Bezerros e Gravatá, além de diversos distritos e povoados dos 15 municípios que fazem parte do sistema integrado.



Sua capacidade de produção é de 1.300 l/s, atendendo a uma população de aproximadamente 800  mil pessoas ao longo de seus 206 quilômetros de adutoras. A expectativa da  Compesa é que o manancial  tenha uma boa recuperação até o próximo mês de julho, quando termina a estação invernosa, para que a operação seja retomada  e o abastecimento das cidades seja normalizado.

Fonte: Assessoria de Imprensa.

Após enchentes de 2010, governo no estado prometeu construir quatro barragens para evitar novas cheias. Mas só fez uma. 2017: PE tem 30 mil desabrigados


A conclusão de quatro das cinco barragens projetadas há sete anos pelo governo de Pernambuco para evitar enchentes na Zona da Mata, como a que ocorreu no domingo (28), deixando dois mortos e duas pessoas desaparecidas e mais de 30 mil desabrigados, é essencial para o funcionamento do sistema de contenção de rios na região. A afirmação é do presidente da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac-PE), Marcelo Asfora. Segundo ele, caso as unidades tivessem sido finalizadas, seria possível reduzir a força da cheia.

“A Barragem de Serro Azul, a única que foi construída, absorveu um terço do impacto das águas. As outras atuariam em conjunto em absorveriam os outros dois terços”, afirmou. 

As barragens citadas pelo presidente da Apac foram planejadas logo depois da enchente de 2010. Na época, 68 cidades foram afetadas na Zona da Mata Sul e no Agreste. Em conjunto, as cinco unidades teriam como objetivo fazer a contenção nos rios Uma, Pirangi, Sirinhaém, Panelas e seus afluentes.
De acordo com Asfora, em Palmares, uma das cidades mais importantes da Mata Sul pernambucana, o nível do Rio Una atingiu 4,1 metros acima do nível de transbordamento. “Mesmo com Serro Azul em funcionamento, tivemos esse impacto todo. Por isso, a atuação em conjunto de todas as unidades seria importante., observou.

O projeto previa as Barragens de Serro Azul, Igarapeba, Panelas II, Gatos e Barra de Guabiraba. Com investimento de R$ 500 milhões, sendo R$ 300 milhões do governo estadual e R$ 200 do orçamento federal, Serro Azul ficou pronta. Hoje, acumula 35 milhões e metros cúbicos de água.
As outras custariam juntas R$ 538,4 milhões e protegeriam outros municípios atingidos pela enchente de domingo, como Belém de Maria, Lagoa dos Gatos, Maraial e Jaqueira. Com exceção de Lagoa dos Gatos, as outras cidades estão entre as 15 em estado de calamidade decretado pelo governo pernambucano.

Sete anos depois do projeto inicial, o governo informa que faltaram recursos federais para as obras. De acordo com a Secretaria Estadual de Recursos Hídricos, será preciso fazer novas licitações para retomar as obras. A maioria delas só ficaria pronta depois de pelo menos um ano de trabalho. “Com o passar do tempo, foi preciso desmobilizar as estruturas”, afirmou o presidente da Apac, Marcelo Asfora.

Calamidade


As chuvas intensas provocaram transtornos e mudaram a rotina das unidades de ensino. Nesta segunda (29), há duas unidades do IFPE e uma da Universidade de Pernambuco (UPE) sem aulas. Ipojuca, no Grande Recife, também não abriu as portas das suas escolas. Um dos municípios mais atingidos pelas águas, Ribeirão transformou suas escolas em pontos de abrigo para os desabrigados.

De acordo com o governo estadual, ao todo, há 15 municípios estão em estado de calamidade, somando população total de 787.245 mil habitantes. São eles: Rio Formoso, Ribeirão, Água Preta, Palmares, Catende, Maraial, Belém de Maria, Barreiros, Amaraji, Barra de Guabiraba, São Benedito do Sul, Cortês, Jaqueira, Gameleira e Caruaru.

O estado registra mais de 30 mil desabrigados e desalojados. As chuvas também ocasionaram duas mortes em Lagoa dos Gatos, e duas pessoas estão desaparecidas em Caruaru. De acordo com o governador, há 16 sistemas de abastamento de água paralisados, atingindo 2,2 milhões de pernambucanos.


No domingo (28), em reunião com o governador Paulo Câmara (PSB), no Palácio das Princesas, o presidente, Michel Temer, autorizou o envio de ajuda humanitária para atender as cidades pernambucanas em estado de calamidade devido às fortes chuvas que caíram nos últimos dias, na Zona da Mata Sul e no Agreste. E se comprometeu com a liberação de uma linha de crédito de R$ 600 milhões, junto ao BNDES, para obras no estado.

Situação atual

De acordo com documentos do governo do estado, a Barragem Gatos, em Lagoa dos Gatos, teve 20% da obra executada. O serviço foi paralisado em 10 de outubro de 2014. Com investimento inicial de R$ 82,8 milhões, ela poderá acumular 7, 3 milhões de metros cúbicos.

A função da unidade é conter enchentes nos Rios Gatos, Pirangi e Una. Ela beneficiaria 50 mil habitantes. O último repasse de recursos federais ocorreu em 2011, com R$ 4,6 milhões.
A Barragem de Panelas II foi paralisada com 47% das obras executadas, em outubro de 2014. A função dessa unidade é conter as enchentes nos Rios Panelas, Pirangi e Una.

O custo inicial previsto era de R$ 109, 5 miilhões. O último repasse chegou em setembro de 2014, com R$ 18 milhões. A unidade terá capacidade para armazenar 22, 3 milhões de metros cúbicos e beneficiaria 85 mil pessoas.

Em Barra de Guabiraba, a barragem de mesmo nome foi paralisada em agosto de 2015. Foram executados 25% dos serviços preivstos. A unidade estava orçada inicialmente em R$ 94,5 milhões e o último repasse chegou com R$ 16,9 milhões, em agosto de 2015.

A barragem tem como objetivo conter as cheias no Rio Sirinhaém e garantir abastecimento no Agreste, com capacidade de acumulação de 19 milhões de metros cúbicos. Para finalizar os trabalhos, seriam necessários 12 meses.

Em São Benedito do Sul, foi iniciada a obra da Barragem de Igarapeba. Ela beneficiaria 350 mil habitantes da região ao conter a enchente dos Rios Pirangi e Una. Também teria papel de abastecimento e capacidade de acumular 68 ,milhões de metros cúbicos de água.

Teve finalizados 38% dos trabalhos, que foram paralisados em junhos de 2015. O orçamento incial era de R$ 251,6 milhões e o último repasse chegou em junho de 2015, com R$ 48,8 milhões. Para encerrar a obra, seriam necessários 18 meses.

ATUALIZAÇÃO - Coordenadoria de Defesa Civil de Pernambuco (Codecipe) informou, no início da noite desta segunda-feira (29), que subiu o número de pessoas afetadas pelas enchentes que atingiram 23 cidades no interior. São 44.801 moradores: 42.145 desalojados, que deixaram as residências, e 2.656 desabrigados, que perderam as casas. Até esta segunda de manhã, o número de pessoas afetadas pelas enchentes era de cerca de 30 mil.

Fonte: G1 PE.


Prefeita Raquel Lyra visita pontos críticos após chuvas em Caruaru


A prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, percorreu vários bairros da cidade, neste domingo (28), para acompanhar de perto  os estragos causados pelas chuvas em Caruaru. A agenda começou por Boa Vista 1 e 2 (Riacho do Mocó), Panorama, Caruá, Mandacaru, Severino Afonso, Novo Mundo, Moura Brasil, Demóstenes Veras, José Carlos de Oliveira, Vila Kennedy e Inocoop.


“As ruas só serão liberadas se não houver mais riscos à população. A Celpe está fazendo a manutenção de alguns postes que caíram por conta da chuva. Árvores também caíram em alguns pontos da cidade. Todas as secretarias estão unidas para atender à população caruaruense”, afirmou a prefeita.

Outras ações foram realizadas, como um mutirão no parque 18 de Maio para o funcionamento normal da Feira da Sulanca e vistorias em várias escolas para a realização das aulas nesta segunda-feira (29). Donativos estão sendo recebidos, no pátio da Prefeitura, para serem direcionados à população necessitada. Para qualquer emergência, os números disponíveis são 193 (Corpo de Bombeiros) e 3701 – 1174 (Plantão da defesa Civil de Caruaru).




Fonte: Assessoria de Imprensa.

domingo, 28 de maio de 2017

Chuvas continuam fortes nesta segunda, diz Apac


A último boletim emitido pela Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac) indica continuidade das chuvas nesta segunda-feira (29), "com intensidade moderada a forte" nas Zonas da Mata Sul e Norte, Agreste e na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Segundo a previsão, na RMR e Zonas da Mata, o tempo deve ficar parcialmente nublado, com chuva rápida de forma isolada ao longo do dia com intensidade fraca a moderada, com temperaturas oscilando entre 31 e 23 graus.


Já no Agreste, o boletim indica tempo "parcialmente nublado com pancadas de chuva de forma isolada ao longo do dia com intensidade fraca a moderada".

Para o Sertão do Estado, a Apac prevê tempo "parcialmente nublado a nublado com pancadas de chuva de forma isolada no período da tarde e noite com intensidade fraca".

Apac divulga boletim mostrando inundações em vários municípios do Estado


A Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac) divulgou boletim do sistema de alerta de cheia no nível dos rios.


No boletim, Caruaru, Gravatá, Amaraji, José Mariano (Ribeirão), Belém de Maria, Catende, Jacuípe e Palmares aparecem com situação de inundação, a mais grave.


Já Canhotinho, Engenho Bento (Joaquim Nabuco) e São Benedito do Sul inspiram preocupação pois seguem com situação de alerta.

Outros municípios, como Toritama, São Lourenço da Mata, Moreno, Engenho Tabocas e Barreiros estão com o nível dos rios em situação normal, mas a tendência é subir.

Aviso

A Defesa Civil do Recife negou que seja verdadeira a "orientação" que tem circulado neste domingo (29) nas redes sociais para que as pessoas não saiam de casa por causa de uma "tromba d'água". Orientações emergenciais são comunicadas oficialmente.

Fonte: Folha de PE.

Governador decreta estado de calamidade em 13 municípios. Temer deve visitar Pernambuco para avaliar estragos provocados pelas chuvas


O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), anunciou, neste domingo (28), estado de calamidade em 13 municípios por conta das fortes chuvas que castigam o Agreste e Zona da Mata Sul.

As cidades são: Rio Formoso, Ribeirão, Água Preta, Palmares, Catende, Maraial, Belém de Maria, Barreiros, Amaraji, Barra de Guabiraba, São Benedito do Sul, Cortês e Jaqueira.

Até o momento, Pernambuco registra 5 mil desabrigados. O governo do estado já considerada essa a pior chuva desde a de 2010, que assolou cidades como Barreiros.

"Instalamos, na manhã de hoje, o gabinete de crise para o monitoramento da situação e para tomar todas as medidas necessárias. Para ter ideia da gravidade. Aquelas chuvas de 2010, que trouxe tanta destruição para as cidades da Mata Sul, em três dias corresponderam um acumulado de 180 milímetros. Essa, em dois dias, já atingiu 140 milímetros", pontuou o governador. Ele irá sobrevoar as cidades atingidas ainda na tarde deste domingo.

O decreto foi divulgado durante uma coletiva de imprensa no início da tarde deste domingo. Além do governador, estavam presentes representantes das secretarias de Segurança, Planejamento e Saúde, a Defesa Civil de Pernambuco, o Corpo de Bombeiros e Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac).


Ao todo, 200 bombeiros e agentes da Defesa Civil foram encaminhados para as regiões afetadas. Eles ficarão nos locais até quando for necessário, segundo o governador. Dois caminhões com mantimentos, lonas, colchões e lençóis também foram destinados. A Compesa está monitorando a situação das barragens e equipes do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) seguem recuperando rodovias que foram atingidas. De acordo com o secretário de Planejamento e Gestão, Márcio Stefanni, todos os hospitais da rede estadual estão operando normalmente.

Para o governo, o estrago dessas chuvas só não foi maior devido à barragem de Serra Azul. "Se não fosse ela, as cenas que estamos vendo hoje seriam muito piores. Serra Azul está com apenas 10% da sua capacidade, mesmo acumulando algo em torno de 15 milhões de metros cúbicos em dois dias", afirma Stefanni.


TEMER -  O presidente da República, Michel Temer, deve desembarcar ainda neste domingo (28) em Pernambuco, para avaliar os estragos provocados pelas chuvas. Antes, ele deve verificar os estragos provocados pelas chuvas em Maceío/AL.

Fonte: G1 PE

Chuvas não alteram volume de Jucazinho


As fortes chuvas que atingem várias cidades de Pernambuco, inclusive afetando munícipios do Agreste, não caíram com a mesma intensidade nas cidades banhadas pelo rio Capibaribe, onde está localizada a Barragem de Jucazinho.

Com a chuva deste final de semana, a barragem, no município de Surubim, acumulou um volume inexpressivo, incapaz de alterar o estado de colapso. 

A foto, publicada desta postagem, foi feita na manhã deste domingo, e mostra a real situação de Jucazinho.  

O reservatório tem capacidade de acumular 327 milhões de metros cúbicos de água. 

Atingiu os 100% do volume pela primeira vez, no dia 05 de fevereiro de 2004. Em 06 de setembro de 2009 alcanço o maior acúmulo: 104,78%, como mostrou nossa reportagem, com todo histórico do volume de Jucazinho.

Mas em setembro de 2016, chegou a 0,01% e entrou em colapso. O paredão da barragem segue em obra de recuperação.
Da Redação.

Chuvas já provocam mortes no interior de Pernambuco. Várias cidades estão alagadas


A cidade de Barra de Guabiraba, no Agreste de Pernambuco, registrou alagamento em vários bairros. Segundo a secretária de governo do município, Heine Freitas, cerca de 1.500 casas foram inundadas e 4 mil pessoas estão desabrigadas.

A cidade tem cerca de 13 mil habitantes e a energia foi cortada. Ainda segundo a secretária, a Defesa Civil está na cidade fazendo um levantamento e direcionando as primeiras ações. Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), o munícipio registrou 207,65 mm de chuva nas últimas 24 horas.


O município de Cortês, na Zona da Mata Sul de Pernambuco, registrou cerca de 46 casas atingidas por deslizamentos de encostas. De acordo com a Defesa Civil, 112 pessoas estão desalojadas. 18 casas foram inundadas.

Segundo a Agência Pernambucana de Águas e Climas (Apac), na cidade choveu 214,06 mm nas últimas 24 horas. O município tem cerca de 12 mil habitantes.


DESAPARECIDOS - Defesa Civil confirmou na manhã deste domingo (28) que duas pessoas seguem desaparecidas após chuvas em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. Uma mulher, de idade não identificada, estava dentro de um carro com cerca de cinco pessoas. O veículo não conseguiu passar pela passagem molhada no bairro Caiucá. As pessoas conseguiram sair do carro, mas a mulher ficou e foi levada pela água.

O outro caso, segundo a Defesa Civil, foi registrado na estrada de Lagoa de Pedra, zona rural de Caruaru. Um homem, também de idade não divulgada, também foi levado pela água. De acordo com a Defesa Civil, as buscas pelos corpos continuaram durante o domingo. 


As situação das chuvas em Belém de Maria, na Mata Sul de Pernambuco, preocupa os moradores e o poder público. O nível do Rio Panelas subiu e a cidade foi tomada pelas águas, em algumas casas, marcando até 80 cm. A população deixou o local e seguiu para os pontos mais altos da cidade. Na cidade de Rio Formoso, também na Mata Sul, está em estado crítico.

MORTE - Um casal morreu soterrado na madrugada deste domingo (28) em Lagoa dos Gatos, no Agreste de Pernambuco. De acordo com o secretário de Administração do município, Marcelo Antônio da Silva, por causa das fortes chuvas uma barreira teria caído por cima da casa onde eles moravam.

Ainda segundo a prefeitura, a Vila do Rosário, na zona rural, está praticamente submersa. Em alguns pontos, o nível da água chega a dois metros de altura. Comida e água estão sendo enviadas para auxiliar os moradores.

O secretário de Administração disse ainda que em alguns pontos a cidade está ilhada e que a prefeitura está recebendo donativos. Ainda está chovendo e os níveis dos rios continuam subindo.

Fonte: G1 Caruaru.