segunda-feira, 15 de agosto de 2022

BTG/FSB: sem Janones, Lula vai a 45%, Bolsonaro fica com 34%, e Ciro tem 8%


Pesquisa do Instituto FSB, contratada pelo Banco BTG Pactual, realizada por telefone e divulgada hoje, aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente na corrida à Presidência da República, com 45% das intenções de voto na pesquisa estimulada —quando o entrevistado recebe uma lista prévia com os nomes dos candidatos. 

O presidente Jair Bolsonaro (PL) aparece em segundo lugar, com 34%, seguido por Ciro Gomes (PDT), com 8%. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Já na pesquisa espontânea, quando o entrevistado diz em quem pretende votar sem que os nomes lhe sejam apresentados, Lula cresceu três pontos percentuais —foi de 38% para 41%—, fora da margem de erro. Já Bolsonaro oscilou um ponto, de 31% para 32%, dentro da margem de erro. 

O Instituto FSB ouviu 2 mil eleitores por telefone entre 12 e 14 de agosto. O índice de confiança do levantamento é de 95%. A pesquisa custou R$ 128.957,83 e foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-00603/2022.

Pesquisa estimulada 

Essa é a primeira pesquisa BTG/FSB estimulada sem o nome do deputado federal André Janones (Avante), que desistiu da candidatura no dia 4 de agosto e passou a apoiar Lula. 

Veja a seguir os números: 

Lula (PT): 45% 
Jair Bolsonaro (PL): 34% 
Ciro Gomes (PDT): 8% 
Simone Tebet (MDB): 2% 
Felipe D'Ávila (Novo): 0% 
Soraya Thronicke (União Brasil): 0% 
José Maria Eymael (DC): 0% 
Vera Lúcia (PSTU): 0% 
Sofia Manzano (PCB): 0% 
Leonardo Péricles (UP): 0% 
Pablo Marçal (Pros): 0% 
Roberto Jefferson (PTB): 0% 
Nenhum: 5% Branco/nulo: 1% 
Não sabe/não respondeu: 2%

A soma das intenções de voto em D'Avila, Thronicke, Eymael, Vera Lúcia, Manzano, Péricles, Marçal e Jefferson dá 2%. 

Como Lula tem 45% das intenções de voto e a soma dos outros candidatos dá 46%, o petista pode ganhar no primeiro turno, considerando a margem de erro (ele pode chegar a 47%). 

Com a retirada de Janones e a inserção de Thronicke como novo nome do União Brasil, a pesquisa estimulada desta semana não pode ser comparada com a edição anterior, divulgada em 8 de agosto, pois as listas de candidatos são diferentes. 

Na ocasião, Lula tinha 41%; Bolsonaro, 34%; Ciro, 7%; Tebet, 3%; Janones, 2%; Eymael e Marçal, 1% cada. 

Pesquisa espontânea.

O Instituto FSB também fez um levantamento das respostas espontâneas para a Presidência da República. Nesse cenário, Lula registrou 41%, e Bolsonaro, 32%. 

O nome de Ciro Gomes foi citado por 3% dos entrevistados, e o de Simone Tebet, por 1%. Outros candidatos somaram 1% das menções espontâneas. Disseram votar em nenhum nome 5%, enquanto 4% indicaram que votariam branco ou nulo e 13% não souberam responder. 

Lula (PT): 41% 
Jair Bolsonaro (PL): 32% 
Ciro Gomes (PDT): 3% 
Simone Tebet (MDB): 1% 
Outros: 1% Nenhum: 5% 
Branco/nulo: 4% 
Não sabe/não respondeu: 13% 

O prazo final dos partidos para o registro de candidaturas termina hoje, e a campanha eleitoral começa oficialmente amanhã. 

Segundo turno 

O Instituto FSB também projetou cinco cenários para o segundo turno. Lula venceria Jair Bolsonaro, Ciro Gomes e Simone Tebet, enquanto Bolsonaro perderia para Ciro e empataria com Tebet na margem de erro. Confira: 

Lula x Bolsonaro 
Lula (PT): 53% 
Jair Bolsonaro (PL): 38% 
Nenhum: 4% 
Branco/nulo: 4% 
Não sabe/não respondeu: 2% 

Lula x Ciro 
Lula (PT): 50% 
Ciro Gomes (PDT): 29% 
Nenhum: 13% 
Branco/nulo: 6% 
Não sabe/não respondeu: 2% 

Lula x Tebet 
Lula (PT): 54% 
Simone Tebet (MDB): 26% 
Nenhum: 13% 
Branco/nulo: 5% 
Não sabe/não respondeu: 2% 

Ciro x Bolsonaro 
Ciro Gomes (PDT): 47% 
Jair Bolsonaro (PL): 39% 
Nenhum: 8% 
Branco/nulo: 5% 
Não sabe/não respondeu: 2% 

Bolsonaro X Tebet.
Jair Bolsonaro (PL): 42% 
Simone Tebet (MDB): 40% 
Nenhum: 11% 
Branco/nulo: 4% 
Não sabe/não respondeu: 3% 

Sobre o instituto A FSB Pesquisa é um instituto fundado em 2008 e ligado ao grupo FSB Comunicação, que presta serviços a empresas e órgãos públicos. A empresa realiza levantamentos sobre intenções de voto para presidente desde a eleição de 2010. Essas pesquisas são realizadas principalmente por meio de entrevistas com eleitores feitas por telefone por operadores treinados.

Do Uol.