terça-feira, 30 de novembro de 2021

Suape contempla três empresas com o selo “Amigo do Oceano - 2021"


Lançado na Semana do Meio Ambiente, em junho passado, o selo “Amigo do Oceano - 2021” foi concedido pela empresa Suape, na manhã desta segunda-feira (29), a três terminais arrendatários do Porto Organizado. A solenidade, realizada na Base Mar, contou com a participação de representantes da autarquia portuária, das empresas contempladas e autoridades de órgãos de fiscalização do setor. Além do certificado, inédito entre os portos públicos brasileiros, os terminais foram contemplados com uma placa alusiva ao evento. 

Dos 9 terminais aptos à candidatura, seis pleitearam a certificação e os que obtiveram a pontuação mínima para a obtenção do selo foram Decal Brasil, Tecon Suape e Pandenor. A comissão julgadora, vinculada à Diretoria de Meio Ambiente e Sustentabilidade da empresa, avaliou 22 critérios que contemplam a gestão ambiental portuária, incluindo o uso de água e energia e práticas de combate ao lixo no mar. Estão incluídos, também, nessa análise itens como licenciamento ambiental, prevenção e resposta a emergências, certificações voluntárias, recursos humanos e treinamentos dedicados à pauta em questão. 

O selo digital, com validade de um ano, faz parte das iniciativas globais da Agenda 2030 para o desenvolvimento sustentável, aprovada pela assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU). “É mais uma importante ação para garantir a sustentabilidade do porto e a proteção dos oceanos, reforçando o nosso compromisso de equilíbrio entre o crescimento econômico e a preservação da natureza, incentivando as boas práticas ambientais também entre nossos parceiros”, pontuou o diretor-presidente de Suape, Roberto Gusmão. 

Segundo o diretor de Meio Ambiente e Sustentabilidade da estatal, Carlos Cavalcanti, a ação deve ser realizada anualmente e pretende estimular a implementação, por parte dos terminais, de ações ambientais que conduzam à sustentabilidade das suas operações. “Queremos sensibilizá-los quanto ao seu papel relevante no cuidado ambiental da área na qual estão inseridos, sobretudo, no cuidado com o meio marinho, além de reconhecer as instalações que adotam uma postura ambientalmente responsável, proativa e em consonância com os objetivos da Década dos Oceanos e da Agenda 2030”, ressaltou.


Na solenidade, estiveram presentes os representantes dos terminais agraciados com o selo: Javier Ramirez, CEO do Tecon Suape; Carlos Schobiner, gerente de Operações da Decal Brasil; e Pedro Silva, coordenador de Qualidade e Saúde, Segurança e Meio Ambiente da Pandenor. Para a representante da Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq), Érika Farias, essa iniciativa é fundamental para o equilíbrio ambiental. “Quero agradecer o convite de Suape, assim como parabenizar a ação, pois é muito importante que as empresas tenham boas práticas ambientais”, salientou. 

Representante da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), Maria do Carmo Tavares, afirma que a certificação é de grande relevância para os órgãos de controle. “Além de ajudar no licenciamento, as organizações se adequam às condições do meio ambiente. Quero parabenizar não só os três terminais vencedores, mas a todas as empresas que vêm se empenhando em adotar práticas sustentáveis.

VIDA NA ÁGUA - Em 2015, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) aprovou a Agenda 2030, na qual foram estabelecidos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), entre os quais destaca-se o Objetivo 14 - Vida na Água -, que tem por finalidade conservar e promover o uso sustentável dos oceanos, mares e recursos marinhos.

Posteriormente, em 2016, a ONU concluiu a primeira Avaliação Mundial dos Oceanos, cujos resultados apontaram a urgência de gerenciar com sustentabilidade as atividades no ecossistema. Um ano depois, a instituição internacional proclamou o período de 2021 a 2030 como a Década da Ciência Oceânica para o Desenvolvimento Sustentável (ou simplesmente, Década dos Oceanos), cujos objetivos incluem o cumprimento da Agenda 2030 com foco no ODS 14 e correlatos. 

A ideia é unir esforços de todos os setores relacionados ao mar para que seja revertido o declínio na saúde dos oceanos, além de estimular a criação das condições necessárias ao desenvolvimento sustentável, com o fortalecimento da gestão de oceanos, ilhas e costas em benefício da humanidade.

Fotos: Divulgação.
Da Assessoria de Imprensa.