quinta-feira, 26 de agosto de 2021

Após ser impedida de falar com governador Paulo Câmara, em Petrolina, mãe da menina Beatriz pede ajuda na Alepe


No encerramento da reunião desta quarta da Assembleia Legislativa, o colegiado de Cidadania ainda tratou do Caso Beatriz. O Colegiado recebeu Maria Lúcia Mota da Silva, que busca apoio do Governo do Estado e do consulado norteamericano para solucionar o inquérito que investiga o assassinato da filha, Breatriz Angélica da Mota, morta em 2015, em Petrolina, no Sertão do São Francisco, quando tinha 7 anos. A mãe relatou que uma empresa baseada nos Estados Unidos, especializada em perícia policial, ofereceu apoio na investigação, mas o trâmite necessário para que isso aconteça depende do Governo do Estado.

Maria Lúcia se emocionou ao relatar que foi impedida por seguranças de ter acesso ao governador Paulo Câmara em uma visita recente realizada a Petrolina. “Não é fácil viver todos esses anos convivendo com essa impunidade contra a minha filha, o Estado não assegurando a ela o direito de um inquérito justo, o Estado não nos dando a oportunidade de oferecer recursos e, por fim, uma agressão física desnecessária”.

Comissão de Cidadania decidiu, por unanimidade, elaborar um documento sobre o caso e solicitar uma reunião com o governador Paulo Câmara para que as medidas necessárias sejam tomadas.

Foto: reprodução / internet.
Da Rádio Alepe.