quarta-feira, 26 de maio de 2021

Com Covid em alta, estado suspeita de circulação de novas variantes no Agreste


A aceleração da pandemia da Covid-19 no Agreste de Pernambuco provocou um aumento de 50% na procura por leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), nos últimos 15 dias. Segundo o secretário estadual de Saúde, André Longo, existe a suspeita da circulação de algumas das variantes na região.

Em entrevista ao NE2, da TV Globo Recife, nesta terça-feira (25), o secretário disse que a situação em Pernambuco "é preocupante" e que o governo entrou em contato com o Ministério da Saúde na segunda (24) para relatar o que chamou de "quadro anormal" no Agreste. 

Longo disse que é considerada a possibilidade da circulação das variantes indiana, britânica e sul-africana  em Pernambuco.

No entanto, reforçou que nas últimas testagens foi identificada predominantemente a circulação da variante P-1, do Amazonas. O secretário não falou, no entanto, sobre a adoção de medidas para impedir a entrada de novas variantes no estado. 

"São necessários exames de sequenciamento genético para detectar a possibilidade de novas variantes circulando em Pernambuco, inclusive na perspectiva de possibilidade de ter uma variante originada em outros países como a indiana, a sul-africana ou a própria inglesa, o que poderia trazer uma aceleração nesses patamares", observou o secretário.

André Longo afirmou que também foi solicitado ao Ministério da Saúde o envio emergencial de testes antígenos, que são rápidos e capazes de identificar as proteínas da superfície do novo coronavírus, para intensificar o processo de testagem em Pernambuco.

"É fundamental unir testagem em massa, utilizando esses testes com resultado em 15 ou 30 minutos, e que você já sai dali com o diagnóstico e a necessidade de adotar as medidas preventivas pra evitar o contágio. É fundamental que esses testes cheguem em massa nos municípios, principalmente ao Agreste", ressaltou.

O secretário lembrou que entram em vigor nesta quarta-feira (26) as medidas restritivas mais intensas em 65 municípios em situação considerada "mais preocupante".

"Uma característica é a intensidade dessa aceleração em Caruaru, em Garanhuns e também no Agreste Setentrional, que pega parte da 2ª Gerência Regional de Saúde. As medidas restritivas então são mais intensas nessa região para a gente conter essa aceleração", frisou.

Demanda por leitos de UTI 

O aumento na demanda por leito de UTI no Agreste preocupa o governo. "Tem tido um comportamento de aceleração que é impressionante. As demandas cresceram mais de 50% nos últimos 15 dias. Quase metade das demandas adicionais dessa última semana semana teve origem no Agreste", observou André Longo.