quinta-feira, 29 de abril de 2021

Paulo Câmara anuncia planos de manejo para mais de 40 Unidades de Conservação em Pernambuco


O governador Paulo Câmara anunciou, nesta quarta-feira (28.04), o programa UC Pernambuco, que vai promover o maior conjunto de estudos ambientais em áreas remanescentes de Mata Atlântica e Caatinga, com o objetivo de potencializar a gestão e a conservação dos recursos naturais. Com a iniciativa, 41 Unidades de Conservação (UCs) Estaduais vão ganhar planos de manejo ou terão suas pesquisas renovadas até janeiro de 2023. O programa foi detalhado durante o seminário online Estudos ambientais e instrumentos de inovação para conservação da biodiversidade em Unidades de Conservação de Pernambuco.

“Mais uma vez, afirmamos nosso compromisso com a promoção do desenvolvimento econômico e a garantia da proteção ambiental. Reconhecemos que é um caminho longo, sobretudo porque temos enfrentado muitas adversidades. Mas esse lançamento marca o início de mais um trabalho inovador na gestão ambiental, com duração de 22 meses e investimentos de mais de R$ 4,7 milhões”, detalhou Paulo Câmara.

Atualmente, Pernambuco possui 89 UCs, das quais 74 são geridas pelo estado. O programa beneficiará mais de 55% dessas áreas protegidas sob a administração pública. As unidades estão localizadas em 32 municípios, distribuídos nas regiões do Sertão, Agreste, Zona da Mata e Região Metropolitana do Recife. Das 41 reservas, sete integram o bioma Caatinga e 34 o da Mata Atlântica, sendo uma delas pertencente ao ecossistema marinho. Além disso, mais seis unidades de conservação serão contempladas com diagnósticos socioambientais, todas compostas por ecossistemas estuarinos.

“É importante dar prosseguimento àquela que é uma das políticas públicas mais avançadas do mundo. Essas políticas têm sido reforçadas pelo Governo do Estado e, em especial, olhando para as unidades de conservação”, destacou o secretário estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade, José Bertotti. Os planos de manejo vão abranger o diagnóstico, zoneamento de territórios, definição de potencialidades, diferenciação e intensidade de uso dos recursos existentes, necessidades de proteção e recuperação, assim como a implantação das estruturas físicas necessárias à gestão dos espaços estudados.

O UC Pernambuco também vai consolidar o envolvimento das comunidades locais com a proteção dessas áreas. Serão criados conselhos gestores, com ampla participação da sociedade civil, em todas as UCs beneficiadas. Esses fóruns ficarão responsáveis por acompanhar a implementação das iniciativas e atividades definidas com a conclusão do plano de manejo das reservas, a exemplo de recuperação de territórios, manejo da fauna e flora, entre outras ações.

O programa ainda prevê a definição de áreas de corredores ecológicos, capazes de conectar fragmentos de mata e unidades de conservação. A medida é considerada estratégica para a preservação da biodiversidade local, em especial das espécies ameaçadas de extinção, uma vez que os corredores vão ampliar a área de incidência da fauna silvestre, aumentando as possibilidades de sobrevivência e bem-estar desses animais, com a garantia de mais alimentos, reprodução e habitat.

Fotos: Aluísio Moreira/SEI.