sexta-feira, 26 de março de 2021

Após dados represados, país bate recorde com 3.600 mortes por covid em 24h

O Brasil registrou um novo recorde de mortes em decorrência da covid-19: foram 3.600 óbitos em 24 horas. Ao menos quatro estados (Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo) justificaram os números de hoje devido ao represamento de dados após mudança em sistema do governo federal, ocorrida na última quarta-feira (24). 

A maior marca anterior era de 3.158, que foi registrada na última terça-feira. Ao todo, o país contabiliza 307.326 mortes desde o início da pandemia, segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte. O Brasil também registrou o recorde na média de mortes, com 2.400 óbitos nos últimos sete dias. A marca anterior era de 2.349, na última terça-feira.

Nas últimas 24 horas foram confirmados 82.558 diagnósticos positivos. Com isso, o Brasil chega a 12.407.323 casos de covid-19. 

Nesta sexta, as secretarias de Saúde de quatro estados (São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás e Santa Catarina) alegaram que os números de mortes apresentados hoje ocorreram devido ao represamento de dados após mudança no sistema Sivep Gripe feito pelo Ministério da Saúde, nesta semana. Após repercussão, a pasta voltou atrás e suspendeu o preenchimento obrigatório de alguns dados em registro de mortos. 

"Sem comunicação prévia pelo Ministério da Saúde, os critérios de registros de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) foram alterados na terça-feira (23), dificultando a notificação por parte dos municípios provocando uma queda vertiginosa no número de mortes de quarta-feira (24) em diversos locais de país. Embora as mudanças tenham sido anuladas neste mesmo dia, desde ontem os dados ainda estão impactados pela medida", disse o governo de São Paulo, que registrou hoje um recorde de mortes em 24 horas, com 1.193. 

Fonte: Uol.