terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Municípios recebem Selo do Unicef. Na lista, Casinhas, João Alfredo e Orobó

JOÃO ALFREDO fez investimentos importantes na Educação, está entre certificados na Região

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) concedeu hoje (8) o Selo Unicef a 431 municípios do Semiárido e da Amazônia Legal brasileira, pelo esforço para proteger os direitos de crianças e adolescentes. As cidades se destacaram por ações que promoveram nas áreas de saúde, educação e assistência social.

Em Pernambuco, dos 123 municípios participantes, 35 foram certificados pelo Unicef (confira lista abaixo).

Cinco cidades da Região receberam o selo do Unicef: Casinhas, João Alfredo, Orobó, Taquaritinga do Norte e Toritama.

No total, 1.924 municípios de 18 estados participaram da iniciativa, que compreendeu o intervalo de 2017 a 2020. 

O Selo Unicef é uma iniciativa para fortalecer as políticas públicas voltadas às crianças e aos adolescentes em mais de 1.900 municípios do Semiárido e da Amazônia. O Unicef estimula e apoia os municípios a garantir o cumprimento do Estatuto da Criança e do Adolescente e avançar em direção aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

A experiência com as edições anteriores mostra que os municípios que participam do Selo Unicef avançam mais na melhoria de indicadores sociais da infância e adolescência do que municípios das mesmas regiões que não participam da iniciativa. 

Cada ciclo tem quatro anos – coincidindo com os tempos de mandato das gestões municipais.

Ao participar do Selo Unicef, os municípios elaboram um diagnóstico da situação da população de até 18 anos e criam e implementam um Plano de Ação para enfrentar os principais problemas que afetam essa população, sempre de forma participativa.

Os municípios também se comprometem a desenvolver ações nas áreas de saúde, educação, proteção e participação social de crianças e adolescentes e a monitorar os resultados alcançados por meio de indicadores e de debates em fóruns comunitários.

Neste período, 573 municípios realizaram ações para diminuir o número de crianças e adolescentes com dois ou mais anos de atraso escolar. Ao todo, 683 prefeituras capacitaram professores sobre inclusão de crianças com deficiência por meio de educação física.

De acordo com o Unicef, entre 2016 e 2019, o percentual de estudantes dos anos finais do ensino fundamental público com dois ou mais anos de atraso escolar caiu 10,7% em todo o país. Nos municípios da Amazônia e do Semiárido, a redução foi de 11,9%, índice superado pelos municípios que aderiram à iniciativa da entidade, que foi de 12,5%. Entre os municípios que ganharam o selo a queda foi ainda mais expressiva, de 15%. 

A representante do Unicef no Brasil, Florence Bauer, disse que muitos desses municípios enfrentam problemas estruturais graves e precisam de intensos investimentos do poder público para resolvê-los. Segundo ela, a certificação permite melhorar os indicadores sociais não somente nos municípios que a conquistam, mas também em outros.

Em Pernambuco receberam o selo Unicef: Afogados da Ingazeira, Agrestina, Arcoverde, Betânia, Bonito, Brejinho Brejão, Buíque, Casinhas, Custódia, Flores, Glória do Goitá, Inajá, Itapetim, Itaíba, João Alfredo, Orobó, Panelas, Pedra, Petrolina, Poção, Riacho das Almas, Saloá, Santa Cruz da Baixa Verde, Santa Maria da Boa Vista, Santa Terezinha, Serra Talhada, São Bento do Una, São Caitano, Tacaimbó , Tacaratu, Taquaritinga do Norte, Toritama , Triunfo, Venturosa. 

LEIA TAMBÉM:


Analfabeta até os 19 anos, prefeita Maria Sebastiana, de João Alfredo, inaugura maior escola Municipal do interior de PE


Da Redação, com Unifef.Org