quarta-feira, 17 de junho de 2020

Governo do Estado oferece cuidados para mais de 24 mil famílias na RMR


Em nova fase de enfrentamento à pandemia, o Governo do Estado une esforços com a Central Única das Favelas em Pernambuco (Cufa-PE) para beneficiar cerca 24 mil famílias, que corresponde a aproximadamente 120 mil pessoas, de 480 comunidades da Região Metropolitana do Recife (RMR), com distribuição de máscaras de tecido e itens de higiene, além de informações sobre cuidados pessoais. A iniciativa acontece por meio da Secretaria de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas. 

“Nesse momento, onde o Estado está discutindo a reabertura gradual da economia e a volta da convivência, essa fase do nosso projeto fala sobre melhorar os fatores de proteção, a mobilização social, fazer com que tenhamos efetiva condição de voltar à convivência e enfrentar o problema da pandemia”, afirmou Cloves Benevides, secretário de Políticas de Prevenção à Violência e às Drogas.


Além da Cufa - PE, a empresa Uber também se uniu à ação. A Uber realizará cerca de duas mil viagens nesta operação para distribuir um kit comunitário em cada área de vulnerabilidade social. O material é entregue pelo líder social, de porta em porta, para cerca de 50 famílias. Cada kit possui 300 máscaras, 72 sabonetes e material gráfico informativo. Além desses itens, serão instaladas pias públicas nas localidades.

Luiz Oliveira, de 75 anos, morador do Vasco da Gama, comunidade da Zona Norte do Recife, sabe a importância da prevenção em tempos de pandemia e agradece o reforço nos cuidados. “Agradeço de todo coração por essas pessoas. Com esse problema que está acontecendo, o coronavírus, eu me previno, saio de casa com luva, álcool em gel. Agora, com essa doação vai ajudar mais com certeza, mais do que nunca para prevenir a minha saúde, da minha família e dos vizinhos”, afirmou o aposentado. 

Para o líder comunitário desta área, Romero Ferreira, é fundamental conscientizar as pessoas e oferecer um material de proteção adequado. “A pandemia não se extinguiu ainda. O vírus está em foco. Temos uma decrescente, mas temos que dar continuidade e para as comunidades em si é muito importante, tendo em vista que nem todos tem o poder aquisitivo de desembolsar R$ 5 ou R$ 7 pra fazer aquisição de uma máscara, por exemplo, e continuar se protegendo”, finalizou Romero.

Fotos: Hélia Scheppa/SEI.