quinta-feira, 16 de abril de 2020

SURUBIM: Prefeita corta gratificações e não paga 13º salário aos funcionários contratados


O fim do ano foi com menos dinheiro no bolso para os funcionários contratados temporariamente pela Prefeitura de Surubim. É que a prefeita Ana Célia Farias(PSB) cortou as gratificações sobre os salários e não paga o 13º salário aos contratados.
Não houve qualquer decreto para formalizar os cortes. A medida foi tomada por contingenciamento de verbas, mas não agradou porque não estabeleceu critérios e o corte não foi linear. Os cortes foram aleatórios, no bom português, “a prefeita cortou gratificação de quem quis”.
De acordo com apuração da nossa reportagem, esses cortes teriam sido de 30%, 50% ou de 100% das gratificações, dos salários. “Poucos conseguiram escapar dos cortes.  Só mesmo alguns  bem próximos à prefeita”
Nenhum foi comunicado oficialmente, ficaram sabendo ao receber. Os atingidos “ficaram sabendo apenas de comentários que a prefeita iria cortar 30% de todo mundo, mas acabaram surpreendidos com cortes de 50% e 100% das gratificações, quando receberam o salário de novembro“.
Como a medida tem gerado muito descontentamento interno, a folha de pagamento de novembro não foi publicada no portal da Prefeitura. A ideia é também de não publicar dezembro para não gerar mais discórdia.  
Não há informação sobre qualquer projeto de corte de gratificações, tudo foi feito na informalidade. A prefeitura também não divulgou de quanto seria essa economia, nem o número de funcionários atingidos.
O funcionários que trabalham para Prefeitura, contatados pela empresa Bradacc,  não tiveram cortes nos salários. 
PREFEITURA – na página oficial da prefeitura de Surubim, no facebook, anuncia que “o décimo terceiro salário de todos os servidores municipais, começou nesta quarta-feira (11)”. De acordo com a prefeitura, as folhas de novembro e dezembro, mais o 13º salário  somam quase “R$ 10 milhões, injetados na economia do município”.
A prefeita não faz qualquer comentário sobre o corte das gratificações e não pagamento do 13º salário aos contratados. Fala apenas em corte de “gastos supérfluos” e que chega “ao fim de 2019 honrando compromissos”.
“Surubim não está imune aos efeitos da crise econômica, mas nós iniciamos lá atrás um trabalho de otimização dos recursos municipais, cortando gastos supérfluos, elegendo prioridades de investimento, mas sem prejudicar os serviços básicos. Foi isso que nos permitiu chegar ao fim de 2019 honrando nossos compromissos e garantindo as entregas que a população precisa”, afirma a prefeita.

LEIA TAMBÉM: 
SURUBIM: Justiça pode obrigar Prefeitura a cumprir Lei e pagar certo aos professores
Da Redação.
* Matéria publicada no dia 13 de dezembro de 2019, no site www;surubimeregiao.com.br