terça-feira, 19 de junho de 2018

Celpe denuncia ameaça e atuação irregular de provedores clandestinos de internet


A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) apresentou à Secretaria de Defesa Social (SDS) notícia-crime relatando ameaças sofridas por equipes técnicas que realizam trabalho de remoção de fiação clandestina de telefonia e telecomunicações. A concessionária também denunciou a atuação não autorizada de provedores irregulares de internet na rede de distribuição, comprometendo o fornecimento de energia elétrica.  
Os eletricistas estão sendo hostilizados durante as operações de ordenamento de redes instaladas irregularmente e que colocam em risco a população. Diante das ameaças, a Celpe solicitou apoio policial para prosseguir com as atividades de regularização dos cabos. Pioneira no Brasil na ação de ordenamento de rede, a concessionária removeu das ruas, desde 2015, aproximadamente 26 toneladas de fiação e notificou mais de 20 operadoras.
Instalados de forma indiscriminada, os cabos de telecomunicações, além da poluição visual, podem representar riscos para a população, provocando acidentes e interrupção no fornecimento de energia. A Celpe realiza, periodicamente, a fiscalização dos postes com o objetivo de certificar se as empresas de telecomunicações possuem contrato e estão instalando corretamente os equipamentos. Ao identificar cabos instalados clandestinamente, a concessionária realiza a imediata remoção, com a finalidade de garantir a segurança da população e assegurar o suprimento de energia elétrica. No caso das operadoras que possuem contrato de compartilhamento dos postes, a companhia notifica as empresas para que regularizem a situação.
Em algumas áreas do Grande Recife, os postes estão saturados e não comportam mais a instalação de novos fios. Nas demais localidades, as operadoras interessadas em usar a estrutura da Celpe devem procurar a concessionária para formalizar projetos, em conformidade com as normas técnicas previstas na legislação vigente.  
Em 2017, equipes da companhia removeram mais de 15 toneladas de fios instalados irregularmente ou de forma clandestina em postes da concessionária. A ação abrange municípios do Grande Recife e já percorreu mais de 100 quilômetros de linhas de transmissão, identificando irregularidades em 1400 postes. Mais de 20 operadoras de telefonia foram identificadas utilizando ilegalmente as estruturas.

Fonte: Assessoria de Imprensa.