quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Tática das oposições é repetir a fórmula de 2006, que elegeu Eduardo Campos governador


As oposições ao governo Paulo Câmara estão convencidas de que é melhor para todo mundo o lançamento de dois ou três candidatos ao governo estadual para garantir o segundo turno.

Com apenas um nome na jogada, há uma grande probabilidade de o governador reeleger-se no primeiro turno, pois apesar dos múltiplos problemas que o governo atravessa, ele ainda está numa posição confortável: cerca de 20% de avaliação positiva (bom e ótimo) e 35% de avaliação regular.

Daí todos estarem convencidos de que a melhor tática para enfrentá-lo é repetir o cenário de 2006, quando se candidataram Eduardo Campos (PSB) e Humberto Costa (PT) contra o então governador Mendonça Filho (DEM). Este último foi ao segundo turno com o candidato do PSB, que graças ao apoio do petista venceu a eleição por uma maioria confortável.

É o que deverão fazer agora os senadores Armando Monteiro e Fernando Bezerra Coelho, e a vereadora Marília Arraes. O trio ensaia suas candidaturas ao governo estadual e o que for para o segundo turno com Paulo Câmara teria o apoio dos outros dois. Essa tática deu certo em 2006 contra o governo e poderá dar certo novamente em 2018 a favor das oposições.

ASCENSÃO: pesquisa para consumo interno do PT aponta a vereadora Marília Arraes (PT) como candidata competitiva ao governo estadual. Ela aparece em alguns cenários com cerca de 20% de intenções de voto, algo que o Partido dos Trabalhadores jamais imaginou.



Fonte: Inaldo Sampaio, Folha de PE.