sábado, 14 de outubro de 2017

SURUBIM: Internado no Imip, no Recife, Ronaldy depende de medicamento de R$ 560


Nos próximos dez dias, o pequeno Ronaldy Rodrigo vai, enfim, ter acesso ao medicamento importado, do qual depende para sobreviver. A mãe dele, a dona de casa Rita de Cássia Lima, conseguiu, em doações, os R$ 560,00 (quinhentos e sessenta reais) para comprar a primeira caixa de Diazóxido 25 mg, principal tratamento para hipoglicemia hiperinsulinêmica.  

Com este diagnóstico, Ronaldy, que completou um mês, neste dia 12 de outubro, está internado no Imip - Instituto Materno Infantil de Pernambuco, no Recife. De acordo com o laudo médico, "necessita por tempo indeterminado de uso de Diazóxido 25 mg", frisando ainda que "o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, devido as sequelas causadas pela doença".

Ainda de acordo com o laudo do Imip, Ronald tem "histórico de hipoglicemia grave, associado à cianose e crises convulsivas".

Sem condições de arcar com os custos do tratamento do filho, sobretudo pelo preço do medicamento, a dona de casa recorreu às mídias sociais, e começou uma campanha para arrecadar os recursos.


As doações podem ser feitas na Caixa Econômica Federal, agência 1295, operação 013, conta poupança 25833-4, em nome de Rita de Cassia Lima Barbosa.

"Ontem [dia 12], conseguimos os R$ 560 (quinhentos e sessenta reais) e pedi uma caixa. É o valor com o frete. Agora estou um pouco tranquila, sei que ele vai começar a tomar o remédio. Procurei a secretaria de Saúde do estado e solicitei o medicamento, e mandaram eu voltar daqui a trinta dias. Mas já me disseram logo, se o pedido for negado, que eu procure a Justiça. Aí, decidi pedir mesmo, usando a internet. Gostaria de agradecer muito a cada uma dessas pessoas que me ajudaram a comprar o medicamento do meu filho", afirmou à reportagem do Blog, por telefone.

O tratamento também inclui o uso de "um aparelho glicosímetro e 150 (cento e cinquenta) fitas para glicosímetro por mês", uma vez que a "doença causa hipoglicemias frequentes, necessitando verificar a HMT" ( hemo gloco/glicose teste) "várias vezes ao dia, para controle da doença".

O aparelho e as fitas, de acordo com a dona de casa, foram disponibilizados pela secretaria municipal de Surubim.

"Enquanto ele estiver aqui no Imip, toma insulina. Ele também está passando por alguns exames. Estou com esperança de conseguir outra caixa do remédio, e fazer o pedido, antes de voltar com ele para Surubim. Ele também precisa de leite Nan 1", disse a mãe.  

Com outros dois filhos, a dona de casa e o marido, Rodrigo Ribeiro, moram na Vila da Chã do Marinheiro, uma das localidades mais carentes da cidade. Sobrevivem como barraqueiros, trabalhando em festas, em municípios da Região. "A gente 'tá' sem conseguir trabalhar, e, agora, precisando mesmo da ajuda das pessoas. Mas tenho fé, e Deus vai continuar nos dando força", completou.





 Da Redação.