terça-feira, 17 de outubro de 2017

Marina Silva quer tirar da 'Rede Sustentabuilidade' imagem de "puxandindo do PT"

 Ex-senadora Marina Silva tem se mostrado preocupada com os rumos de seu partido (FOTO :Vagner Campos)

Em conversas com colegas parlamentares, a ex-senadora Marina Silva tem se mostrado preocupada com os rumos de seu partido, a Rede Sustentabilidade. Diante das pesquisas que mostram sua pré-candidatura estagnada nas intenções de voto, ela atribui o mau desempenho à rejeição que a Rede estaria sofrendo principalmente em alguns setores da classe média.

Marina avalia que essa faixa do eleitorado passou a identificar o novo partido como “um puxadinho do PT”, o que acabou por respingar em sua imagem. Um dos fatores que levaram os eleitores a vincular a Rede ao PT, segundo ela, seria a postura agressiva do deputado Alessandro Molon e do senador Randolfe Rodrigues. Daqui para frente, Marina quer promover mudanças. Vai abrir espaço para políticos de perfil mais moderado.

MODELITO - a estratégia de Marina parte da seguinte premissa: os eleitores estão atrás de novos nomes, que não tenham sido contaminados pelos vícios da política. Mostram-se refratários aos tradicionais quadros da vida nacional. Embora tenha sido ministra no primeiro governo Lula e senadora pelo PT, Marina acredita que pode se enquadrar nesse figurino.

UM VICE - Marina já está sondando gente de fora do meio político para compor a futura chapa da Rede na disputa da Presidência da República. Nessa tarefa, tem dado preferência a nomes do Judiciário. Já conversou com o ex-presidente do STF Joaquim Barbosa e também com Carlos Ayres Britto, ex-ministro do Supremo. Hoje, a balança pende para Ayres Britto.

FONTE: IstoÉ.