terça-feira, 25 de abril de 2017

Paulo Câmara decide apoiar reforma da Previdência de Temer, contrário ao posicionameto do PSB

REUNIÃO: Paulo Câmara se reuniu com Temer nesta terça-feira e defende reforma da Previdência contra o posicionamento do PSB

O governador Paulo Câmara divulgou nota nesta tarda desta terça-feira (25) em que afirma que a reforma da Previdência é necessária para o País, mas que é necessário o diálogo. Neste sentido, se colocou contra a posição do PSB, partido do qual é vice-presidente, de fechar questão contra a reforma.

Em reunião na noite da segunda-feira (24), a Executiva nacional da sigla e a bancada socialista se reuniram e decidiram votar contra as reformas Trabalhista e da Previdência.

“Respeito a posição tomada pelo partido, mas continuo defendendo a manutenção do diálogo. Por isso, entendo precipitado e discordo do fechamento de questão sobre a votação da Reforma da Previdência”, afirmou o governador, em uma nota de seis parágrafos.

Ainda no texto, Paulo Câmara alertou que a falta de diálogo leva ao risco de “pagar o preço de uma discussão superficial”.

Na avaliação do governador, o Governo Federal “não dimensionou corretamente” a reação contrária à reforma, ao enviar ao Congresso uma proposta antes de dialogar com a sociedade.

“É verdade que as alterações promovidas pelo Governo na proposta original foram importantes, corrigiram problemas evidentes, mas ainda necessita de mais diálogo”, ponderou o chefe do Executivo.

Por fim, lança novo apelo à negociação: “Insisto: sem diálogo será impossível o Brasil superar os atuais desafios nacionais".

Veja a íntegra da nota:

NOTA REFORMA DA PREVIDÊNCIA
"O Brasil necessita de uma Reforma da Previdência, excluindo mudanças que prejudiquem os mais vulneráveis, como os trabalhadores rurais, especialmente os do Nordeste.
Mais uma vez, infelizmente, podemos pagar o preço de uma discussão superficial, que não avalia corretamente o impacto que a ausência dessa reforma terá sobre o futuro do Brasil.
O Governo não dimensionou corretamente a reação contrária à Reforma, ao enviar uma proposta ao Congresso Nacional antes de estabelecer diálogo com setores importantes da sociedade, que poderiam ter evitado esse desgaste atual.
É verdade que as alterações promovidas pelo Governo na proposta original foram importantes, corrigiram problemas evidentes, mas ainda necessita de mais diálogo.
A decisão do PSB reflete muito essas questões. Respeito a posição tomada pelo partido, mas continuo defendendo a manutenção do diálogo. Por isso, entendo precipitado e discordo do fechamento de questão sobre a votação da Reforma da Previdência.
Insisto: sem diálogo será impossível o Brasil superar os atuais desafios nacionais".
Paulo Câmara
Governador de Pernambuco

Fonte: Folha de Pernambuco.