quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

FHC depõe amanhã como testemunha de defesa em ação contra Lula


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso será ouvido nesta quinta (9), a partir das 9h, como testemunha de defesa de Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula.

O depoimento será feito por videoconferência.

Okamoto é réu no processo que apura o transporte do acervo presidencial de Lula depois que o petista deixou a Presidência. Os custos foram pagos pela empreiteira OAS. 

O Ministério Público diz que o dinheiro veio de propina.Os advogados de Lula, acusado de corrupção e lavagem de dinheiro, também poderão fazer perguntas a FHC.

A Fundação FHC confirma que o tucano vai depor nesta quinta.

Os advogados de Lula tentaram nesta quarta (8) adiar as audiências em virtude do luto do ex-presidente pela morte de sua mulher e do fato de que na quinta será celebrada missa de sétimo dia de Marisa Letícia.

O juiz Sergio Moro não concordou e manteve a agenda.


De acordo com Fernando Fernandes, advogado de Okamoto, FHC será questionado, em primeiro lugar, sobre a importância histórica de um arquivo presidencial.


Serão feitas perguntas ainda sobre quem seleciona os objetos a serem levados dos palácios presidenciais —se o próprio mandatário ou uma secretaria especializada.

Os defensores de Okamoto vão perguntar também como a Fundação FHC mantém o acervo e se recebe contribuições de empresas privadas para isso.

A defesa de FHC pediu que ele fosse ouvido antes das outras testemunhas. "Nós não fizemos a menor objeção, já que todos os ex-presidentes merecem tratamento digno de seu histórico", afirma Fernandes.

Fonte: Folha de São Paulo.