quinta-feira, 5 de janeiro de 2017

Polícia Civil prende acusado de cometer o primeiro homicídio do ano em Casinhas


A Polícia Civil prendeu o acusado de cometer o primeiro assassinato do ano, no município de Casinhas: José Augustinho da Silva Souza é apontado como responsável pela morte de Adalberto Lima dos Santos, crime que aconteceu nas primeiras horas da manhã, do dia primeiro de janeiro.

De acordo com a polícia, o acusado alegou legítima defesa. 'Após beber e se drogar, a vítima passou a agredir o autor, que a atingiu com disparos de arma de fogo'.

O acusado confessou o homicídio. A polícia encontrou a arma do crime com ele, que foi preso pelos policiais  civis Valtenio e Julimarlon, equipe coordenada pelos delegados Josinaldo Correia e Jean Rockfeller, e autuado em flagrante.

"Ele era muito violento. Tinha uma lista de gente para matar", diz parente, sobre a vítima.


FOTO: MAIS CASINHAS / Reprodução.

A família não esperava outro destino para Adalberto Lima dos Santos, encontrado morto, por volta das 5h da manhã, na comunidade do Catolé de Napoleão, zona rural de Casinhas.

"Monga" como era conhecido, estava foragido da penitenciária de Canhotinho, onde cumpria pena pelo homicídio da mulher com quem vivia. De acordo com familiares, ele era uma pessoa extremamente violenta. Um primo que prefere não ser identificado, disse para nossa reportagem, que ele teria uma lista com pessoas marcadas para morrer.

"A gente era primo. Ele era muito perigoso, violento. As pessoas tinham medo dele, poque ele ameaçava mesmo. Ele tinha uma lista com nome de gente para matar, pessoas que não fizeram nada contra ele. Meu irmão mesmo 'tava' nessa lista, e não fez nada, ao contrário. Dava dinheiro a ele, já para evitar qualquer coisa na família. Mas ele havia pedido para morar lá, na casa dele, aí meu irmão disse que podia ajudá-lo, mas não daquela forma. Então, acha que só por isso estava jurado, inocente. Quando disseram a ele, ficou muito chocado. Mas falaram também que até o pai, ele tinha colocado nessa lista. Falar a verdade é bom, a família toda se sente aliviada", desabafa, com tristeza.

Da Redação.