quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

OS SEM-COMPUTADOR: cresce acesso à internet por outros equipamentos


O número de domicílios que acessam a internet apenas por equipamentos que não o microcomputador — como celulares, tablets, televisão e videogames — chegou a 11,8 milhões em 2015, o que representa um crescimento de quase 40% (36,8%) frente aos 8,6 milhões de 2014. Na passagem de 2013 para 2014, a expansão já tinha sido de 137,7%. Esses lares representavam 17,3% do total de domicílios em 2015, uma parcela maior que os 12,8% de 2014. Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) de Acesso à Internet e à Televisão e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal, divulgada nesta quinta-feira pelo IBGE.

Ao mesmo tempo, recua a conexão pelo microcomputador. O número de domicílios com acesso à internet pelo microcomputador caiu de 28,2 milhões em 2014 para 27,5 milhões em 2015, a primeira queda em números absolutos. A parcela desses domicílios em relação ao total o país manteve a trajetória de queda e passou de 42,1% em 2014 para 40,5% em 2015.

Quando se observa o contingente total de domicílios com acesso a internet (39,295 milhões), o uso do microcomputador também vem recuando — passou de 88,4% em 2013 para 76,6% em 2014 e 70,1% em 2015 —, enquanto a parcela do celular avança — subiu de 53,6% em 2013, para 80,4% em 2014 e 92,1% em 2015.


TABLET PARA DE CRESCER - se o celular manteve a trajetória de aumento, o tablet decepcionou em 2015, após ser destaque em 2014. O acesso pelo equipamento aumentou apenas 2,6% em 2015, após alta de 50,4% no ano anterior. Dos domicílios com acesso à internet, 21,9% o faziam pelo tablet em 2014, taxa que caiu para 21,1% em 2015. Ao mesmo tempo, no entanto, a televisão ganhou espaço. A parcela, que era de apenas 2,7% em 2013, chegou a 4,9% em 2014 e 7,5% em 2015.

Fonte: O Globo.