domingo, 25 de dezembro de 2016

Morre o cantor George Michael aos 53 anos


O cantor britânico George Michael, conhecido por hits como "Faith" e "Freedom! '90", morreu neste domingo (25) aos 53 anos. A informação foi confirmada por seu assessor de imprensa ao site de notícias da BBC. A causa da morte ainda não foi revelada.
"É com grande tristeza que confirmamos que o nosso amado filho, irmão e amigo George morreu em paz em casa durante o Natal. A família pede respeito e privacidade neste momento difícil e emotivo. Não haverá mais declarações", disse seu assessor. 
A polícia de Thames Valley, na região de Londres, confirmou que um serviço de ambulância foi chamado em uma casa em Goring, em Oxfordshire, mais cedo e que não havia circunstancias suspeitas. No ano passado, Michael se internou em uma clínica de reabilitação na Suíça para tratar sua dependência em drogas. 
George Michael trabalhava atualmente em uma edição de luxo do álbum "Listen Without Prejudice Vol 1" em celebração de seus 25 anos de lançamento. O álbum, que vendeu 8 milhões de cópias, foi responsável por uma briga dele com a gigante Sony Music, que ele acusou de escravizá-lo e de não divulgar o disco como merecia. 

UMA VIDA CHEIA DE POLÊMICAS Michael, cujo nome real era Georgios Kyriacos Panayiotou, nasceu em 25 de junho de 1963 em East Finchley, norte de Londres. Filho de um restaurador cipriota e uma mãe bailarina, ele começou seu envolvimento com a música como DJ tocando em clubes e escolas.
Já na adolescência, se interessou pela música e começou a tocar ska com o amigo de escola Andrew Ridgeley. Na primeira metade dos anos 80, criaram o duo pop Wham!, que daria o pontapé inicial na carreira de George Michael, com hits como "Wake Me Up Before You Go-Go" e "Careless Whisper". Os dois seguiram a parceria até 1986, vendendo mais de 25 milhões de discos.
Em 1986, quando o Wham! estava ainda no auge, com sucesso internacional, Michael decidiu seguir carreira solo. No ano seguinte, lançou "Faith", seu primeiro disco, que tinha ainda hits como "Father Figure" e "Kissing a Fool", chegando a vender 20 milhões de cópias pelo mundo. Carregados de sensualidade, os videoclipes do álbum ajudaram a fortalecer a imagem de Michael como um dos grandes sex symbols do pop dos anos 1980.
Ao longo de suas quatro décadas de carreira, chegou a vender mais de cem milhões de discos. Entre as premiações, levou três Brit Awards e duas vezes o Grammy.
Na vida pessoal, o cantor foi conhecido por uma rotina de excessos, com algumas prisões por porte de drogas e por "atitudes obscenas" em um banheiro público. Já nos anos 1990, declarou publicamente sua homossexualidade e criou músicas como "Jesus to a Child" em apoio a colegas com Aids.
Em 2011, Michael foi forçado a cancelar uma série de shows para tratar uma pneumonia. Segundo a BBC, o cantor chegou a ser submetido a uma traqueostomia para conseguir respirar e chegou a ficar inconsciente durante sua estada no hospital.
Nada disso impediu que Michael continuasse a fazer planos na música. Recentemente ele chegou a anunciar que estava trabalhando em um novo álbum com o produtor e compositor Naughty Boy. Em março de 2017, planejava lançar um documentário batizado de "Freedom".
Fonte: UOL.