sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Drama de ex-presidiário mobiliza trânsito e curiosos na Zona Norte do Recife. Ele ameaçou pular do 15o andar


O drama de um ex-presidiário mobilizou pedestres e moradores do bairro do Espinheiro, na Zona Norte do Recife, e causou forte impacto no trânsito da área. A avenida Agamenon Magalhães teve o fluxo de carros interditado na altura da avenida João de Barros, que está engarrafada no sentido cidade-subúrbio. A situação também ficou complicada na Rua 48. A situação se estendeu até as 13h, quando finalmente o homem foi retirado do local, em uma maca, pelas equipes do Samu.

A situação ocorreu no topo da obra abandonada de um edifício de 15 andares na Rua Bernardino Soares da Silva, em frente ao nº 50, que fica por trás da pista local da Avenida Agamenon Magalhães. Cercando o prédio, três carros de resgate do Corpo de Bombeiros, uma ambulância e cinco motos do Samu e três viaturas da PM, além de uma multidão de curiosos.

No topo do prédio estava José Carlos Serafim, ex-presidiário. Parentes contam que ele chegou ao local às 6h e ligou para a família avisando. Serafim tem dois filhos e dizia estar sofrendo porque a ex-mulher estaria grávida de outro homem. Ele teria ficado com sequelas de uma cirurgia que fez após levar um tiro. 


Entre os parentes embaixo do prédio estava uma idosa, mãe de Serafim, com os dois filhos de Serafim. Os três foram acolhidos em uma galeria de consultórios médicos ao lado do edifício. Uma mulher que trabalha na clínica disse que a senhora parecia desorientada, em choque, e não conseguia falar nada. Uma tia dele, Lucineia da Silva, quando chegou ao local subiu para ajudar na negociação com o sobrinho.

Serafim ficava andando em uma viga no topo do prédio e manteve contato com parentes o tempo todo. O principal interlocutor durante todo o tempo foi o sargento bombeiro Souza, que passava no local à paisana, viu a cena e subiu para tentar ajudar. Embaixo do prédio, uma mulher que se identificou apenas como Samanta, telefonou para José Carlos e passou a ligação para os policiais. Perto das 13h ela ligou novamente, mas ele não atendeu.



Por volta das 13h, Serafim resolveu descer do prédio. Ele saiu carregado em uma maca pela equipe do Samu e foi levado ao hospital psiquiátrico Ulysses Pernambucano, no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife. As equipes de resgate e o sargento bombeiro Souza foram recebidos com palmas pelos curiosos na saída do edifício.

Fonte: Folha de PE.