quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Vereador do Recife, André Régis (PSDB), tem dúvidas se Temer chegará a 2018


André Régis, vereador reeleito e presidente do PSDB do Recife, é um dos poucos tucanos de Pernambuco que pensam politicamente e faz questão de externar suas opiniões, ainda que elas sejam minoritárias no conjunto do partido. 
No início deste ano, por exemplo, ele foi ardoroso defensor da candidatura de Daniel Coelho à prefeitura do Recife. E até admitiu a hipótese de sair do partido se a tese da candidatura própria, combatida por muitos, desse lugar a uma aliança para apoiar a reeleição do prefeito Geraldo Júlio.
Agora, três dias após o presidente de honra do PSDB, Fernando Henrique Cardoso, ter reiterado apoio ao presidente Michel Temer, insinuando que ruim com ele e pior sem, Régis levantou uma tese que não se ouviu, pelo menos até agora, da boca de nenhum outro correligionário: a de que o presidente da República pode não chegar a 2018, tamanha a crise política, social e econômica que corrói aos poucos o seu frágil governo.
André Régis vai defender no PSDB a realização de “eleições primárias” em 2018 para a escolha do candidato do partido à sucessão de Temer. Ele diz que os nomes cogitados para disputar o cargo são os mesmos de 2002, 2006, 2010 e 2014: José Serra, Aécio Neves e Geraldo Alckmin. E está convencido de que por meio das “primárias” pode surgir um novo “João Dória” (prefeito eleito de São Paulo).
Fonte: Folha de PE / Inaldo Sampaio.