sábado, 12 de novembro de 2016

Comandante do 22º batalhão da PM fala sobre violência e suposto arrastão em Surubim

MONITORAMENTO :  tenente coronel Souza Filho coordena ações diárias 

A violência compartilhada nos grupos do whatsap de Surubim corresponde à realidade das ruas ? Todos os casos postados como ocorridos aqui, realmente aconteceram no município ? Existe exagero? A segurança pública vem se tornando um tema cada vez mais comentado nas mídias sociais, sobretudo pelas postagens de casos de violência, que acabam propagando medo e uma sensação de insegurança.

O comandante do 22o batalhão, tenente-coronel Souza Filho, conversou com nossa reportagem, e destaca que a "PM está trabalhando intensivamente para garantir mais segurança ao cidadão". Ele comenta ainda sobre os casos de violência compartilhados nos grupos de whatsap, bem como sobre o suposto arrastão que teria ocorrido na noite desta quinta-feira (10), em Surubim,  http://www.albericocassiano.com.br/2016/11/medo-arrastao-em-surubim-pelo-menos.html
 
RESULTADOS : policiais conseguiram melhorar desempenho do 22o batalhão 

ROTINA : PM reforça presença nas ruas em ações de rotina 





" O whatsap é bom, por um lado, mas por outro, prejudica muito. Esses arrastões, por exemplo, foi muito boato e mentira. Não se pode confiar em tudo que sai na internet, a não ser que seja de uma fonte séria. Mas a gente está provando que o batalhão está trabalhando, e mostrando as fotos do nosso trabalho. No estado são 26 AIS (Área Integrada de Segurança) e nós éramos o 23o da lista, hoje nós somos o 10o colocado, no estado todo. A redução foi significativa. Todo dia, o batalhão vem buscando melhorar", disse o comandante ao Blog surubimeregiao.



APROVAÇÃO : cidadãos aprovam presença da PM nas ruas e abordagens no trânsito 





AÇÃO - durante trabalho de rotina, realizando rondas no loteamento Baraúnas, policiais militares avistaram indivíduos em local suspeito, e ao perceber a presença da PM, um deles tentou se desfazer de dois "big big" de maconha. Com ele, que é de menor, os PMs encontraram  R$ 243, e chegando na residência dele acharam um revólver calibre 22, uma espingarda soca-soca, um ponte plástico com bolsas e papel alumínio, que seriam utilizados para embalar drogas.