sexta-feira, 7 de outubro de 2016

Pela primeira vez, Câmara de Surubim terá quatro vereadoras

MAIS VOTADA : Véia de Aprígio conquistou o 4o mandato
A próxima legislatura da Câmara de Surubim terá presença feminina bem mais expressiva, passando de uma para quatro as cadeiras ocupadas por mulheres.  Com o aumento de onze para treze no número de vereadores, as mulheres serão 30% da Casa Euclides Mota.

A vereadora Véia de Aprígio (PSB) foi reeleita com 2.451 votos. Este é o quinto mandato (2000/1.024 votos; 2004/1.541; 2008/1.667; 2012/3.152) e a quarta eleição que ela chega como a mais votada da disputa proporcional.   

SINDICATO : Ivete Ramos é liderança do polo sindical 
A vereadora Ivete do Sindicato (PT) estreou bem nas urnas, com 1.853 votos foi a segunda mais votada. Ela é uma importante liderança do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Surubim. Atua ao lado do líder sindical Israel Crispin no programa de rádio mantido pelo pólo sindical.

NOVATA : Anabel Negromonte obteve mais de mil votos
A vereadora Anabel Negromonte é formada em Ciências Sociais e Serviço Social. Professora, foi candidata em 2008 e obteve 357 votos. Em 2012, apoiou o vereador Josafá Vasconcelos. Atua na secretaria municipal de Saúde no setor de marcação de exames e consultas. Foi eleita com 1.286 votos.

INTERVALO : depois de uma legislatura ausente, Bana volta ao Legislativo.

A vereadora Bana da Chã do Marinheiro volta à Casa Euclides Mota, depois da ausência de uma legislatura. Ela foi eleita em 2008, com 969 votos, mas não renovou o mandato em 2012, e ficou suplente com 869 votos. Nesta eleição, 818 votos garantiram o segundo mandato.

HISTÓRIA - Esta é a primeira vez que a Câmara de Surubim terá quatro vereadoras. No máximo, a Casa teve três parlamentares mulheres.

Vereadora Lucila Medeiros, em 1996, posse do 4o mandato. (Foto: arquivo Edvaldo Clemente)

A primeira mulher eleita para a Câmara de Vereadores de Surubim foi Lucila Medeiros, em 1982. Exerceu quatro mandatos consecutivos e por duas vezes ocupou a Presidência da Câmara.

"Desde 1929 até 1982, a Câmara Municipal de Surubim não teve representante feminina. Nas eleições municipais de 1982, uma mulher, Lucila Medeiros, disputou uma vaga na Casa Euclides Mota, obtendo uma excelente votação, 1.773 votos, conquistou um cadeira no deliberativo municipal. Lucila Medeiros foia  vereadora que passou mais tempo exercendo um mandato eletivo, dentre todos os vereadores" , conta o professor Luiz Antônio Medeiros, no livro Surubim, a história de todos os tempos. 

Candidato a prefeito Flavio Guerra e os candidatos a vereadores, entre eles Leta Cavalcanti, em protesto contra a proibição de comícios relâmpagos. (Foto: arquivo Edvaldo Clemente)

Na eleição seguinte, em 1988, a legislatura contou com mais uma mulher: Leta Cavalcanti, esposa do líder sindical e advogado Evandro Cavalcante, assassinado no ano anterior, se elege.

Em 1992, Rosineide Barbosa, também ocupou uma cadeira no Legislativo de Surubim. Em 1996 apenas Lucila Medeiro foi eleita para o quarto mandato consecutivo. 

Joana Leal foi vereadora e secretária de Ação Social

N eleição de 2000, a única mulher eleita foi a vereadora Joana Leal, após ocupar a secretaria municipal de Ação Social.

Dijacir do Sindicato também representou o movimento sindical 

Na eleição de 2004, foram eleitas Véia de Aprígio e Djacir do Sindicato.

Em 2008, são eleitas três vereadoras: Véia de Aprígio, Bana e Djacir do Sindicato, até então, maior presença feminina a Casa Euclides Mota.