segunda-feira, 2 de novembro de 2015

P-Sol terá candidatos majoritários em Surubim e Casinhas em 2016

Disputadas entre os candidatos “Fulano" e "Beltrano”, entre “o partido dos que estão na Prefeitura e o de quem é do contra e quer entrar”, como se diz popularmente, as eleições municipais no interior, quase sempre são polarizadas. Em Surubim, o pleito em 2016 deve ter como principal foco a briga entre o prefeito Túlio Vieira (PT), que tenta a reeleição, e o candidato do PSB, possivelmente o secretário de Agricultura, Nilton Mota.
Correndo por fora, o P-Sol, Partido Socialismo e Liberdade, já definiu que deve ter candidatura própria e pretende quebrar essa polarização da campanha “denunciando as práticas coronelistas e sendo muito criativos para sensibilizar o eleitorado”, destaca o professor Edier Sabino, coordenador da legenda no Agreste Setentrional.

SEM CORONELISMO : Professor Edier Sabino pretende quebrar polarização em Surubim.

O partido deve definir até o final do ano o nome do candidato, mas a prioridade é difundir o discurso. “As pessoas precisam ser alertadas para perceberem que estes grupos quando fazem os seus conchavos, não pensam nos interesses coletivos e na maioria das vezes nos seus próprios. Vamos debater com a comunidade a importância da participação popular e da transparência na gestão pública”, completa o professor.
  
CASINHAS - O P-Sol também terá candidatura própria no município de Casinhas. O nome mais cotado é o do professor e blogueiro Edmilson Gonçalves, que já adota um discurso mais contundente de oposição. “Nem João Camêlo, nem Rosineide Barbosa. São 20 anos de atraso. Queremos uma mudança, mas uma mudança verdadeira sem colocar em risco o futuro da cidade. Há muita insatisfação aqui em Casinhas. Não há transparência com o dinheiro público e muitas obras estão inacabadas. Casinhas têm 20 anos, não há uma feira, um mercado, um açougue, uma praça central, não há remédios nos postos de saúde e as escolas estão numa situação complicada. Se pegarmos o plano de governo dela das eleições de 2012 podemos verificar que ela não fez o que prometeu por escrito”, afirma.

TRANSPARÊNCIA : Professor Edmilson Gonçalves propõe monitoramento diário das verbas públicas

Na eleição municipal passada, inclusive, com a união dos dois principais grupos políticos, a candidatura alternativa de Zito Pezinho, quase sem dinheiro e sem estrutura, por pouco não se tornou um azarão. “Eu mesmo  fiz parte da campanha de Zito.Tem momentos que o dinheiro não resolve e isso nos anima, em saber que o povo está consciente. Vejo muita injustiça social nessa cidade, enquanto isso os poderosos fazem da Prefeitura uma casa grande e do povo, seus dominados. Quero ajudar a libertar Casinhas a sair dessa escravidão moral e política”, frisa.

Em vídeo, o professor já denunciou, em seu blog, o Casinhas Agreste, a situação precária do transporte escolar, na zona rural do Município.


Professor concursado do Município, diz que já elegeu a ética como o principal ponto da campanha. “Irei propor um monitoramento diário de cada centavo que chegue na Prefeitura, dizendo onde foi gasto, ter respeito com o que não é nosso. O uso do dinheiro público, na atualidade, fica muito a desejar. Por exemplo, por que se insiste em e não mostrar as contas públicas, os gastos no portal Transparência? Não existe também o Portal do Servidor. Em Casinhas é tudo na escondida, não existe transparência “, completa.