domingo, 8 de novembro de 2015

O impacto de uma provável redução do Bolsa Família em PE é divulgado pelo Ministério do Desenvolvimento Social

Em PE, atualmente 3,5 milhões de pessoas são atendidas. Cerca de 1,5 milhão teriam de sair do programa. 

O Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, através da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania, divulgou um estudo para avaliar como ficaria a situação das famílias caso a proposta do deputado federal Ricardo Barros (PP-RR), que é relator do orçamento de 2016, seja aprovada. 

A sugestão do parlamentar é de que, no ano que vem, R$ 10 bilhões dos R$ 28,8 bilhões previstos para o Programa Bolsa Família sejam cortados por causa da grave crise financeira que o País atravessa. Em Pernambuco, cerca de 42,5% do total de pessoas incluídas no Programa Bolsa Família iriam perder o benefício.

Segundo a pasta, o impacto da proposta foi medido levando em consideração o fato de que pessoas com renda maior pudessem sair do programa, que paga atualmente, em média, R$ 167 às famílias beneficiárias. Só no Estado, atualmente 3,5 milhões de pessoas são atendidas. Cerca de 1,5 milhão teriam de sair do programa. 

Presidente Dilma tem dito ser contrária a qualquer corte no programa social


Além disso, 248 mil famílias seriam devolvidas à situação de extrema pobreza. Deste valor, cerca de 303 mil crianças e adolescentes até os 17 anos também seriam afetados, já que eles têm a frequência às aulas acompanhada pelo programa. As famílias com renda de até R$ 154 mensais per capita possuem direito ao benefício. Já os que arrecadam até R$ 77 mensais são consideradas extremamente pobres.

Tanto o ministério como a Presidência da República já declararam repúdio a qualquer tentativa de corte, assim como senadores da base aliada e até da oposição ao governo federal. 

Fonte: Jornal do Commercio.